clique na imagem para baixar a convocatória

O Brasil sofreu um golpe para destruir os direitos e atacar a soberania nacional. A educação teve o investimento limitado por 20 anos e sofreu graves cortes orçamentários, o Ensino Médio teve reforma que retirou conteúdos, os trabalhadores sofrem com a aprovação da reforma trabalhista e toda a nação é ameaçada com o plano anunciado de privatizações. Temer, o congresso e o judiciário, rezando a cartilha do capital financeiro querem avançar sobre todos os nossos direitos e conquistas, impedindo a juventude de ter direito a um futuro digno! Mas a luta da juventude em 2016 com centenas de ocupações de escolas e mobilizações, a greve geral de abril dos trabalhadores e suas organizações mostraram a disposição de resistência, que apesar das dificuldades, precisa prosseguir. Só através da luta é que poderemos defender nossos direitos!

RESISTIR ÀS MEDIDAS GOLPISTAS

Nas universidades pagas os estudantes sentem insegurança para continuar estudos. É escancarada a precarização do ensino. Para tentar salvar os lucros os tubarões de ensino, na FMU, por exemplo, demitem professores para substituir aulas presenciais por disciplinas online. Na Universidade Católica de Brasília, aumento de mensalidades é abusivo ao mesmo tempo em que fecham prédios de aula e diminuem carga horária de disciplinas presenciais e complementam com aulas online. O “Novo FIES”, Medida Provisória do Ministro da Educação Mendonça Filho (DEM), traz novas restrições para 2018 e reduz vagas. Contratos poderão ser feitos diretamente com bancos privados que lucra¬rão à custa dos estudantes. Além disso, querem acabar com período de carência e descontar 30% do salário do estudante, caso tenha emprego, para quitar financiamento.

As universidades públicas são arremessadas no caos. Várias já anunciaram não ter condições de se manter após setembro devido ao brutal corte do orçamento. Administram a crise e os cortes afetam os estudantes. Na UFBA, cortaram 226 auxílios-moradia em decorrência do corte de 3,5 milhões nesta universidade no orçamento do PNAES (Programa Nacional de Assistência Estudantil) que está contingenciado para todas universidades, ameaçando milhares de estudantes. Na UnB, com déficit de 100 milhões mais de 300 funcionários terceirizados assinaram aviso-prévio, o RU teve cortes de alimentos e as contas de água, luz, telefone e salário de estágios após setembro não terá como ser pagos. A UERJ teve as aulas suspensas por tempo indeterminado e as condições precárias de manutenção fazem crescer a evasão de estudantes. Esses exemplos se repetem por todo país e a ameaça de fechar portas de outras universidades aumenta cada dia.

Os estudantes secundaristas estão na rota da destruição da educação. A Reforma do Ensino Médio reduziu conteúdos. Aumenta a militarização de escolas como no Rio Grande do Sul onde governador Sartori (PMDB) executa projeto “Exército nas Escolas”, fato que não é novidade para estudantes do Goiás e Alagoas. Lugar do exército é no quartel! No DF, escolas tiveram atraso no recebimento dos repasses de verba para manutenção, o que alguns se aproveitam para propor cobranças de taxas. As escolas precisam de professores e verbas públicas e não de soldados e repressão ao direito de organização de estudantes e professores por melhores condições de ensino e salários.

Milhares de jovens são assassinados diariamente pela Polícia Militar, é um verdadeiro genocídio da juventude negra. Segundo o “Mapa da Violência de 2016” entre 2003 e 2014, a taxa de homicídios de negros aumentou 9,9% (24,9 para 27,4). A vitimização negra do país duplicou: em 2014 foram 158,9% vítimas de arma de fogo (71,7% em 2013). Quando não matam pela ação direta ou pela omissão, que lança milhares de jovens nas drogas e na violência, encarceram jovens, sobretudo negros, com o auxílio nefasto do Ministério Público e judiciário, como no caso de Rafael Braga.

O direito ao Passe Livre também é atacado. Em São Paulo, o prefeito Dória (PSDB) reduz passe livre para 4 viagens de duas horas, quando estudantes tinham direito a 8 durante 24h. Na prática quem mora longe ou tem atividades extracurriculares fica sem condições de ir, muitos abandonarão estudos e atividades.
É sucateando a educação pública em todos níveis, impossibilitando nosso direito de ir e vir, nos empurrando para fora das escolas e universidades que querem nos lançar no desemprego crescente que assola principalmente os jovens. Aqueles que conseguem um emprego se deparam com baixa remuneração, carga horária elevada e sem garantias, ainda mais depois da Reforma Trabalhista e, nessas condições, querem nos fazer trabalhar até morrer se aprovada a Reforma da Previdência.

LUTAR PARA ABRIR UMA SAÍDA POLÍTICA!

A profunda crise em nosso país é resultado do apodrecimento do Congresso corrupto, do Executivo golpista e, também do judiciário perseguidor a serviço do capital financeiro. Os três podres poderes não têm a menor credibilidade junto ao povo, especialmente na juventude. Foram essas instituições que serviram para aplicar o golpe desde o impeachment sem crime de responsabilidade de Dilma, atacam os direitos e a soberania e, agora, querem tirar do páreo o ex-presidente Lula através de uma condenação sem provas da Lava Jato, quando Lula é o candidato preferido, inclusive entre jovens, em todas as pesquisas e cenários.

A Juventude Revolução, que nasceu solidária ao movimento de fundação do PT como instrumento político dos trabalhadores, não tem dúvidas que o ataque contra o próprio PT e Lula é também contra os trabalhadores e a juventude. Por isso, combatemos no 55º Congresso da UNE, junto com as forças da juventude do PT, para aprovar a defesa de Lula contra a perseguição e impedimento de sua candidatura. Eleição sem Lula é fraude!

São os mesmos interesses que querem impedir o povo da Venezuela decidir seu futuro após elegerem uma nova Assembleia Constituinte. Nós que apoiamos a iniciativa do Acordo Internacional dos Trabalhadores (Acit) na convocatória da Conferencia Mundial Aberta reafirmamos: contra guerra e exploração, não a ingerência imperialista na Venezuela!

A luta contra os cortes é também contra o governo golpista que tenta inviabilizar a continuidade da ampliação do acesso, vagas e verbas conquistadas nos governos do PT. Enquanto o governo ilegítimo estiver de pé, sucessivos ataques contra nós estarão sendo armados.

Agora, querem se salvar numa contrarreforma com eleição distrital e fundo público. A primeira trata-se de um modelo de eleição que exclui os votos na legenda favorecendo os candidatos individualmente, enfraquecendo os partidos, privilegiando os atuais mandatos, especialmente os de estados predominantemente rurais em que coronéis mandam e desmandam. O segundo propõe um fundo público, na verdade, não-exclusivo porque mantém a doação de pessoas físicas, ou seja, querem garantir apenas mais uma fonte de financiamento garantindo a continuidade da lógica de quem manda nos mandatos é o poder econômico.

Não é o judiciário, nem o Congresso, muito menos esse governo quem tem a legitimidade para decidir os rumos do país. Estas instituições estão desmontando e destruindo os direitos, as suadas conquistas e a soberania do país.

Nesta situação, a candidatura Lula tendo como primeiro ponto do programa uma uma Assembleia Constituinte Soberana (unicameral -sem Senado, proporcional – um eleitor, um voto, com voto em lista – fechada e financiamento público exclusivo) é o único caminho para reverter o retrocesso e avançar. Queremos Lula presidente com Constituinte para anular as medidas dos golpistas como o teto de gastos, a Reforma do Ensino Médio, a entrega do Pré-sal, a Reforma Trabalhista e abrir caminho para as reformas populares como a Reforma Política, agrária, a regulamentação da mídia e as demandas da juventude como a desmilitarização da PM, o Passe Livre, aumentos de verbas e vagas para educação pública.

Uma candidatura com essa plataforma é capaz de reunir o amplo apoio necessário junto com a força do povo oprimido, dos jovens e trabalhadores organizados, mas sem golpistas nem aliados duvidosos.

Devemos nos apoiar nas entidades estudantis e de juventude, pastorais, grupos culturais, dialogando com a juventude onde estiver para organizar a resistência e, junto com trabalhadores, lutar para abrir uma saída política para o país: Lula presidente com Constituinte para defender os direitos da juventude e retomar tudo que os golpistas retiraram!

Neste momento, em que a juventude aflui em massa à Caravana Lula passa pelo Nordeste, chamamos você a se engajar conosco nesta luta. Organize-se com a JR!

É diante dessa situação política que nos dias 21 e 22 de outubro realizaremos a Plenária Nacional da Juventude Revolução, em Brasília. Nosso objetivo é prepararmos o próximo período onde estará em jogo o futuro da nação, o nosso próprio futuro, passando a JR de um agrupamento de centenas para a escala de milhares!
Cada núcleo da JR está chamado a fazer reuniões abertas para organizar a resistência e eleger seus delegados.
Para fazer nossa Plenária e garantir ida dos delegados e a estrutura necessária temos que arrecadar de forma independente, afinal quem paga a banda escolhe a música. É hora de fazermos pedágios, festivais de comidas, rifas, livro de ouro com colaboradores, festas, ofícios a sindicatos e parlamentares, bancas para venda de materiais (camisas, botons, etc.), dentre outras iniciativas.
Você que quer resistir e lutar por um futuro digno para juventude: venha debater, participe das reuniões e lute conosco!

Fora Temer! Lula com Constituinte!

Conselho Nacional da Juventude Revolução

⬇ baixe aqui a convocatória

Plenária Nacional da Juventude Revolução – 21 e 22 de outubro, Brasília
Classificado como:                                                                

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *