Passado o Plebiscito da Constituinte, a luta segue, no momento atual através da campanha para eleger candidatos comprometidos com a pauta da Constituinte do Sistema Político. E principalmente para eleger Dilma do PT. É dela a principal responsabilidade, como atual presidente e sendo ela a candidata do Partido dos Trabalhadores, que afinal nasceu justamente para mudar as instituições políticas que a ditadura deixou, e que pode mobilizar a força social necessária para conquistarmos a constituinte.

Por isso, a JR batalha para que Dilma encabece a luta pela constituinte, mobilizando no congresso nacional pela convocação. É por isso que estamos na mobilização para reelegê-la, e depois iremos cobrar isso!

Em São Paulo, a Juventude Revolução decidiu participar da campanha para deputada estadual de Misa Boito 13031, e para deputado federal de Adriano Diogo 1368, ambos envolvidos desde o princípio na organização do Plebiscito Popular.

Eles também assumiram compromissos de, junto com a juventude, batalhar pela ampliação de vagas nas universidades públicas, pela recuperação das escolas de São Paulo, desmilitarização da PM e punição dos crimes da juventude. Também chamamos voto para Padilha 13, governador, e Suplicy 131, senador. Que também participaram manifestaram seu apoio ao Plebiscito Popular.

No último domingo (21), as atividades da campanha começaram cedo, com mutirão para panfletar no bairro Jardim Santa Terezinha, na Zona Leste de São Paulo, junto com companheiros petistas. O tempo chuvoso não afugentou ninguém!  Percorremos as ruas, entregando panfletos em casas e para a população que estava na rua. As candidaturas do PT receberam amplo apoio da maioria da população.

À tarde, no Parque da Juventude, a JR participou de um debate público organizado junto com outros jovens, preocupados com a possibilidade de retrocesso que é representado por Marina Silva do PSB.

O debate foi frutífero, não só pudemos discutir as dificuldades da campanha entre a juventude (que tem a ver com a política da direção do PT de se aliar com PMDB e velhos corruptos como Collor e Sarney), mas também compreender a necessidade de eleger Dilma para cobrar as reivindicações da juventude. Como resultado, decidimos que é preciso levar essa posição para os jovens e jogar na prática o nosso papel pela eleição de Dilma. Por isso, vamos panfletar no próximo domingo, às 14h, no Parque do Carmo, em Itaquera.

Na reta final da campanha, a Juventude Revolução tem também uma agenda de panfletagens em escolas, faculdades e portas de empresas.

Em SP, campanha para eleger candidatos comprometidos com a luta da juventude e com a constituinte!