Os movimentos sociais, partidos de esquerda, organizações de jovens se reuniram em BH, no dia 04.09, e formaram a Frente Brasil Popular (FBP) para defender a democracia e lutar contra o ajuste fiscal, convocando um ato nacional para o dia 03.10. A data é a ocasião do aniversário da Petrobras, atacada hoje por todos os lados, num momento em que os petroleiros entram em greve geral para defender a empresa. A direção da UNE, pressionada pela base, anunciou o dia 06.10 para a Caravana à Brasília contra os cortes na educação, o ajuste fiscal e em defesa da democracia, decidida no 54º Conune.

A Juventude Revolução estará presente nas ruas! Para nós, a democracia está diretamente ligada à defesa dos direitos dos trabalhadores e da juventude. Por isso, dizemos “Em defesa do mandato! Abaixo o plano Renan Levy!”. Afinal, o que é democracia para os estudantes e jovens senão a garantia de universidades e escolas públicas de qualidade, por exemplo?

A batalha, agora, é mobilizar cada jovem para o dia 03.10; e, nas universidades, mobilizar cada estudante para construir a Caravana da UNE no dia 06.10 e, em Brasília, exigir do governo que aplique outra política econômica e reverta os cortes na educação!

Fora Levy! Eu quero a Dilma que eu elegi!

Um novo pacote de ajuste “surgiu” 5 dias depois da agência de ratting Stand & Poor´s rebaixar a nota do Brasil para “mau pagador” justamente por que, segundo eles, o governo não conseguia cumprir o ajuste fiscal! Ora, a resposta do governo foi rápida: mais ajuste para conseguir atingir a meta do superavit primário, que alimenta o bolso dos banqueiros e especuladores. Além de suspensão de concursos (menos emprego) e adiamento no reajuste dos servidores federais, o anúncio, feito por Levy e Barbosa continha o frontal ataque de um corte de mais R$26 bilhões!

Com o ajuste fiscal do Plano Levy, todo jovem sente na pele os seus direitos sendo atacados! Esse ajuste já cortou R$11 bilhões no orçamento da educação! As consequências são visíveis: universidades públicas paradas, acesso ao FIES dificultado. O efeito dominó do ajuste arrocha o orçamento dos Estados e municípios, rebatendo nas escolas, que sofrem com falta de investimento, já que os governos têm menos grana para investir. Portanto, menos livros, menos reforma, menos escolas, menos professores, menos merenda. Além disso, o Plano Levy já destruiu MEIO MILHÃO de postos de trabalho. Nas indústrias, onde a maioria dos trabalhadores são jovens, os patrões demitem em massa! Com o Plano Levy, já temos a pior geração de emprego desde 1999!

Mas nós não elegemos Dilma para aplicar o ajuste e fazer superavit, alimentando o bolso dos banqueiros! O conteúdo do voto dado a Dilma foi para atender as reivindicações da classe trabalhadora e da juventude! A defesa do mandato popular é a defesa dos direitos dos trabalhadores e da juventude! Dilma precisa ouvir quem a elegeu! Fora Levy! Não ao ajuste fiscal!

Todos às ruas no dia 03.10! Rumo à Caravana da UNE contra os cortes na educação!

Editorial: Todos às ruas contra o ajuste fiscal e os cortes na educação!