Vem com a gente construir uma organização autônoma da juventude e lutar por nossos direitos!

O país passa por uma crise e dá pra ver que tem bastante coisa podre. Basta olhar para Bolsonaro e o Congresso Nacional atacando nossos direitos. O judiciário conspirador, forjou a prisão de Lula para impedir que ele ganhasse as eleições. E assim, milhares de jovens são empurrados a “dar um jeito” para sobreviver já que diminui a perspectiva de futuro. 

Nós não podemos ficar de braços cruzados! A Juventude Revolução do PT convoca a Plenária Nacional para reunir representantes dos núcleos de todo o país para construir uma organização autônoma de juventude que lute pelas reivindicações da juventude nos bairros, escolas e universidades.

A juventude vem tendo a sua perspectiva de futuro e de existência ameaçada, com o desemprego, o genocídio da juventude negra e a perseguição constante aos LGBTs.

O desemprego bate recorde na juventude, principalmente entre mulheres e negros. A informalidade e subemprego são as opções para muitos que precisam ajudar a complementar a renda de casa, mesmo que isso signifique abandonar os estudos. 

Ao mesmo tempo, o governo Bolsonaro corta cada vez mais no orçamento público, afetando diretamente as nossas vidas. Por exemplo, pode comprometer a compra de livros escolares, acabar com o “Minha Casa Minha Vida” e prejudicar a oferta de remédios na “Farmácia Popular”! 

Nas escolas, os secundaristas estão com o conteúdo reduzido pela Reforma do Ensino Médio aprovada lá atrás por Temer. “Falta carteiras, mesas adequadas, quadro, canetas, já teve caso que entraram na escola e roubaram tudo, ou seja, [falta] maior segurança para a escola, funcionários e alunos” relata estudante em Juiz de Fora/MG onde a escola está num bairro que os jovens querem não só escola de qualidade, mas, também emprego, assistência social, atenção psicossocial, posto de saúde, pista de skate, espaços públicos de cultura e lazer, etc. 

Para quem conseguiu chegar no ensino superior, a luta é para permanecer. Nas faculdades privadas é preciso defender os direitos dos estudantes, contra a demissão em massa dos professores e o aumento das disciplinas à distância, além dos cortes no FIES e PROUNI que tiram milhares na sala de aula. 

Nas universidades públicas, a luta continua contra os cortes que estão obrigando o fechamento dos portões! A solução de Bolsonaro na educação é a implementação do “Future-se” que quer privatizar as universidades públicas. É hora de se apoiar na resistência que tem crescido contra esse projeto e derrotar o governo. Sim é possível, se todos se juntarem nesta luta, ao invés de dispersar forças propondo um Projeto de Lei alternativo nesse Congresso ultrarreacionário como quer a diretoria da UNE e outros. 

Nas comunidades cabe organizar a luta contra o genocídio e encarceramento da juventude negra, vítima do tráfico e da PM – resquício da ditadura militar que tem que ser desmilitarizada. Sem perspectivas para os jovens, aumentam as chances de suicídios. O jovem preto quer viver, quer emprego, educação, saúde e cultura na periferia.

Esse é o futuro que a política do capitalismo oferece para a juventude no Brasil e no mundo.

Bolsonaro segue essa cartilha, sempre comandado por Donald Trump, presidente dos Estados Unidos. Será com o povo organizado e nas ruas que poderemos abrir uma saída para o que vivemos. Na Argélia há seis meses toda semana milhões de argelinos, muitos jovens, vãos às ruas para derrubar o regime que retira os direitos e persegue a quem se opõe, como é o caso de Luisa Hanune – secretária geral do PT argelino – e demais companheiros que hoje são presos políticos com os quais a Juventude Revolução do PT se solidariza e defende a imediata liberdade.

Essa é a força que não deixa a juventude abaixar a cabeça, vamos continuar lutando: “eu luto com/ou pelo jovem que é marginalizado pela sociedade capitalista que faz propagar miséria, prostituição (infantil), violência, falta de humanidade, demagogia e o que destrói a Amazônia a ganância” (MC Docinho, Ceilândia/DF, estudante, alfabetizador, vendedor de doces, leva a rima do rap no busão). 

Lula Livre!

Aqui existe luta! Este ano, trabalhadores fizeram uma greve geral contra a reforma da previdência e os estudantes ocuparam as ruas em unidade com professores contra os cortes na educação. As mulheres camponesas e indígenas marcharam à Brasília e disseram não à retirada dos direitos. Esta luta tem que continuar.

É necessário dar fim a este governo autoritário e entreguista comandado por militares. É insuportável o obscurantismo dessa quadrilha que aprisiona os jovens e impede a liberdade de manifestação política e cultural. 

Se de um lado “é cobra engolindo cobra” nesse governo, de outro são capazes de dar as mãos contra o povo como tentam Bolsonaro e o Congresso na aprovação da Reforma da Previdência que tramita no Senado. 

Esse governo foi eleito numa fraude para o povo ser impedido de votar no Lula. Sérgio Moro foi o maior cabo eleitoral de Bolsonaro, junto com a grande mídia, operando a farsa da Lava-jato para condenar e prender Lula sem provas. 

Para mudar de verdade não basta “trocar o presidente” pelo vice ou por Rodrigo Maia (presidente da Câmara dos Deputados) é tudo farinha do mesmo saco. Esse sistema tá podre, tem que fazer uma “faxina geral” e levar junto com Bolsonaro, o judiciário que prendeu Lula e esse Congresso corrupto eleito com dinheiro dos grandes fazendeiros e empresários, que aprovou a Reforma trabalhista, a Emenda Constitucional 95 que reduz verbas na educação e entregou o Pré-sal. O único caminho para isso é através da convocação da Constituinte Soberana para, com a força do povo, mudar todas estas instituições, reformar a justiça, os militares e abrir caminho para pautas do povo oprimido e da juventude, anulando as medidas de Temer e Bolsonaro e retomando a soberania e os direitos.

O que eles não suportam é que a resistência não parou. Em cada canto do país se escuta Lula livre. Cresce a adesão ao abaixo assinado pela anulação dos julgamentos injustos contra Lula. A Vaza-jato desmascarou a farsa e o conluio do judiciário que persegue o PT e atropela a democracia. Nesse momento, não podemos vacilar como fez a UNE ao não defender a liberdade do Lula na resolução da diretoria de agosto, posição a qual combatemos, mas foi aprovada pela maioria inclusive demais forças da JPT.

A luta não vai parar, queremos Lula livre!

Junte-se a nós!

 “Eu percebo que não adianta apenas me esforçar para resolver os meus problemas porque o governo tá acabando com tudo, por exemplo, não adianta só ‘fazer o corre’ de mandar mil currículos porque a reforma trabalhista aumentou o desemprego e faz a gente trabalhar sem direitos. Então, eu decidi me filiar no PT para me organizar e resistir a tudo isso junto com outros jovens que estão na mesma situação que a minha”. (Lívia – DF)

Milhares de jovens, como ela, buscam o PT para lutar com ânimo. Estão dispostos a se organizar para resistir e lutar por direitos, emprego, saúde e poder sobreviver. Querem olhar para frente e sentir que pode construir um futuro, que pode sonhar e, conquistar seus objetivos.

No momento que se prepara o 7º Congresso do PT defendemos que os jovens petistas não podem ser lembrados apenas na hora de cumprir as cotas nas chapas do PED, como se fossemos objetos para cumprir regras burocráticas. Queremos ser parte viva nas lutas sociais! 

Para a juventude do PT ser parte viva, ela precisa de autonomia para caminhar com as próprias pernas, tomar as próprias decisões democraticamente, falar e agir em defesa dos nossos direitos sem precisar pedir autorização da direção do partido. 

Muitos jovens petistas esperam e apoiaram quando a JPT questionou o governador da Bahia, Rui Costa do PT, defendeu a cobrança de mensalidades nas universidades públicas. Deveria repetir ao ver governadores do nosso partido apoiarem a PEC 6 da Reforma da Previdência. 

Ao lutar pelo fim do governo Bolsonaro e para eleger um governo encabeçado pelo PT com Lula livre a juventude do PT autônoma poderia trazer a rebeldia para dentro do partido! Defender um PT vivo e forte para as tarefas que temos deixando de lado que não quer um “novo Temer” e que quer o atendimento das nossas reivindicações que ficaram para trás nos governos Lula-Dilma como o passe livre nacional, PM desmilitarizada, legalização do aborto e entre outras.

A Juventude Revolução do PT completa 30 anos de muita luta e convida você para participar da preparação da Plenária Nacional que acontecerá em 26 e 27 de outubro em Salvador. Nós chamamos a cada jovem vir conosco enfrentar essas batalhas, a única forma é nos organizando e fazendo a nossa própria experiência.

Venha debater e construir conosco.

A juventude é um barril de pólvora! Juntos com os trabalhadores podemos virar o jogo! 

Filie-se ao PT! Junte-se à JRdoPT!

Vem aí a Plenária Nacional da JR do PT
Classificado como:                                

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *