Há alguns dias a Juventude Revolução enviou às organizações politicas de juventude uma carta que explicava e propunha que:

“Neste ano, ao redor do dia 31 de março, em protesto contra a comemoração do golpe militar de 1964, aflorou com mais força o sentimento vivo da juventude que em diferentes cidades do país se mobilizou por justiça. Pela punição dos criminosos, dos assassinos e torturadores que agiram em nome dos governos da Ditadura Militar. Ditadura instalada com o apoio do imperialismo estadunidense, o engajamento do grande patronato para super-explorar os trabalhadores, e a participação entusiasta do latifúndio e da reação em geral. Companheiros e companheiras, nós, da Juventude Revolução, nos dirigimos a vocês neste momento, independente das diferenças que possam existir entre os diversos grupos e forças, para propor trabalharmos juntos pela mais ampla unidade numa agenda comum nacional de mobilizações pela punição aos crimes da ditadura.”

Com discussões em curso e uma reunião entre organizações de juventude marcada para o dia 17/04 em São Paulo, os militantes da JR tem buscado discutir com as organizações e preparar mobilizações comuns para avançarmos nesta luta.

Uma primeira resposta da companheira Carla Bueno, da coordenação do “Levante popular da Juventude” sobre a nossa carta mostra o desenvolvimento da discussão: “Acho que a iniciativa é por ai mesmo, temos agora que engrossar o caldo e ir além dessa pauta. Temos muitas questões na luta da juventude, e essa reunião nossa (a de juventude no dia 17.04) vai servir para a gente afinar a viola e organizar a luta”.

Agora precisamos ampliar ainda mais este debate, organizando discussões e reuniões nos estados com outras organizações para programar ações e manifestações que exijam a punição dos crimes da ditadura.

Para alimentar a discussão e trocarmos experiências, os companheiros que tiverem declarações de outros militantes e organizações podem enviar para nosso email. Essa é uma maneira de mostrar como temos buscado construir essa unidade na prática.

Construir a unidade na luta pela punição dos crimes da ditadura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *