UnB em defesa da autonomia universitária

UnB em defesa da autonomia universitária

Golpistas ameaçam acionar o MPF contra curso oferecido pela universidade Num contexto de dezenas de medidas obscurantistas contra a educação, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) anunciou que pretende acionar o Ministério Público federal (MPF), numa ação judicial contra a Universidade de Brasília (UnB). O motivo: a oferta de uma disciplina no Instituto de Ciência Política intitulada: Tópicos especiais em ciência política: o golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil.

Estado de exceção acelera julgamento de Lula

Estado de exceção acelera julgamento de Lula

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região acelerou o passo e marcou o julgamento que irá decidir sobre o recurso que a defesa de Lula apresentou contra a condenação sem provas do juiz Sérgio Moro. De acordo com a média dos processos julgados no TRF4, todos esperavam que o julgamento de Lula fosse realizado em março. Mas os desembargadores resolveram acelerar o passo, marcando para 24 de janeiro. Como disse o insuspeito e odioso capacho da burguesia, Reinaldo Azevedo, comentarista político da RedeTV: “se isso (usar o julgamento para tirar Lula da eleição) não é verdade, não há razão para antecipar. E se isso é verdade, é absolutamente lamentável, por que estaríamos diante de um julgamento de exceção.”.

Se aprofunda o estado de exceção. Reitor e estudante da UFRJ são indiciados pelo MPF por manifestações contra o golpe.

Se aprofunda o estado de exceção. Reitor e estudante da UFRJ são indiciados pelo MPF por manifestações contra o golpe.

A Procuradoria da República abriu um processo contra Roberto Leher, reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e a estudante Thais Rachel George Zacharias, presidente do Centro Acadêmico de Engenharia. Segundo o procurador, o reitor e a estudante se utilizaram do patrimônio público “em benefício próprio, promovendo posições político-partidárias”, através de um ato que foi organizado em Março de 2016 contra o impeachment de Dilma, e da ida de Dilma à UFRJ, para falar do golpe, logo após o seu afastamento.