Manifestamos nosso apoio aos cinco companheiros, militantes da Juventude do PT, que estão sendo ameaçados e tendo suas vidas expostas.

Os companheiros Luiz Felipe Garcez, Adil Giovanni Lepri, Eduardo Victor Viga Beniacar, Rodrigo Mondego e Gustavo Santana protestaram contra a comemoração do golpe de 1964 feita por militares da reserva no dia 29 de março, no Clube Militar do Rio de Janeiro, em ato no qual militantes da JR também estavam presentes. Gustavo Santana, inclusive, sofreu agressão durante a repressão à manifestação e teve o braço quebrado, precisando ser operado.

Um site mantido pelo coronel da reserva Carlos Alberto Brilhante Ustra publicou fotos com o nome dos companheiros, locais onde eles trabalham, os emails e perfis de redes sociais. Os dados se espalharam por sites e blogs mantidos por militares, que estão postando diversas ameaças aos jovens pela internet. Eles também chegaram a receber várias ligações.

Vale lembrar que Ustra é ex-comandante do DOI-CODI de São Paulo, órgão de inteligência e repressão do Exército brasileiro durante a ditadura, reconhecido como centro de torturas à época.

Não aceitaremos qualquer ameaça e intimidação contra estes companheiros ou qualquer outro jovem que se manifeste pela punição dos crimes da ditadura!
Assim como não permitiremos que estas tentativas de cerceamentos nos impeça de lutar pela punição dos crimes cometidos pela ditadura e pelos seu agentes!
Vamos à luta a luta para que toda a verdade venha à tona, para que os torturadores e assassinos sejam punidos, para acabar com todos os empecilhos à democracia herdados da ditadura que persistem!
Por isso, a JR reforça o chamado à unidade pela punição aos crimes da ditadura!

Veja a notícia sobre o ato no rj
veja a carta às organizações de jovens pela unidade na luta pela punição dos crimes da ditadura

Solidariedade aos companheiros ameaçados por se manifestarem contra a ditadura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *