Greve dos estudantes na UNB por recomposição orçamentária!

Greve dos estudantes na UNB por recomposição orçamentária!

A Universidade vive um déficit de 92 milhões nas contas em razão do teto orçamentário imposto pela Emenda Constitucional 95. A reitoria, sob pressão do MEC, erradamente, aplica um ajuste que consiste na demissão em massa de funcionários terceirizados, estagiários e propõe o aumento do RU de R$2,50 para R$6,50. A luta contra essas medidas acontece desde o ano passado e se intensificou nas férias contra o aumento do RU e, deu continuidade, com as novas demissões de terceirizados e estagiários.

No 1º de maio, todos às ruas em defesa dos direitos e por Lula livre!

No 1º de maio, todos às ruas em defesa dos direitos e por Lula livre!

Está mais que nunca na ordem do dia a defesa de Lula livre. Lula é líder em todos os cenários de intenção de votos para a eleição de outubro. Sua candidatura está a serviço da juventude e dos trabalhadores, por isso os golpistas de toga querem a todo custo tirar ele da disputa. Não vamos aceitar! Lula é o candidato do PT e do povo! Dia 15 de agosto o PT vai oficializar Lula como seu candidato! No primeiro de maio não tem tarefa mais importante que a defesa dos direitos e a luta por Lula livre! O golpe vem atacando os direitos dos trabalhadores e destruindo o futuro da juventude. Em seu discurso histórico no Sindicato dos Metalúrgicos, se comprometeu em realizar uma Constituinte. É o ponto de apoio para que todas as medidas dos golpistas sejam revogadas, federalizar o ensino médio, criar novas universidades públicas e escolas técnicas e adotar outras medidas que beneficiem o povo. A liberdade de Lula depende da nossa mobilização, depende da ampliação dos comitês Lula Livre para transformar a luta de milhares na luta de milhões. Nesse 1º de maio, dia Internacional dos Trabalhadores, vamos fazer ecoar a defesa de Lula, a defesa dos direitos, a luta pela garantia de um futuro para a juventude! Organize-se! Lute conosco! Lula livre! Lula presidente! Não tem plano B! Lula com constituinte!

Em ato unificado, estudantes e trabalhadores mandam recado ao prefeito de Florianópolis: Gean, esquece! Não vai ter O.S.!

Em ato unificado, estudantes e trabalhadores mandam recado ao prefeito de Florianópolis: Gean, esquece! Não vai ter O.S.!

A Juventude Revolução em Florianópolis participou do ato unificado contra as OSs (Organizações Sociais) no serviço público no dia 25 de abril. Foram milhares de trabalhadores e estudantes nas ruas da cidade, chamando a atenção da população, contra a privatização da saúde e da educação. No dia 6 de abril, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (PMDB) encaminhou à câmara municipal o PL 17.484/2018, que entrega os serviços públicos municipais à responsabilidade da iniciativa privada.

16 anos da Lei de LIBRAS: Pelo direito à expressão da comunidade surda!

16 anos da Lei de LIBRAS: Pelo direito à expressão da comunidade surda!

Hoje, dia 24 de abril de 2018, é comemorado o aniversário de 16 anos da Lei nº 10.436 que reconhece a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) como meio legal de comunicação e expressão. Essa lei, que veio a ser regulamentada somente em 2005, foi um dos passos mais importantes no que diz respeito ao direito à língua e acesso à cultura e educação de qualidade da comunidade surda. Ela garante por lei seu direito a uma comunicação que os respeite como indivíduos parte da população e, acima de tudo, que garanta a eles uma identidade que por muitos anos lhes foi negada. Foi a partir da intitulada “Lei de Libras” que em 2005, através de sua regulamentação, tornou-se obrigatória a presença de intérpretes de LIBRAS – Língua Portuguesa nos espaços públicos e a oferta da língua de sinais a alunos surdos nas escolas. Apesar do grande passo de garantir, por lei, todos esses direitos, ainda há muita luta pela frente para que saiam do papel e passem para a prática! Diversos passos vinham sendo dados como a criação de 37 centrais de intérpretes no ano de 2013: Uma grande medida do governo federal que vislumbrava a acessibilidade em mais de 20 estados do país. Porém, os retrocessos do golpe de 2016 que arranca nossos direitos de maneira avassaladora, atingiu também a acessibilidade com o fechamento de diversas centrais de intérpretes como em São Paulo, Juiz de Fora e Vitória da Conquista. A Juventude Revolução se coloca como um ponto de apoio à luta pelos direitos da comunidade surda e parabeniza todos os surdos pelo aniversário desse marco tão importante de sua história. Leo Zótico – militante da JR de Florianópolis

APROVAR A GREVE GERAL DA UNB! Por recomposição orçamentária e autonomia universitária.

APROVAR A GREVE GERAL DA UNB!  Por recomposição orçamentária e autonomia universitária.

A Juventude Revolução (JR) participa ativamente da luta dos estudantes da UNB contra os cortes orçamentários e seus efeitos nefastos como a demissão de terceirizados, estagiários e tentativas de aumento do valor do RU. No último dia 10, uma grande mobilização na Esplanada dos Ministérios, organizada pelas entidades dos estudantes e dos trabalhadores da UNB, conseguiu estabelecer uma mesa de negociação com o MEC. No entanto, mal ela se instalou, pedras – que nada tem de “radicais”- foram arremessadas exatamente nas janelas onde começava essa negociação.

Estudantes de Economia da UNICAMP fazem paralisação contra estado de exceção

Estudantes de Economia da UNICAMP fazem paralisação contra estado de exceção

No último dia 12 de Abril, estudantes do Instituto de Economia da universidade de Campinas(UNICAMP), votaram em peso, em uma assembleia com mais de 80 estudantes, pela paralisação do curso por 24 horas. A paralisação veio em resposta ao crescente estado de exceção, representado na morte e na impunidade no caso da vereadora Marielle Franco e na prisão do ex-presidente Lula.

Estudantes ocupam as ruas de Brasília em defesa da UnB

Estudantes ocupam as ruas de Brasília em defesa da UnB

O dia 10 de abril foi um dia vitorioso para o movimento estudantil. Três mil estudantes, técnicos e professores pararam suas atividades e saíram às ruas em defesa da Universidade de Brasília. Há tempos nossa universidade vem enfrentando um ajuste fiscal que gera problemas como cortes nas bolsas de pesquisa, demissão do quadro de terceirizados, estagiários, proposta de aumento do RU e lida com a possibilidade de fechar as portas no final do semestre caso a situação não altere.