Caderno de Resoluções 14º ENJR

Caderno de Resoluções 14º ENJR

Este caderno da Juventude Revolução publica as resoluções adotadas no 14º ENJR, depois de 3 dias de livre discussão e debate, durante o período de 22 a 24 de julho de 2016 na cidade de São Paulo, onde estavam reunidos 58 delegados vindos de 10 estados do país. Além de adotar as resoluções abaixo, o ENJR ainda elegeu Conselho Nacional da Juventude Revolução. Baixe o caderno de resoluções do 14º ENJR

14º Encontro Nacional da JR reafirma: “Fora Temer! Nenhum direito a menos!”

14º Encontro Nacional da JR reafirma: “Fora Temer! Nenhum direito a menos!”

  Nos dias 22, 23 e 24 de julho, na cidade de São Paulo, ocorreu o 14º Encontro Nacional da Juventude Revolução, com a presença de 58 delegados, eleitos em núcleos de 10 Estados. Foram três dias em que, além de eleger a nova direção da JR, fizemos um rico debate sobre a situação nacional e a luta da juventude e dos estudantes frente aos ataques do governo golpista.

Nota de orientação sobre o 14° ENJR

Nota de orientação sobre o 14° ENJR

Caros camaradas, Entre os dias 22 a 24 realizaremos o 14°ENJR na cidade de São Paulo. O encontro acontecerá no CEU Butantã, espécie de escola municipal especial, que tem um conjunto de atividades extracurriculares e boa estrutura. O local tem segurança 24h. O encontro, totalmente auto financiado, contará com a participação de delegados e observadores, militantes da Juventude Revolução. Durante os três dias e duas noites, dormiremos e nos alimentaremos no local. ?Quem é delegado e quem é observador? São delegados aqueles militantes eleitos em seus núcleos sobre a proporção de um para cada três militantes. São Observadores os militantes indicados como tais pelos núcleos que vão comparecer ao encontro e não foram indicados delegados, ou militantes de cidades onde não há núcleos ainda formados. Os delegados devem permanecer durante toda a atividade e terão direito a voto. Os observadores poderão participar total ou parcialmente das atividades e terão direito a voz. ?Que horas começa o encontro? Sexta feira às 14h tem inicio o credenciamento. Às 16h instalaremos o plenário. ?Que horas termina? Domingo às 13h termina a plenária final. Às 14h termina o almoço. ?Qual endereço? CEU Butantã, Avenida Engenheiro Heitor Antônio Eiras García, 1728 – Jardim Esmeralda, SP ?Como chegar? Aeroporto de Guarulhos: Pegar ônibus no aeroporto em direção ao Tatuapé (R$6,00 Aprox.). Descer no Metrô Tatuapé – linha vermelha. Pegar o metrô (R$3,80) até a estação República. Na estação República transferir para a linha amarela em direção à estação Butantã. Descer na Estação Butantã e andar até a 2° parada ao lado da estação, pegar o ônibus 715M-10 (Jardim Maria Luiza) e descer quase em frente ao local (16 paradas, R$3,80). Aeroporto de Congonhas: ônibus até estação são judas (R$3,80). Metrô São judas em direção à Sé. Na Sé transferir pra linha vermelha em direção à República. Na República transferir para linha amarela e tomar o metrô em direção à estação Butantã. Descer na Estação Butantã e andar até a 2° parada ao lado da estação, pegar o ônibus 715M-10 (Jardim Maria Luiza) e descer quase em frente ao local (16 paradas, R$3,80). Rodoviária Tietê: Metrô na linha azul em direção à Luz. Na estação Luz transferir para linha amarela em direção ao Butantã. Descer na Estação Butantã e andar até a 2° parada ao lado da estação, pegar o ônibus 715M-10 (Jardim Maria Luiza) e descer quase em frente ao local (16 paradas, R$3,80). ?Vai chegar antes das 14h de sexta? Preencha este formulário ⚠Precisamos muito saber!  A escola só autorizará a entrada as 14h, então temos que combinar pra onde vc vai antes. Vamos indicar alguns locais dependendo do horário que você chegar.⚠ ? O que devo trazer? Seu próprio prato, copo e talher! Colchonete, roupas de frio (está muiiiiitooooo frio!☃), de cama e de banho. Cobertores. Itens pessoais de higiene (escova de dentes, pasta de dentes, papel higiênico etc.). Camisetas e bandeiras da JR. ?Como será a alimentação? A inscrição no encontro dá direito a lanche e janta na sexta feira. Café, almoço, lanche e janta no

FORA TEMER! VOLTA DILMA PARA ATENDER AS REIVINDICAÇÕES DA JUVENTUDE!

Em alguns dias o governo golpista de Michel Temer mostrou suas garras. As medidas anunciadas contra a juventude são de artilharia pesada: desvinculação constitucional das receitas de educação, cobrança de mensalidades em universidades públicas, redução do Sistema Único de Saúde, aumento na idade mínima da aposentadoria, fim do fundo soberano do pré-sal. DEFENDER A EDUCAÇÃO PÚBLICA O golpe coloca o futuro da juventude em risco. Por exemplo, hoje, constitucionalmente, o governo federal é obrigado a investir na educação, no mínimo, 18% do que for arrecadado em impostos; os Estados e municípios investem 25%. O governo ilegítimo propõe acabar com essa obrigação (desvinculação constitucional das receitas), o que significa diminuir o investimento em educação. Outro exemplo é o fim do Fundo Soberano do pré-sal, que reserva parte da grana do pré-sal para educação. Esse é o objetivo do afastamento de Dilma pelo Congresso, num golpe organizado pelo Judiciário e aplaudido pela mídia, a serviço do imperialismo. Os áudios das conversas de Jucá, Renan e Sarney, vazados pela mídia, confirmam o golpe e o envolvimento do Judiciário, principalmente o STF, que nada tem de imparcial; na verdade, está por trás de toda trama golpista! Afinal, o STF, que impediu Lula de assumir o ministério e condenou dirigentes do PT, sem provas, é o mesmo que manteve Eduardo Cunha, ilegalmente, na presidência da Câmara até ele concluir o serviço e conduzir o impeachment. ORGANIZAR A RESISTÊNCIA A juventude, que sofre com a falta de professores nas escolas, de assistência estudantil nas universidades e com o desemprego, grita “Fora Temer!”. Se multiplicam manifestações nas ruas, praças, shows, contra o governo golpista. A assembleia na Universidade Federal de São Carlos, com mais de 2000 estudantes, que decidiu paralisar contra o golpe, demonstra a força da juventude, no momento em que a CUT abre a discussão de uma greve geral. É hora de dialogar e convencer cada jovem do que está em jogo! DEFESA DO MANDATO DE 2014, CONSTITUINTE! Está certa a UNE:“é preciso derrubar o impeachment, queremos um caminho que retome a legitimidade e a partir disso, aprofunde a democracia e a conquista de direitos”. Essa disposição de luta se opõe a qualquer tipo de armadilha como o plebiscito para antecipação das eleições presidenciais. Nessa situação, seria jogar a toalha. Setores golpistas, com apoio do imperialismo, tentam antecipar as eleições para ter um governo que tenha “legitimidade das urnas” para atacar nossos direitos. Não aceitaremos! Dilma deve retornar ao seu posto para que desta vez aplique outra política econômica que atenda os interesses da juventude. Isso exige caminhar com os que lutam contra o golpe, como propõe o PT, e não se aliar com setores da burguesia, adaptando-se às instituições herdadas da ditadura militar e submetendo-se aos interesses do capital internacional. Não se pode repetir esse erro. Como em 2013, Dilma tem que propor a convocação de uma Constituinte, ou seja, uma assembleia de representantes eleitos, que reforme de cabo a rabo as instituições podres do nosso sistema político, varrendo os corruptos do Congresso e

TODOS ÀS RUAS DIAS 18 E 31 DE MARÇO!

EM DEFESA DE LULA, DAS ORGANIZAÇÕES POPULARES E CONTRA O AJUSTE! A “condução coercitiva” de Lula e o pedido de prisão preventiva pelo Ministério Público de São Paulo mostram as garras do Poder Judiciário. As manifestações dos “coxinhas” pelo impeachment foi preparada com ataques à sede da UNE, UBES e ANPG em São Paulo, assim como sedes de sindicatos, da CUT, do PT e PCdoB. Essa ofensiva contra Lula e o PT quer pegar as organizações sindicais, populares e da juventude e suas conquistas. Não tem como ficar parado ou, de forma absurda, se negar a defender Lula e lutar contra o impeachment, como faz a extrema esquerda (PSTU e setores do PSOL). No momento que o ajuste fiscal do governo Dilma aprofunda a situação precária da educação: escolas superlotadas, sem merenda, sem professores e nas universidades a assistência estudantil está cada vez mais ameaçada e as bolsas diminuíram. Pra completar, o governo negociou o projeto de Serra no Senado, que retira a obrigatoriedade da participação da Petrobrás na exploração do Pré-Sal, entregando-o às multinacionais, o que afeta o investimento em educação e o futuro da juventude! FAÇA AQUI O DOWNLOAD DO PANFLETO É inaceitável que o governo que elegemos aplique uma política contrária aos nossos interesses! Inclusive, é o próprio partido da presidente, o PT, que exige dela mudança na política econômica, como a derrubada dos juros, por exemplo! O governo tem que mudar de política! Essa política só favorece aos golpistas que querem o impeachment, como o PSDB e a base “aliada” como grande parte do PMDB. O ditado popular está certo: quanto mais ela dá o dedo, mais eles querem o braço! Em resposta a esses ataques, a Frente Brasil Popular, junto com a CUT, UNE, convocou atos no dia 18 nas capitais e uma marcha à Brasília, no dia 31 de março, contra o golpe, em defesa de Lula, da democracia, da Petrobras e dos direitos e contra o ajuste fiscal e a reforma da previdência! A Juventude Revolução não tem interesses diferentes dos jovens, por isso, estará ao lado da juventude. Da nossa parte, entendemos que é preciso a mais ampla unidade para defender nossos direitos, barrar os golpistas e cobrar do governo que mude a política! Nesse momento, em que preparamos o 14º Encontro Nacional (26 a 29 de maio em SP) convidamos os jovens a se somarem a esta luta. Participe das discussões em nossos núcleos!

No Rio de Janeiro, núcleo da JR inicia arrecadação para o 14º ENJR!

No centro da preparação do 14º Encontro Nacional da Juventude Revolução está a independência financeira da nossa organização. É o que garante a nossa autonomia política. Por isso, o núcleo da JR no Estado do Rio de Janeiro rifará, através da tradicional “Rifa da Revolução”, no dia 20 de Abril, o livro “Trabalhadores Uni-Vos! Antologia Política da 1ª Internacional” da Editora Boitempo, com textos de Marx, Engels, Lafargue, Bakunin e outros. Neste livro é apresentado o Programa Politico da 1ª Internacional, além de discutir assuntos que, ainda hoje, estão na ordem do dia, principalmente diante da ofensiva mundial do imperialismo contra os direitos conquistados ao longo de 150 anso de luta de classes, como Internacionalismo, sindicatos, greve, herança, propriedade coletiva, Educação e muito mais. Além de concorrer ao sorteio do livro, ao contribuir com apenas R$ 2,00, você ajuda a independência de uma organização da juventude. Contribua!

14º Encontro Nacional da JR! Nenhum corte na educação, nenhuma escola fechada!

Em defesa da educação pública, na luta por um futuro! Nenhum corte na educação, nenhuma escola fechada! 2015 terminou com uma importante vitória para a juventude brasileira: os estudantes em São Paulo obrigaram o governador Geraldo Alckmin (PSDB) a recuar do seu plano de reorganização, que pretendia fechar centenas de escolas e salas de aula. Com mais de 200 escolas ocupadas, muita organização e disciplina, os estudantes – que contaram com enorme apoio popular, dos sindicatos e de trabalhadores – mostraram que lutar é o caminho para a defesa da educação pública, do direito da juventude – o nosso direito – a estudar e ter um futuro digno. Isso porque a escola está ameaçada, não só em São Paulo, mas em todo o país, como demonstra a luta dos estudantes de Goiás contra a militarização e a entrega das escolas às “organizações sociais”, empresas privadas que administram escolas públicas. Defender o ensino público contra o ajuste A política de ajuste fiscal do governo Dilma continua cortando gastos sociais em nome do “superavit primário”, destinado ao pagamento de juros da dívida, que engorda o bolso de banqueiros e especuladores. Combinado com a política de juros altos, o resultado é o aumento do desemprego e a recessão. Só no ano passado, R$11 bilhões foram cortados da educação. As universidades não tem dinheiro para pagar segurança, limpeza, contas e a assistência estudantil sofreu severos cortes. No Ensino superior são milhões de jovens disputando as vagas, que deveriam continuar crescendo para que todos tivessem o direito a estudar gratuitamente. Outros milhares brigam pelas vagas do FIES e do Pronatec, reduzidas com o corte. O ajuste atinge também os estados e municípios, diminuindo a arrecadação e os investimentos públicos. A educação básica que já sofria com a falta de investimentos, com escolas sem laboratórios, bibliotecas ou quadras cobertas, com professores mal remunerados, está agora ameaçada com o fechamento de salas, das próprias escolas ou com a privatização. Para justificar os ataques à educação, se inventam todo tipo de desculpas ou teorias. Em SP, por exemplo, Alckmin se esconde atrás da “reorganização em ciclos” (uma tentativa de dividir as escolas, separando ensino médio do fundamental, facilitando a aplicação da “aprovação automática”), tudo para cortar gastos, enquanto rouba o dinheiro da merenda. Mas por trás das desculpas, das falsas justificativas, estão os interesses daqueles que querem preservar o sistema capitalista com “tudo” que ele tem a nos oferecer. Nessa crise os empregos, que já começam a faltar para a juventude (quando existem!) são sempre os mais precários, e agora ainda se fala em aumentar a idade para a aposentadoria com uma reforma da previdência, o que na prática significa que os jovens terão que trabalhar mais para ter o direito a se aposentar. A juventude negra brasileira tem sido alvo de um verdadeiro genocídio nas periferias. São mais de 30 mil jovens mortos por ano, grande parte assassinados pelas mãos de uma polícia militarizada. A juventude quase não tem acesso ao lazer, à cultura e a diversão. Nas