Campanha de moções repudia esse ato e exige retirada das tropas!

No ultimo dia 15 as tropas brasileiras tentaram invadir por três vezes a Faculdade de Ciências Humanas de Porto Príncipe, atirando bombas de gás lacrimogênio, balas de borracha, quebrando vidros e persianas e interrompendo uma assembleia mista entre estudantes e professores. A Universidade resistiu, ao fechar os portões.

A denuncia foi feita pelo Coletivo de Reparação das Vitimas do Cólera que participou da convocação da Jornada Continental de 1º de Junho pela retirada das tropas da MINUSTAH do Haiti.

Essa é mais uma dentre várias outras atrocidades que as tropas da MINUSTAH lideradas pelo Brasil cometem no Haiti, dizendo ser uma força de paz, quando na verdade são uma força de repressão. As tropas simplesmente violam a constituição e as leis haitianas e mais uma vez invadem uma universidade.  O reitor da Universidade, Jean Vernet Henry denunciou o ocorrido:

Vemos mais uma vez que a nossa Constituição, nossas leis e o direito de não ter a nossa universidade violada, nada mais são do que palavras no papel para a MINUSTAH. Não podemos nos esque­cer que esta nao é a primeira vez que a MINUSTAH tentou nos intimi­dar e sem nenhuma provocação, invadir o espaço da universidade

Para o coordenador da faculdade Hancy Pierre porque “a força de ocupação não pode vir intimidar os estudantes depois de haver contaminado o país com o vírus da cólera e violentado mulheres e homens”.

A mesma polícia militarizada que invadiu e reprimiu diversas mobilizações e manifestações na USP e mais recentemente na UNIFESP é aquela subordinada ao exercito que acaba com uma assembleia de estudantes e professores na universidade do Haiti, agindo com bombas de gás lacrimogênio, tiros e toda a truculência característica! É a mesma polícia militarizada que causa um verdadeiro genocídio da juventude, principalmente da juventude negra, nos morros, periferias e favelas pelo Brasil afora.

Nesse 1º de Junho, no ano em que se completaram 8 anos de ocupação das tropas da MINUSTAH no Haiti, foi realizado um ato continental pela retirada das tropas em 10 países, no Brasil em  11 estados. Uma verdadeira demonstração de solidariedade a soberania do povo haitiano que nada mais é do que defender a nossa própria soberania e defender a nós mesmos.

Campanha de moções!

Esse fato não pode passar despercebido! Não podemos aceitar a permanência das tropas, sabendo o papel que elas prestam, sabendo que invadem universidades e oprimem a população!

Nesse sentido, como forma de continuarmos a prestar solidariedade a soberania e democracia do povo haitiano, chamamos as entidades e organizações a enviarem moções a Presidente Dilma repudiando a invasão da universidade do Haiti e exigindo a imediata retirada das tropas do Haiti.

Edielson Moreira, é membro do Conselho Nacional da Juventude Revolução

Repúdio à invasão da Faculdade de Ciências Humanas pelo batalhão brasileiro da Minustah!

Pela Imediata Retirada das Tropas da ONU do Haiti!

 

Moção à Presidente da Republica Dilma Roussef

São Paulo, 22 de junho de 2012

Prezada Presidente Dilma,

Fomos informados pelo Coletivo pela Reparação das Vítimas do Cólera, de Porto Príncipe, Haiti, sobre a violação da autonomia universitária da FASCH – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, por tropas do batalhão brasileiro da MINUSTAH, no último dia 15 de junho.

O mesmo foi publicado pela imprensa local, onde professores relatam a agressão sofrida com balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo.

O próprio Reitor da Universidade do Haiti, Jean Vernet Henry, denuncia precisamente três tentativas de invasão da faculdade no mesmo dia, gerando pânico entre estudantes e professores: “Os capacetes azuis brasileiros interrom­peram uma assembléia mista na faculdade. Não sabemos a razão desta visita delinqüente e inoportuna. Foi um pânico generalizado”.

Por isso, nós repudiamos veementemente esta ação das tropas da MINUSTAH e exigimos a imediata retirada das tropas brasileiras do Haiti.

Enviar Moções para

Gabinete Pessoal da Presidenta da República

https://sistema.planalto.gov.br/falepr2/index.php

Telefones: (61) 3411.1200 (61) 3411.1201 – Fax: (61) 3411.2222

Com cópia para

comitedefenderhaiti@uol.com.br

 

 

Tropas Brasileiras violam Universidade Haitiana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *