O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés do PSL, vetou o projeto de lei número 48/2017 aprovado pela Assembleia legislativa, que trata do uso do nome social e reconhecimento da identidade de gênero de travestis e transexuais na administração e escolas públicas do estado.

O PL diz que travestis e transexuais têm direito à identificação pelo nome social em fichas de cadastros, formulários, prontuários, registros escolares e documentos semelhantes para atendimento por qualquer órgão da administração pública.

Este retrocesso mostra bem qual será a tônica da gestão de Moisés, governador que é do mesmo partido de Jair Bolsonaro: ataques cada vez maiores aos direitos democráticos. Moisés representa em Santa Catarina o projeto de Bolsonaro, que já em seu primeiro dia de governo, retirou o público LGBT das diretrizes dos direitos humanos. Desde a sua eleição, inúmeros ataques à LGBTs já foram registrados, agravando ainda mais a situação dessa população que já sofre com o maior índice de violência contra LGBTs do mundo.

A Juventude Revolução convida os e as jovens a se organizar e resistir contra os ataques do governo antipovo de Bolsonaro às populações LGBT! Nome social é direito! Homofobia é crime!

Titi – Militante da JR/SC

Em Santa Catarina, governador do PSL veta uso de nome social no serviço público estadual
Classificado como:                    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *