No dia 28 de Novembro, 5 jovens negros foram executados em Costa Barros, no Subúrbio do Rio de Janeiro.  Foram mais de 100 tiros disparados e pelo menos 50 atingiram o carro onde estavam os rapazes. Após metralharem o carro,os PMs, plantando armas no local do crime, tentaram forjar um cenário de auto de resistência, que serve como uma permissão para matar.  Os policiais que executaram os jovens foram presos em flagrante – por fraude processual e homicídio doloso – graças a população local que rapidamente denunciou a chacina. Mas os jovens Roberto de Souza( 16 anos), Carlos Eduardo da Silva Souza (16), Cleiton Corrêa de Souza (18), Wesley Castro (20) e Wilton Esteves Domingos Junior(20), infelizmente, não são as primeiras e nem serão as ultimas vitimas dessa guerra que a policia militar trava contra os negros e pobres.

É necessário acabar com a desculpa institucional do auto de resistência que serve para a PM matar. E além disso é necessário pôr fim às operações de guerra, que faz com que os moradores de favela, de periferia, vivam em constante medo de a qualquer momento e por qualquer motivo, serem assassinados. E a saída é a desmilitarização da policia, pois é ela, a policia militar, a responsável por incontáveis torturas e chacinas. É necessário a desmilitarização da policia para acabar com essa lógica em que a PM é organizada para tratar o povo como inimigo em potencial.

Leonardo Ladeira (Ratão), militante da Juventude Revolução em Seropédica (RJ).

O genocídio continua: 5 jovens negros assassinados pela PM no RJ!