Artigo publicado na edição de número 5 do Boletim Internacional de Juventude. Veja os demais artigos.

Após 10 anos de “luta” dos USA e OTAN contra o ópio e narcóticos no Afeganistão, o relatório da ONU revela um incrível aumento no cultivo, processamento e tráfico, assim como no vício no país.

Em janeiro de 2000, o regime Talibã impôs um banimento no cultivo e negócio da papoula (planta que origina o ópim –NdT) e narcóticos e realizou uma campanha que resultou em 91% de diminuição no cultivo de papoula. De acordo com relatórios oficiais, em 2001 não havia o cultivo na província de Helmand e outras localidades do sul do Afeganistão, onde antes se produzia metade do ópio do país.

Mas com a ocupação do USA/OTAN e a implementação da missão « paz e antiterrorismo » no final de 2011, não apenas esta missão não contribui para reduzir o nível de cultivo de papoula e sua comercialização, como também ele foi impulsionado e transformado em um negócio rentável.

O regime afegão, marionete dos EUA/OTAN, composto pela máfia loca, traficantes de ópio e senhores do crime, se aproveita do lucro desses negócio com seus parceiros estrangeiros. Eles fizeram ilegais o cultivo, o processamento e o tráfico de ópio e criaram um ministério específico, mas na verdade todos os seus esforços levaram a promover a produção do ópio. Sob o controle direto dos Estados Unidos e da OTAN, o Afeganistão alcançou o primeiro lugar como produtor de narcóticos do mundo ! Agora, o Afeganistão produz mais de 90% do ópio mundial. De acordo com relatórios da ONU, sob o domínio dos Estados Unidos e OTAN a área de cultivo da papoula cresceu 7% em 2011, comparado a 2010, e a quantidade produzida aumentou em 61%.

O governo afegão, junto com seu senhor (EUA/OTAN), puniu os fazendeiros pobres e destruiu suas fazendas de ópio para mostrar que estão impondo a lei, mas na realidade pretendem manter o equilíbrio do mercado de acordo com a teoria da oferta e demanda para se certificar de seu lucro.

Os fazendeiros pobres que cultivam a papoula com dezenas de riscos e necessidades recebem menos de 2% do lucro total, mas 98% do lucro vai para os bolsos da máfia apoiada por EUA/OTAN
Dentro e fora do Afeganistão. É compreensível que um fazendeiro pobre não pode processar o ópio e contrabandear milhares de toneladas de heroína e ópio para Moscou, Europa e o resto do mercado internacinal. Como parte da missão, os helicópteros dos EUA, Inglaterra e os demais aliados militares traficam milhares de toneladas de heroína para o mercado internacional sem qualquer controle ou investigação da polícia fantoche. Um jornal norteamericano expôs apenas metade da verdade : em 27 de julho de 2007, o New York Times escreveu : « o exército americano se finge de cego frente à produção de ópio porque não é central à missão antiterrorista. »

A última vistoria conduzida pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime e o governo afegão mostra que a receita do ópio é em torno de 1.4 bilhões de dólares, 9% do Produto Interno Bruto do país e teve 133% de aumento sobre o ano anterior.

De acordo com o relatório do Ministério de Combate às Drogas do Afeganistão, em 2006, 920mil pessoas eram viciadas em drogas e heroína no Afeganistão e em 2008 o número cresceu para 1 milhões e meio – a maioria jovens.

A maior parte da juventude, por causa da pobreza, desemprego e baixa escolaridade, geralmente procura uma saída no ópio e na heroína, facil de serem encontrados. A juventude viciada, para arcar com os custos das drogas, é obrigada a fazer qualquer coisa e servir em missões perigosas. Um número considerável do exército nacional e da polícia nacional do Afeganistão consiste de jovens viciados que estão lutando na linha de frente da guerra. Os senhores da guerra e bandos de criminosos dentro do governo também recrutam os jovens para os seus propósitos sujos. Os jovens viciados em grandes cidades no Afeganistão, incluindo Cabul, têm sido tratados como animais e não há responsabilidade contra este segmento vulnerável da sociedade.

Os impactos negativos do ópio e esses negócios sujos do capitalismo não são limitados à juventude afegã, mas a milhões de jovens no mundo que sao vítimas desse demônio. As vidas de milhões de jovens não são importantes para os capitalistas, ele apenas procuram o seu lucro em qualquer negócio, seja ópio ou heroína, guerra, produção de armas de destruição em massa, armas nucleares, guerras e doenças artificiais.

AFEGANISTÃO: A juventude é a vítima do tráfico do ópio de EUA e OTAN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *