Nalú Guimarães militante da Juventude Revolução no DF, UnB

A Juventude Revolução participou da Audiência Pública realizada dia 30/08 pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados para discutir o caso de Rafael Braga.

Trata-se do único “preso político” das manifestações de junho de 2013. Ele foi condenado injustamente sobre a suposta acusação de porte de material inflamável. O material em questão era o pinho sol e uma agua sanitária, produtos de limpeza. Rafael não estava sequer participando da manifestação.

Ao cumprir a pena em semiaberto, ocorreu a segunda prisão por porte ilegal de drogas, uma quantidade ínfima e implantada pela própria PM , foi baseada apenas no depoimento dos policiais. A justiça se recusou a ouvir o depoimento das testemunhas. Enquanto isso, o dono do helicóptero que carregava 450 kg de cocaína está solto e bem longe de ser preso.

Rafael Braga sofre maus tratos e está em um quadro grave de saúde , foi encarcerado injustamente em uma prisão racista e arbitrária . Rafael é mais uma vítima do estado racista que promove o genocídio da população negra e pobre. A polícia militarizada, herança da ditadura militar, atua como uma máquina de guerra , que quando não mata, encarcera toda juventude negra, sobre condições desumanas e em presídios superlotados.

Nós da Juventude Revolução além de lutar pela desmilitarização da PM, nos somamos à luta pela liberdade para Rafael Braga.

Livia Cairus, tesoureira do DCE UnB e militante da JR.

JR participa da Audiência pública que discutiu o caso de Rafael Braga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *