Delegações UNE É PRA LUTAR se dirigem pra CONUNE em BH

Delegações UNE É PRA LUTAR se dirigem pra CONUNE em BH

Acontece durante os dias 14-18 de junho, em BH, o 55º Congresso da União Nacional dos Estudantes (CONUNE). A UNE completa 80 anos em 2017 e tem uma tarefa muito importante neste momento grave, se colocando a serviço da resistência. Com 80 delegados eleitos na base, e dezenas de observadores, as delegações UNE é pra Lutar! começam a sair dos seus estado e algumas já começam a chegar, como é o caso das delegações de Alagoas, Bahia e Espírito Santo. Durante o resto do dia e nos próximos dias, estão previstas as chegadas de mais delegações de todos os estados que fizeram o combate tanto para a eleger os delegados quanto para garantir a presença no congresso através de arrecadações independentes de partidos, ONGs, empresas, afinal, quem paga a banda escolhe a música e para colocar a UNE pra lutar, ela tem que tocar sua própria música! A crise política se aprofunda. Os golpistas se uniram para tirar a presidente Dilma (PT) do poder, mas depois da demonstração de força da classe trabalhadora na greve geral do dia 28 de abril, se desentendem sobre quem deve governar, Michel Temer ou outro, pois não sabem quem tem as condições de prosseguir as reformas e retirada de direitos, o principal objetivo do golpe. Seguem com a disposição, entretanto, de atropelar os direitos de estudantes e trabalhadores. Mesmo nas cordas, mesmo chafurdados na lama, Temer e o congresso avançam sobre os direitos estudantis, dos trabalhadores e sobre a soberania nacional, atendendo aos interesses do capital internacional, enquanto o Judiciário atropela a democracia e avança um estado de exceção no Brasil. É com este entendimento, pela defesa dos direitos, pelo Fora Temer, Diretas já e Constituinte pra mudar, que a tese UNE é pra lutar!, impulsionada pela Juventude Revolução, vai fazer o combate dentro do CONUNE. Serão 5 dias de discussão política e construção de um movimento estudantil forte e a serviço da resistência contra o golpe! PH – Militante da JR-AL Ao longo do congresso estaremos atualizando o álbum.   https://www.facebook.com/media/set/?set=a.1639473196130682.1073741848.365465853531429&type=1&l=6487a05315

Depois de parar o Brasil, vamos juntos ocupar Brasília pela Retirada da Reforma da Previdencia

Depois de parar o Brasil, vamos juntos ocupar Brasília pela Retirada da Reforma da Previdencia

A paralisação nacional no dia 15 e as mobilizações no dia 31, ambas em março, significaram a abertura de uma nova situação em nosso país. Foram iniciativas convocadas pela CUT e outras centrais sindicais que ajudaram a preparar a histórica greve geral do dia 28. O resultado foram categorias como metalúrgicos, bancários, professores de escolas públicas e privadas, rodoviários, metroviários, portuários, borracheiros, eletricistas, servidores públicos e em alguns locais o comércio parou, além de atos em várias cidades, capitais ou interiores. Foi uma demonstração de unidade e de uma crescente força de mobilização que reflete a disposição da classe trabalhadora e da juventude em impedir a retirada de direitos a qual tantos golpistas querem emplacar. Só o governo e sua mídia golpistas tentaram esconder! Mas com certeza eles sentiram o impacto. É preciso parar o país. Os piquetes ajudaram a materializar essa necessidade. Foi certa a decisão de jogar peso nas ações que garantia que não houvesse expediente ao invés de apenas chamar um ato ainda que eles também tenham tido sua importância. A Juventude Revolução em vários estados se envolveu nessa tarefa. Ao lado dos sindicatos fez piquetes, trancou vias, panfletou e fez coluna em atos resultante de toda essa mobilização durante o dia. Derrotar a reforma da previdência é possível e além de mobilização, exige atenção para não cair em armadilhas. Alguns parlamentares insistem em emendar o texto para torná-lo “menos pior” tentando salvar algumas categorias, na prática levando uma a se opor às outras. Está certa a CUT que rejeita as emendas e exige que a PEC seja retirada de tramitação para que não seja emendada e nem votada. Em outro sentido se comporta a UNE, dirigida majoritariamente pela a UJS. Na greve foi apequenada, não mobilizou a base a partir de assembleias como deveria. Onde houve assembleias como na UFSC, UNB e outras universidades e faculdades o resultado foi um engajamento maior e piquetes nos locais de estudo. O surpreendente, é que nesta conjuntura que se cria a força capaz de retirar a reforma da previdência, é que a direção da UNE despende forças em um abaixo assinado para emendar a PEC da Previdência negociando a manutenção das isenções fiscais das instituições filantrópicas que ofertam as bolsas do programa. Nos fatos, é uma campanha que divide o movimento e enfraquece a luta. Só a luta conjunta pela retirada da PEC 287 pode afastar a ameaça às bolsas do Prouni, pois nada impede que outra emenda do tipo seja incorporada, se continuar tramitando. A melhor defesa para que estudantes não percam suas bolsas e, o melhor caminho para defender os direitos, inclusive dos estudantes do PROUNI, é somar forças na luta pela retirada para que não seja votada. A PM e a Justiça tentam parar a mobilização Diante da mobilização, o governador do Goiás, Marconi Perillo (PSDB) mandou a PM reprimir brutalmente ao ponto de um policial quebrar um cassetete na cabeça do estudante da UFG Mateus Ferreira da Silva resultando em um traumatismo cranioencefálico e múltiplas

Em Arapiraca, a tese UNE é Pra Lutar elege seus delegados

Em Arapiraca, a tese UNE é Pra Lutar elege seus delegados

Durante os dias 24, 25 e 26 de abril, os estudantes da UFAL Campus Arapiraca elegeram seus delegados para participação no 55º CONUNE que acontecerá nos dias 14-18 de junho em Belo Horizonte – MG. A disputa contou com a participação de 4 chapas: Chapa 01 – Une é pra lutar; Chapa 02 – Vem quem tem coragem; Chapa 03 – Ocupa UNE; Chapa 04 – Fazendo sua parte pela coletividade.

Em Arapiraca, JR realiza debate contra a reforma da previdência

Em Arapiraca, JR realiza debate contra a reforma da previdência

Na última quinta feira, dia 30 de março, o núcleo de Arapiraca da Juventude Revolução realizou debate no Campus da UFAL Arapiraca sobre os efeitos da contrarreforma da previdência para a juventude e classe trabalhadora. A atividade contou com a participação de dezenas de estudantes que ficaram concentrados no pátio da universidade acompanhando atentamente a discussão realizada pelo Professor de História da UNEAL e dirigente da CUT-AL Luiz Gomes.