Estudantes da UFMT em greve contra o desmonte da universidade! Contra o aumento do RU!

Estudantes da UFMT em greve contra o desmonte da universidade! Contra o aumento do RU!

A Administração da UFMT apresentou no mês de fevereiro a proposta de mudança da política de alimentação do Restaurante Universitário, que até então tem a política de universalidade a R$ 1,00. A mudança prevê o fim do auxílio-alimentação em troca da oferta de regradas bolsas de gratuidade de acesso ao RU para aqueles que comprovarem maior vulnerabilidade socioeconômica e, o “restante” dos estudantes teriam de pagar R$ 5,00. Contudo, a resistência dos estudantes se fez valer e após um grande processo de mobilização a reitoria suspendeu a aplicação da mudança da política de alimentação.

Greve dos estudantes na UNB por recomposição orçamentária!

Greve dos estudantes na UNB por recomposição orçamentária!

A Universidade vive um déficit de 92 milhões nas contas em razão do teto orçamentário imposto pela Emenda Constitucional 95. A reitoria, sob pressão do MEC, erradamente, aplica um ajuste que consiste na demissão em massa de funcionários terceirizados, estagiários e propõe o aumento do RU de R$2,50 para R$6,50. A luta contra essas medidas acontece desde o ano passado e se intensificou nas férias contra o aumento do RU e, deu continuidade, com as novas demissões de terceirizados e estagiários.

APROVAR A GREVE GERAL DA UNB! Por recomposição orçamentária e autonomia universitária.

APROVAR A GREVE GERAL DA UNB!  Por recomposição orçamentária e autonomia universitária.

A Juventude Revolução (JR) participa ativamente da luta dos estudantes da UNB contra os cortes orçamentários e seus efeitos nefastos como a demissão de terceirizados, estagiários e tentativas de aumento do valor do RU. No último dia 10, uma grande mobilização na Esplanada dos Ministérios, organizada pelas entidades dos estudantes e dos trabalhadores da UNB, conseguiu estabelecer uma mesa de negociação com o MEC. No entanto, mal ela se instalou, pedras – que nada tem de “radicais”- foram arremessadas exatamente nas janelas onde começava essa negociação.

Estudantes ocupam as ruas de Brasília em defesa da UnB

Estudantes ocupam as ruas de Brasília em defesa da UnB

O dia 10 de abril foi um dia vitorioso para o movimento estudantil. Três mil estudantes, técnicos e professores pararam suas atividades e saíram às ruas em defesa da Universidade de Brasília. Há tempos nossa universidade vem enfrentando um ajuste fiscal que gera problemas como cortes nas bolsas de pesquisa, demissão do quadro de terceirizados, estagiários, proposta de aumento do RU e lida com a possibilidade de fechar as portas no final do semestre caso a situação não altere.

Golpistas cortam 29% do FIES

Golpistas cortam 29% do FIES

O ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou corte de 29% no Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). Com isso o corte no teto de financiamento mensal vai de R$ 7 mil para R$ 5 mil. Isso é equivalente a um corte de R$ 12 mil por pessoa num semestre, sendo o orçamento de antes de R$ 42 mil e agora R$ 30 mil semestral, o que dificulta acesso aos cursos de Medicina nas Universidades Privadas. Além disso o Fies, neste ano, oferece apenas 150 mil vagas, 100 mil vagas a menos do que no ano de 2016. De acordo com a senadora Regina Sousa (PT-PI), que já foi professora, ”o corte pegou muita gente de surpresa e vai aumentar a concorrência.” Isso significa deixar muitos jovens de fora da busca pela especialização; isso significa negar à boa parte da juventude o acesso à educação superior. É um absurdo! Num momento em que a política golpista de Temer anuncia corte de 45% das verbas destinadas às Universidades Federais e outros cortes na educação em geral dificulta o acesso nestas Universidades. E como o aumento do desemprego faz com que boa parte dos jovens tenham que trabalhar para poder ajudar em casa, eles têm menos chance de ter acesso a Universidade Privada sem uma ajuda do governo, o que dificulta ainda mais com o corte de mais de 60% nas vagas do Fies. E para reverter estes cortes como os outros ataques desferidos pelos golpistas contra a juventude e trabalhadores (como a PEC 55 que congela investimentos nas áreas sociais por 20 anos aprofundando o caos social) faz todo sentido a CNTE e ANDES tirarem o dia 15/03 para o começo da Greve Geral na Educação, um passo no sentido da Greve Geral por “Nenhum direito a menos” como propõe a CUT. A Juventude Revolução se dispõe a construir essa luta, lado a lado com os estudantes, mobilizando escolas, grêmios e a juventude a resistir aos ataques do governo golpista. Nenhum direito a menos, Fora Temer! Leonardo Ladeira, Militante da JR-RJ

NÃO À REFORMA DO ENSINO MÉDIO! Mobilizar pra o dia 15.03! Greve na educação!

NÃO À REFORMA DO ENSINO MÉDIO! Mobilizar pra o dia 15.03! Greve na educação!

O Senado Federal aprovou nesta quarta, 08.02, por amplíssima maioria, o Projeto de Lei de Conversão 34/2016 (antiga MP 746) da Reforma do Ensino Médio. Agora, o projeto segue para sanção do golpista Michel Temer que já afirmou: “É a segunda das reformas fundamentais para o Brasil, a do ensino médio. Vou ver se sanciono nesses próximos dias, muito rapidamente”. A pressa de Temer tem um objetivo: o governo golpista quer destruir o direito à educação pública e universal.