Não ao aumento da tarifa de ônibus em Salvador!

Não ao aumento da tarifa de ônibus em Salvador!

Desde dezembro de 2018, os empresários de ônibus em Salvador ameaçam aumentar a tarifa de ônibus. Os empresários falam em R$4,30. No Carnaval de Salvador (BA), a juventude recebeu a notícia de que o prefeito ACM Neto (DEM) já se manifestou a favor do aumento para R$4,00! É um absurdo! O prefeito e os empresários não se importam com a vida da juventude. O transporte já é caríssimo para o povo trabalhador. Tão caro que muitos estudantes deixam de ir a escola, aumentando a evasão. Os empresários só querem aumentar seus lucros e o prefeito ACM Neto (DEM), fiel aliado de Bolsonaro, quer encarecer a vida do povo e restringir direitos. Querem nos privar de acesso à educação, saúde, lazer, cultura, diversão e arte. Afinal, como os estudantes e trabalhadores jovens pagarão uma tarifa de ônibus tão cara? Querem tirar nossos direitos de todos os lados: o governo de Bolsonaro ataca a juventude com a mal chamada reforma da previdência, condenando os jovens a trabalhar até morrer; ACM Neto quer aumentar a tarifa de ônibus em Salvador. As organizações de jovens, junto às entidades estudantis em escolas e universidades precisam levantar a voz: SE AUMENTAR A TARIFA, A CIDADE VAI PARAR. NÃO AO AUMENTO DA TARIFA! PASSE LIVRE JÁ! Rodrigo Lantyer, membro do Conselho Nacional da JR do PT.

O passe livre fica! SP não está a venda!

O passe livre fica! SP não está a venda!

No dia 09 de agosto, a Juventude Revolução, em conjunto com os movimentos sociais, culturais e os estudantes da cidade de São Paulo, ocuparam por 48h a câmara municipal de São Paulo para dar um recado ao Prefake João Dória: Não aceitamos que venda nossa cidade e muito menos que prive a juventude de ter acesso a ela. A ocupação teve como centro a luta contra os PL’s de privatizações do governo Dória e também contra as recentes mudanças implementadas pela gestão ao passe livre estudantil, que priva a juventude de realizar, utilizando o passe livre, qualquer tarefa extracurricular, como ir ao museu, teatro, biblioteca, estágio, etc.

Aumento da passagem é revogado no DF, mas a luta não para! Por um transporte público, gratuito e de qualidade e que seja estatal!

Aumento da passagem é revogado no DF, mas a luta não para! Por um transporte público, gratuito e de qualidade e que seja estatal!

Ontem(12/01), a juventude e os trabalhadores obtiveram uma importante conquista: a revogação do aumento da tarifa do transporte que havia aumentado pra cinco reais. Em votação unânime, a Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou a revogação. Essa vitória foi resultante da pressão que o movimento estudantil e de trabalhadores fez nos últimos dias. Após o aumento de passagem para absurdos 5 reais imposto pelo governador Rollemberg, a Juventude Revolução e diversos outros movimentos de juventude se mobilizaram para derrubar a tarifa, mobilizando para diversos atos. Para o governador Rollemberg, esse aumento é justificável devido os gastos que benefícios como o passe livre estudantil e gratuidade a idosos e pessoas portadoras de necessidades especiais geram ao Governo do Distrito Federal. Assim como o golpista Michel Temer, no DF quem paga a conta da crise é o jovem e o trabalhador. Além de restringir o acesso à cidade, tal lógica serve para continuar enchendo bolso dos donos das empresas de ônibus. Para nós, não basta apenas revogar o aumento da tarifa. Se quisermos um transporte público, gratuito e de qualidade é necessário que seja estatal. Rollemberg já disse que irá recorrer dá revogação e já repensa a gratuidade do passe livre estudantil. A luta irá continuar em defesa de nossos direitos!

Nas ruas, contra o aumento da passagem!

Pelo passe Livre Estudantil e a estatização dos transportes O ano começou fervendo. Em diversas grandes cidades houve aumento de passagem, levando em várias dessas cidades estudantes e trabalhadores às ruas exigir a revogação do aumento. Na imensa maioria das cidades o transporte público está entregue ao controle de empresas privadas, o que exige a manutenção de uma taxa de lucro, custo que é repassado ao bolso do trabalhador, de maneira direta (pelo valor da tarifa) ou indireta com o poder público bancando através de um subsídio. Com o ajuste fiscal e a consequente queda na arrecadação de estados e municípios muitos prefeitos e governadores, mesmo em ano eleitoral, decidiram repassar o aumento diretamente à população. A Juventude Revolução tem participado das manifestações em São Paulo, no Rio, em Cuiabá, em Florianopolis – onde cerca de 300 estudantes participaram da primeira manifestação -, e outras ci dades, levantando não só a bandeira da revogação dos aumentos, mas defendendo também a necessidade de criar ou ampliar o passe livre estudantil e criar empresas públicas de transporte, rumo a completa estatização. Em São Paulo a passagem passou de R$3,50 para R$ 3,80. As manifestações tem sofrido uma brutal repressão da PM comandada por Alckmin. (com o inadmissível meio silêncio de Haddad, que não condenou a ação). No dia 12/01 a segunda manifestação não chegou a sair da concentração. O Choque cercou a manifestação de todos os lados e fez chover bombas de gás e bala de borracha. Repressão da PM em São Paulo. Assista aqui. Mas apesar da repressão a luta continua e coloca a necessidade de superar a falta de democracia do MPL que define sozinho o trajeto, em atos em que não há carro de som pra organizar a manifestação, comissão de segurança feito pelos próprios manifestantes etc. Além de exigir as reivindicações a JR tem discutido a necessidade criação de um comitê contra o aumento da passagem com entidades e organizações para que se crie um quadro democrático de organização e condução das manifestações. (Texto publicado em janeiro de 2016, no boletim nacional da JR. Confira aqui!)