Estudantes do Centro Educacional 07 do Gama (DF) fizeram um abaixo assinado exigindo providencias da Direção da escola, pois afirmam ter sido vítimas de agressão verbal por parte de um professor de Artes que além de hostilizá-lo(a)s praticou machismo, homofobia e racismo.

Uma aluna do Terceiro ano diz ter sido assediada pelo professor que tentou beijá-la a força, um estudante da mesma turma disse que foi vítima de homofobia apenas pela cor rosa da capa de seu celular, e as denúncias não param por ai. “Fui constrangida na frente de toda a turma. Para completar o professor disse que mais uma mulherzinha fresca em seu caminho não faria diferença quando ameacei ir à Direção da escola”. É o que afirma outra estudante.

Insatisfeitos com tal situação, os estudantes das diferentes turmas, resolveram agir e elaboraram o abaixo assinado. Uma aluna deu inicio a mobilização e dois dias depois já havia sido recolhidas mais de 200 assinaturas só na última Quarta-feira (17/09). As assinaturas foram entregues a Direção que transferiu o professor para a Regional de Ensino, segundo informações da Coordenação da escola.

Ficou-se sabendo que o professor já havia sido transferido de outras escolas por motivos semelhantes. Sempre estivemos junto com os professores na luta pela valorização da carreira e pela garantia do direito de greve e continuaremos, mas não nos curvaremos as opressões deste tipo. Lênin afirma em “As Operárias” que o proletariado não chegará a emancipar-se completamente se não conquistar para as mulheres uma liberdade completa.  É um absurdo  termos professores com essa postura atuando em sala de aula.

Ângela, militante da JR no DF

Estudantes do Distrito Federal fazem abaixo assinado contra professor machista e preconceituoso