Primeiro a gente salva o povo, depois a economia

Primeiro a gente salva o povo, depois a economia

se liga na fala do Lula sobre esse governo autoritário e irresponsável que não cuida da população durante a pandemia Bolsonaro começou a semana soltando uma MP que autoriza os patrões a despacharem seus trabalhadores para casa sem salário e direitos trabalhistas por até quatro meses em função do corona vírus. Em menos de 24 horas, diante da pressão de diversos setores, retirou esse artigo da medida. Já tínhamos visto ele autorizar redução da jornada de trabalho com redução de salário. Na crise do capitalismo que a pandemia evidencia, o objetivo dessa governo autoritário é salvar os patrões e deixar o povo morrer, literalmente tendo que escolher entre saúde e salário. Enquanto isso, no congresso nacional, a comissão mista da Carteira Verde e Amarela aprovou relatório numa seção esvaziada e agora remete a MP pra votação em plenário. Continuam seus trabalhos como se nada estivesse acontecendo no país e no mundo. A verdade é que esse caos poderia ter seu efeito drasticamente reduzido se houvesse investimento real no SUS. Pelo contrário, desde a EC 95 ele já perdeu 22 bilhões de reais. Pra “salvar o país” da crise que o próprio governo alimenta querem destruir ainda mais nossos direitos. Não aceitamos isso. No vídeo, o Lula bem disse que o governo deveria estar mais preocupado em ajudar as pessoas a sobreviverem do que com a sua própria imagem no espelho. Deveria aumentar o investimento na saúde e gastar mais dinheiro garantindo salário dos trabalhadores pra que todo mundo fique em casa se prevenindo da doença. Bolsonaro faz o contrário: se o trabalhador quiser ficar em casa, vai ter que abrir mão do salário. Cada dia mais sentimos na pele os ataques desse governo. A saída pra essa crise aprofundada pela pandemia passa, cada vez mais, pela necessidade de dar um fim nesse governo autoritário.