Depois de assinar documento em defesa do tribunal, agora visita Toffoli

A matéria abaixo foi publicada originalmente no Jornal O Trabalho, edição nº 846, órgão da Corrente O Trabalho do PT, seção brasileira da IV Internacional. Foi escrita por nosso camarada Hélio Barreto, diretor de assistência estudantil da UNE e membro do Conselho Nacional da Juventude Revolução do PT.

No último dia 25 a mesa diretora da UNE – a presidente (UJS, ligada ao PCdoB), a vice (Levante, ligada a Consulta Popular) e a secretaria geral (Kizomba, ligada a DS PT) -, esteve no Supremo Tribunal Federal (STF) para uma audiência. A matéria no site assinada pela presidente Mariana Dias diz que foi um “diálogo institucional para defesa da democracia e da Constituição de 88”.

Não está errado pautar institucionalmente as demandas do movimento como autonomia universitária desrespeitada pelo governo, a garantia das liberdades democráticas, as ameaças contra UNE, etc. O que não dá, é usar deste pretexto para defender o STF que segundo Mariana, que já assinara manifesto em defesa desta instituição, é o “guardião da Constituição Federal”. Mas com que mandato afirma tal posição? Porque não exigiram a Liberdade de Lula, conforme decisão dos fóruns da UNE? Na verdade, Mariana estava expressando a posição de seu Partido, o PCdoB.  Como explica Ricardo Capelli, ex-presidente da UNE, refletindo a posição do PCdoB, “defender o STF é a tarefa democrática do momento”.

Mariana diz que a defesa da democracia é marca da UNE que teve “dirigentes mortos, torturados e perseguidos pela ditadura civil-militar”. Correto.  Mas, não foi esse “guardião da democracia” que anistiou torturadores do regime militar que assassinaram dirigentes estudantis como Honestino Guimarães e Edson Luís? Não foi este tribunal que, sob a luz da Constituição de 88, coordenou os trabalhos do golpe do impeachment contra a Dilma e, agora seu presidente, Dias Toffoli, bajula  Bolsonaro  que está saqueando o país e retirando direitos?

Ora, o STF está mais para guardião dos golpes de estado e do atropelao dos direitos constitucionais conquistados nas lutas. Por isso Lula é mantido preso, com a anuência do STF.Na defesa da democracia, a tarefa da hora é lutar pela liberdade de Lula, e não bajular o STF, o supremo tribunal do podre poder Judiciário que o condenou sem provas.

A UNE bajulando o STF?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *