Congresso da JPT decide Marcha a Brasília em 15 de agosto

Congresso da JPT decide Marcha a Brasília em 15 de agosto

Ultrapassando as expectativas, mais de 1200 jovens de todo o país participaram do congresso nacional da Juventude do PT (JPT) em Curitiba (PR). Marcado pela unidade ao redor de Lula Livre, Lula presidente, o congresso reafirmou a candidatura Lula ligada à convocação de uma Constituinte, a realização de uma grande marcha da juventude à Brasília em 15 de agosto, dia da inscrição de Lula, e recompôs a direção da JPT, elegendo uma executiva de 22 membros e o militante carioca Ronald “Sorriso”, da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), como secretário nacional.

15º ENJR: Por direitos, democracia e futuro: Por Lula livre, Lula presidente!

15º ENJR: Por direitos, democracia e futuro: Por Lula livre, Lula presidente!

Depois de dois anos do golpe, é o nosso futuro que está ameaçado. Os ataques aos direitos e a prisão ilegal de Lula colocam a democracia em risco. A luta para retomar nossos direitos integra a luta pela liberdade de Lula e a garantia de sua candidatura. GOLPE CONTRA OS DIREITOS! Na crise do capitalismo, os imperialistas não suportam a menor concessão de direitos para a juventude e a classe trabalhadora. Precisam destruir todo e qualquer resto de garantia que conquistamos em diversos países do mundo. Por isso bombardearam a Síria, dando continuidade a sua política de guerra e, através do FMI e Banco Mundial, aplicam contrarreformas. Nessa via, fazem também um cerco político e econômico para derrotar a resistência do povo Venezuelano. E, no Brasil, patrocinaram um golpe jurídico-parlamentar. Nós conquistamos, num longo processo de resistência, principalmente durante os governos do PT, mais empregos, salário mínimo com aumento real, aprovamos 10% do PIB e 75% do Fundo Social do Pré-Sal para educação permitindo maior acesso dos filhos dos trabalhadores às escolas e universidades públicas. Nada disso tem espaço em uma política econômica que prioriza o bolso dos banqueiros ao invés dos serviços públicos, por exemplo. Para ampliar os ataques à juventude e aos trabalhadores, os golpistas aprovaram no congresso nacional a emenda constitucional 95 que congela os investimentos públicos por 20 anos! É essa emenda que hoje arremessa a educação no caos, sem orçamento, preparando um terreno que pode levar à cobrança de mensalidades e taxas nas escolas e universidades públicas, reduzindo as vagas e sucateando-as. O golpe desinvestiu no país, empresas fecharam, patrões estão demitindo de qualquer jeito, porque a reforma trabalhista foi aprovada, e nós saímos de mãos abanando. Aumenta assim, o desemprego e a informalidade levando mais jovens à rodoviárias e transportes públicos para vender doces, por exemplo. Nessa situação, a juventude negra “desaparece” e morre de bala “perdida” como nunca. Afinal, se o próprio governo ataca os direitos, também não vai garantir a vida de quem fica na mira de uma polícia militarizada. Os eventos culturais estão concentrados nos centros das cidades. Sem passe livre estudantil e meia entrada irrestritos, fica cada vez mais difícil o acesso à cultura. As atividades que acontecem na nossa própria quebrada são no improviso, muitas vezes sem espaço físico adequado. São os movimentos culturais que se desdobram para fazer acontecer, enquanto nós sabemos que esse é também o papel do estado. Falta cultura, falta lazer, falta esporte, mas o que não falta são as drogas, cujo principal objetivo é destruir fisicamente a juventude e, por consequência, a sua capacidade de luta. As drogas são oferecidas como saída porque justamente não querem nos garantir a verdadeira solução para os nossos problemas: emprego, educação, saúde, cultura e esporte. O SISTEMA ESTÁ PODRE! O assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e dos 5 jovens de Maricá demonstram o fracasso da intervenção militar no Rio de Janeiro. As instituições estão completamente apodrecidas e são rejeitadas pela grande maioria do povo. Afinal, quem acredita

No 1º de maio, todos às ruas em defesa dos direitos e por Lula livre!

No 1º de maio, todos às ruas em defesa dos direitos e por Lula livre!

Está mais que nunca na ordem do dia a defesa de Lula livre. Lula é líder em todos os cenários de intenção de votos para a eleição de outubro. Sua candidatura está a serviço da juventude e dos trabalhadores, por isso os golpistas de toga querem a todo custo tirar ele da disputa. Não vamos aceitar! Lula é o candidato do PT e do povo! Dia 15 de agosto o PT vai oficializar Lula como seu candidato! No primeiro de maio não tem tarefa mais importante que a defesa dos direitos e a luta por Lula livre! O golpe vem atacando os direitos dos trabalhadores e destruindo o futuro da juventude. Em seu discurso histórico no Sindicato dos Metalúrgicos, se comprometeu em realizar uma Constituinte. É o ponto de apoio para que todas as medidas dos golpistas sejam revogadas, federalizar o ensino médio, criar novas universidades públicas e escolas técnicas e adotar outras medidas que beneficiem o povo. A liberdade de Lula depende da nossa mobilização, depende da ampliação dos comitês Lula Livre para transformar a luta de milhares na luta de milhões. Nesse 1º de maio, dia Internacional dos Trabalhadores, vamos fazer ecoar a defesa de Lula, a defesa dos direitos, a luta pela garantia de um futuro para a juventude! Organize-se! Lute conosco! Lula livre! Lula presidente! Não tem plano B! Lula com constituinte!

APROVAR A GREVE GERAL DA UNB! Por recomposição orçamentária e autonomia universitária.

APROVAR A GREVE GERAL DA UNB!  Por recomposição orçamentária e autonomia universitária.

A Juventude Revolução (JR) participa ativamente da luta dos estudantes da UNB contra os cortes orçamentários e seus efeitos nefastos como a demissão de terceirizados, estagiários e tentativas de aumento do valor do RU. No último dia 10, uma grande mobilização na Esplanada dos Ministérios, organizada pelas entidades dos estudantes e dos trabalhadores da UNB, conseguiu estabelecer uma mesa de negociação com o MEC. No entanto, mal ela se instalou, pedras – que nada tem de “radicais”- foram arremessadas exatamente nas janelas onde começava essa negociação.

JR se prepara Caravana Lula em Floripa

JR se prepara Caravana Lula em Floripa

No dia 17/03, último sábado, a Juventude Revolução de Florianópolis realizou uma atividade onde reuniu jovens na sede da UCE (União Catarinense das e dos Estudantes), após panfletar em Universidades e escolas, com intenção de confeccionar materiais para Caravana Lula e discutir sua importância num momento em que o golpe se intensifica, o Estado de Exceção avança e Lula sofre uma perseguição política por parte do judiciário que tenta fraudar as eleições para nao deixar concorrer o representante do povo que pode inclusive ganhar a eleição em 1ºturno.

Em Santa Catarina, Juventude Revolução organiza oficina de camisetas em ocupação por moradia

Em Santa Catarina, Juventude Revolução organiza oficina de camisetas em ocupação por moradia

No dia 03 de março, a Juventude Revolução organizou uma oficina de confecção de camisetas na Ocupação por moradia, Jardim das Oliveiras, em Araquari – norte do estado de Santa Catarina. A ocupação tem hoje em torno de 162 famílias de trabalhadores sem teto, vindas de vários lugares do país. Em março do ano passado, a Polícia Militar invadiu a ocupação agredindo e humilhando as famílias que ocupavam. Desde então, uma associação do Jardim das Oliveiras vem sendo construída pelos moradores, organizando a resistência e o movimento pelo direito à moradia.

Março Vermelho: Por direitos, por futuro!

Março Vermelho: Por direitos, por futuro!

Todo ano a Juventude Revolução se propõe a construir o Março Vermelho, uma série de atividades dedicadas a relembrar a luta das mulheres e construir sua luta nos dias atuais. Se nesse tempo as mulheres trabalhadoras travaram grandes batalhas hoje enfrentamos batalhas diferentes mas igualmente grandes. O sistema capitalista de hoje, na fase dos monopólios, o imperialismo, não consegue atender as necessidades da população num geral e consegue atender ainda menos as demandas específicas das mulheres. Nossa luta está inteiramente ligada à luta pelo fim da exploração de classe porque são as mulheres, sobretudo negras, que predominam nos serviços mais precarizados, por exemplo, com as relações de trabalho mais instáveis e desprotegidas.