Na madrugada de 2 para 3 de setembro, o Brasil presenciou mais uma tragédia provocada pela política golpista. O projeto de desmonte do serviço público e sucateamento da educação, pesquisa e cultura que vem sendo implantado pelo governo golpista de Michel Temer acaba de fazer mais uma vítima: o incêndio do Museu Nacional na Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro. O acervo histórico foi quase que completamente destruído, cerca de 20 milhões de itens catalogados viraram cinzas.

O incêndio no museu e os sucessivos ataques ao setor museológico, já muito precarizado, impulsionou a luta dos estudantes de museologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Os estudantes e professores do curso de Museologia paralisaram suas atividades em defesa do MArquE – Museu de Arqueologia e Etnologia da UFSC – que também se encontra com a estrutura comprometida.

Os estudantes levaram uma carta ao Reitor reivindicando investimentos. O curso também se posicionou contra a proposta de Michel Temer de extinção do IBRAM, órgão vinculado ao ministério da cultura que coordena políticas públicas para museus no Brasil, para criar a ABRAM, uma Organização Social que viria a gerir os museus nacionais. Um passo na via da privatização dos museus brasileiros.

A ofensiva golpista contra a educação, ciência, cultura e tecnologia, só pode ser barrada por um projeto. O projeto de Lula levado a frente por Haddad e Manuela, que propõe reversão das contrarreformas e das medidas dos golpistas através de uma Constituinte Soberana, com representantes eleitos pelo povo, para passar o Brasil a limpo!

Não à EC 95! Não à precarização e privatização dos museus!

Haddad é Lula com Constituinte!

Laura Gomes, militante da Juventude Revolução do PT em SC.

Estudantes de museologia paralisam em defesa do museu da UFSC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *