A Assembleia geral da UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina aprovou ontem, segunda-feira (2 de setembro), a proposta de suspensão do vestibular 2020, direcionada à reitoria e ao Conselho Universitário, que irão decidir acatar ou não essa deliberação. A proposta foi feita por setores do Diretório Central dos Estudantes (PCB, PSOL e JCA) e apoiada por setores de oposição ao DCE, sendo aprovada com muita tensão e assembleia dividida.

O argumento desses setores, que compõem a direção do DCE, apoiado por movimentos de oposição, é de que a suspensão do vestibular seria uma forma de anunciar à comunidade que sem recursos não tem como funcionar, pressionando o governo e intensificando as mobilizações fora da universidade. É a política do “quanto pior, melhor!”. A Juventude Revolução do PT, foi a única a se posicionar contra dentro da coordenação geral do DCE. Para nós, defender o acesso à universidade é tão importante quando defender a permanência! A suspensão do vestibular não é do interesse dos estudantes, é interesse apenas do governo autoritário de Bolsonaro, que desmonta nossas universidades, destrói nossa previdência e o nosso futuro.

Um representante do DCE apresentou a proposta argumentando que a suspensão do vestibular daria um “susto” no governo. Quem acha que este governo se “assusta” com o fechamento das portas da universidade, ainda não compreendeu o que é o governo Bolsonaro. O mesmo governo eleito com apoio de militares e de um judiciário vendido, amigo da milícia, que ataca a previdência, os recursos naturais, permite que milhões de jovens afundem no desemprego e age como soldadinho de Trump. O mesmo governo que estrangula o orçamento da universidade para não deixá-la funcionar sequer no mês que vem. O objetivo desse governo é justamente desmontar a educação e impedir que o povo acesse a universidade pública.

A juventude que se prepara para o vestibular da UFSC, é também uma juventude cheia de sonhos, que pode adentrar a universidade e se integrar à luta em defesa dela. A proposta de setores do DCE engana os estudantes e impõe uma derrota à milhares de jovens que sonham acessar o ensino superior. Entra no jogo de Bolsonaro, ajuda a empurrar ainda mais a faca que esse governo nos enfia e coloca freio às mobilizações dos estudantes, que na assembleia se mostravam dispostos a ir até o fim na luta pela reversão dos cortes, sem recuar um centímetro na defesa dos direitos! Os jovens mais atingidos por essa medida serão justamente os filhos da classe trabalhadora, que não podem pagar por um ensino superior privado de qualidade e possuem e UFSC como única perspectiva.

Não aceitamos o fechamento do Restaurante Universitário! E assim como não aceitamos os cortes no RU, também não aceitamos o congelamento das bolsas, e a suspensão do acesso à universidade! Queremos lutar para que mais estudantes possam acessar a educação pública, para que os calouros tenham o direito de entrar na universidade e juntar-se à luta em defesa dela. Não jogamos a toalha, a luta só começou e não aceitaremos nenhum retrocesso!

Danielle de Paula, militante da JRdoPT/SC e diretora da UNE.

Não abrimos mão de nenhum direito: contra a suspensão do vestibular!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *