Primeira reunião da UNE chama 18 de março mas vacila na orientação

No dia 13/02, esteve reunida em São Paulo à diretoria plena da União Nacional dos Estudantes. A reunião acontece para dar ponta pé inicial às mobilizações de 2020. Ano que já começa com resistência aos ataques do governo Bolsonaro, como é a greve dos petroleiros – a maior desde 1995, além da greve dos servidores do Dataprev e da ocupação da Casa da Moeda. Na resolução aprovada, a UNE afirma que é preciso retomar às grandes mobilizações estudantis de 2019 agora com o mote “eu defendo a educação” e aprovou o tradicional março de atos estudantis, dessa vez se somando ao 18 de março da Greve Nacional da Educação chamada por CNTE e demais entidades.  Porém, a UNE vai às ruas no dia 18 por #ForaWeintraub, como se o problema fosse só o ministro e não o governo todo. Afinal, Fora Weintraub resolve o quê? Num momento em que existe resistência contra o desmonte do serviço público, as privatizações e os ataques a educação, o governo age com autoritarismo, com medidas extremamente antidemocráticas para dar vasão a investida contra todos os direitos. Basta ver os ataques a autonomia universitária, caçando reitores e servidores que apoiam as mobilizações. É neste momento, que os instrumentos de luta dos estudantes não devem fugir de combater até o fim.  Como apontam as resoluções do 57° Congresso da União Nacional dos Estudantes, realizado em 2019, nosso horizonte é por um fim nesse governo organizando a luta nas ruas contra todos os seus ataques. Não lutar de verdade contra o governo é fazer uma oposição envergonhada.  Weintraub é só mais um na troca-troca de ministros da educação dos últimos anos. E para a luta dos estudantes nada mudou. Trocam os atores mas não mudam os capítulos da novela do governo, a história é a mesma, cortes e mais cortes no orçamento, nas bolsas, na assistência estudantil… Trocar seis por meia dúzia no MEC não resolve, devemos combater esse governo que quer destruir o FUNDEB, principal fonte de recurso para educação básica, e que não satisfeito também corta verbas das universidades. Que quer acabar com a autonomia universitária, através da MP que altera o método de escolha dos reitores. Que quer perseguir o direito à organização estudantil, atacando a principal entidade dos estudantes – UNE. Lula Livre ficou pelo caminho. A resolução também falha em não apontar a anulação dos processos contra Lula como necessidade democrática. A questão foi bloqueada pela UJS (ligada ao PCdoB) e lamentavelmente setores da juventude do PT (Kizomba, Para Todos, Enfrente) entre outras, não defenderam até o fim que era importante dizer que Bolsonaro chegou ao poder em eleições fraudadas, que a lavajato prendeu o principal candidato do povo, Lula, para abrir o caminho pro retrocesso. A luta pela anulação dos processos de Lula é a luta em defesa da democracia, é o enfrentamento à esse sistema apodrecido, em particular o judiciário que ajuda a proteger esse governo de milicianos. E os governadores “progressistas”? A resolução aponta os aliados de Bolsonaro na

Rumo ao 7º Congresso do PT: “nosso papel é mobilizar e discutir”!

Rumo ao 7º Congresso do PT:  “nosso papel é mobilizar e discutir”!

No dia 26 de julho, acabou o prazo para as inscrições de chapa do Processo de Eleições Diretas (PED) do Partido dos Trabalhadores. A Juventude Revolução do PT participou desse processo em dezenas de chapas do Diálogo e Ação Petista (DAP), envolvendo centenas de jovens em todo o Brasil. “o nosso papel como juventude é mobilizar e discutir as propostas que serão levadas ao congresso.” mILITANTE DA JUVENTUDE REVOLUÇÃO DO PT, NO ESPÍRITO SANTO. Em todas essas chapas, junto com o DAP, estamos defendendo a autonomia da JPT, necessária para que o PT consiga organizar a resistência que se expressa nos jovens. Por isso, defendemos nesse PED ampliar a resistência pelo fim do governo de Bolsonaro, lutando contra a reforma da previdência, o desemprego e em defesa da educação pública e gratuita. Também defendemos a anulação dos julgamentos de Lula, combatendo por um governo encabeçado pelo PT, com Lula Livre para revogar as medidas de Temer e Bolsonaro. Nessa plataforma, defendemos a reforma radical do Estado, através de uma Assembleia Constituinte Soberana que mude as instituições golpistas. Em 2020, o PT deve ter candidaturas próprias nos municípios, onde possível, e com alianças programáticas numa frente antiimperialista com partidos como PC do B e setores populares do PSB, PDT e outros. É necessário fazer o balanço da conciliação dos 13 anos, que impediu o avanço nas medidas em defesa da juventude e do povo trabalhador. Com essa política, é hora de se jogar na campanha com toda a disposição, realizando a mais ampla discussão com o máximo de jovens petistas filiados! Listar os filiados nos locais, ir de casa em casa, conversar com amigos, vizinhos nos bairros e ruas! Sabemos que as regras do PED não nos favorece. Mais que isso: prejudicam o PT, pois é praticamente inexistente a discussão política com os filiados, que são chamados a votar no dia 08.09. Não concordamos com essas regras, mas as respeitamos e entramos no jogo pra ampliar ao máximo a discussão com cada petista. Como disse o jovem Werlis Mota na Bahia: “O Brasil precisa ser organizado! E dentre todos os caminhos possíveis, o PT foi o que mais atendeu a minha necessidade de luta. Sou jovem, gay, interiorano e negro! O PT abraçou todas as minhas causas e agora é minha vez de abraçar o partido como causa maior”. Nessa disposição, a JR do PT inicia a campanha do PED! Mãos à obra! Venha conosco! Rodrigo Lantyer, membro do Conselho Nacional da JR do PT.

Congresso da JPT decide Marcha a Brasília em 15 de agosto

Congresso da JPT decide Marcha a Brasília em 15 de agosto

Ultrapassando as expectativas, mais de 1200 jovens de todo o país participaram do congresso nacional da Juventude do PT (JPT) em Curitiba (PR). Marcado pela unidade ao redor de Lula Livre, Lula presidente, o congresso reafirmou a candidatura Lula ligada à convocação de uma Constituinte, a realização de uma grande marcha da juventude à Brasília em 15 de agosto, dia da inscrição de Lula, e recompôs a direção da JPT, elegendo uma executiva de 22 membros e o militante carioca Ronald “Sorriso”, da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), como secretário nacional.

Carta da Juventude Revolução ao congresso da JPT

Carta da Juventude Revolução ao congresso da JPT

Caros companheiros e companheiras, Ninguém duvida que vivemos um momento muito difícil. Ao prender Lula de forma ilegal, num processo sem provas o judiciário, com a pistola do exército apontada, avançou ainda mais o Estado de exceção no Brasil. A prisão de lula e a perseguição implacável ao PT ameaçam o futuro da nação e da juventude. É a expressão no Brasil dos ataques do Imperialismo que promove os bombardeios na Síria, o massacre de crianças na Palestina, o Bloqueio na Venezuela.