DIA 14, É GREVE GERAL: NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA!

DIA 14, É GREVE GERAL: NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA!

Unificou estudante com trabalhador! A reforma da previdência proposta pelo governo nos fará trabalhar até morrer! Além disso, desobrigará os patrões de contribuírem com nosso salário e dará mais lucro aos bancos ao mudar o regime atual para o regime de capitalização. A juventude foi às ruas dizer não aos cortes e, agora, é hora de se juntar aos trabalhadores e parar o país! Não vamos escolher entre estudar e aposentar como pretende o Ministro “Se a gente conseguir passar a previdência e voltar a arrecadação, volta o orçamento”. A tática do governo Bolsonaro é barganhar a educação pela previdência. Queremos um futuro digno! Por isso: Não à reforma da previdência! Este governo que tenta retirar nossos direitos, se elegeu com o apoio das instituições apodrecidas como o judiciário. Prenderam Lula sem provas para impedi-lo de vencer as eleições, é o que foi anunciando no vazamento da Lava-Jato. Foi tudo uma fraude! Lula Livre! É possível derrotar essa reforma! Foi a greve geral de 2017 que impediu Temer de aprovar a reforma da previdência. Por isso, até lá são passagens em salas, assembleias estudantis e toda forma de mobilização para preparar a Greve Geral convocada pelas centrais sindicais para parar o Brasil! Organize-se na luta! Vem com a gente! Convidamos a cada jovem que é contra os cortes, contra a reforma da previdência e defende a liberdade de Lula a dar um passo a mais: se organize na luta! Filie-se ao PT!

Liberdade imediata e incondicional de Louisa Hanoune na Argélia

Liberdade imediata e incondicional de Louisa Hanoune na Argélia

Desde o último dia 9 de maio, a secretária-geral do Partido dos Trabalhadores da Argélia, Louisa Hanoune, encontra-se presa por decisão do Tribunal Militar de Blida, após atender convocação a prestar depoimento como testemunha. Essa prisão é injustificada sob todos os pontos de vista. Louisa Hanoune é uma militante de larga trajetória na Argélia, tendo sido candidata pelo seu partido a presidente da república em três oportunidades – em 2004 foi a primeira mulher argelina a candidatar-se a esse posto, em 2009 e em 2014 -, além de deputada da Assembleia Nacional por cinco mandatos consecutivos desde 1997. Louisa é também uma das coordenadoras do Acordo Internacional dos Trabalhadores e Povos. A sua prisão por um tribunal militar ocorreu às vésperas de grandes manifestações de massa pelo “fim do sistema” que ocupam as ruas de Argel e outras cidades do país todas as sextas-feiras desde 22 de fevereiro passado, com o povo argelino expressando de forma contundente a sua vontade de construir uma democracia verdadeira. Em 10 de maio, a exigência de “Liberdade para Louisa Hanoune” foi levantada nessas manifestações. Muitas já são as vozes que se levantam na Argélia e outros países, independente da opinião política de cada um, contra essa arbitrariedade. A Juventude Revolução do PT se soma a elas na exigência dirigida às autoridades responsáveis pela sua prisão: Liberdade imediata e incondicional de Louisa Hanoune! Conselho Nacional da Juventude Revolução do PT

Carta aos jovens petistas

Carta aos jovens petistas

Contribuição da Juventude Revolução do PT ao 7° Congresso do partido No momento que se convoca o 7º Congresso do PT é importante dizer: precisamos de uma Juventude do PT autônoma. Essa é uma questão chave: defender uma organização autônoma da juventude do partido, onde se discuta livremente as questões e se decida coletivamente o que fazer e como agir. Ela é necessária para fazermos nossa própria experiência, errando e acertando, buscando se conectar verdadeiramente com a periferia, escolas etc., e aprender a lutar junto com a classe trabalhadora.

Leia a carta do ex-presidente Lula aos participantes do Festival Lula Livre:

Leia a carta do ex-presidente Lula aos participantes do Festival Lula Livre:

“Agradeço de coração a cada uma e a cada um de vocês, artistas e público, que nesse 2 de junho fazem da praça da República a Praça da Democracia. Embora tenha o nome de “Festival Lula Livre”, sei que esse é muito mais que um ato de solidariedade a um preso político. O que vocês exigem é muito mais que a liberdade do Lula. É a liberdade de um povo que não aceita mais ser prisioneiro do ódio, da ganância e do obscurantismo.

[📽 VÍDEO] Lula fala sobre as universidades

[📽 VÍDEO] Lula fala sobre as universidades

Na entrevista para o The Intercept Brasil, o ex-presidente Lula, preso político há mais de 1 ano, fala sobre os cortes na educação aplicados pelo governo Bolsonaro. Lula aponta a única saída para defendermos nosso direito. Reagir! Em para reagirmos contra os ataques à educação e em defesa da previdência que iremos às ruas no dia 30/05! E preparar a greve geral para o dia 14/06.Lute conosco!

30 DE MAIO: Tomar as ruas em defesa da educação e da previdência. Rumo à Greve Geral!

30 DE MAIO: Tomar as ruas em defesa da educação e da previdência. Rumo à Greve Geral!

Com milhões nas ruas o recado foi dado, não aceitaremos os cortes! A luta continua! Anunciado pelo governo Bolsonaro corte de 8 BILHÕES da educação, diversas universidades ameaçam fechar as portas por falta de verba para água, luz, restaurante universitário, bolsas de pesquisa e permanência, toda estrutura básica coloca em xeque. A tática deste governo é barganhar a educação pela previdência. A contrarreforma que quer acabar com a aposentadoria é o carro chefe de um pacote de retrocessos, como disse o Ministro “ Se a gente conseguir passar a previdência e voltar a arrecadação, volta o orçamento”. Nós não aceitamos! Como resposta, no dia 15/05 – Greve Nacional da Educação, milhões de estudantes e trabalhadores saíram às ruas num levante contra este governo tomando as ruas em uma só voz “Não aos cortes!” Em reação a greve nacional da educação, Bolsonaro ameaça à autonomia das universidades com decreto que impede aos reitores de universidades, CEFETs e institutos federais nomear pró-reitores e diretores de unidades, ficando a cargo do ministro da educação e/ou da casa civil. Este é o governo que se elegeu com apoio do militarismo e das instituições podres que prenderam Lula sem provas! A prisão do Lula abriu caminho para eleição de Bolsonaro que é comprometido com a profunda retirada de direitos. Não há direitos sem democracia! Dia 30/05 estudantes e trabalhadores voltarão às ruas para dizer que não abriremos mão da educação e não morreremos sem se aposentar! Até lá são passagens em salas, assembleias nos cursos e geral dos estudantes. Dessa maneira, também preparamos a Greve Geral convocada pelas centrais sindicais no dia 14/06 para parar o Brasil. Organize-se na luta! Vem com a gente! Convidamos a cada jovem que é contra os cortes, contra a reforma da previdência e defende a liberdade de Lula a dar um passo a mais: se organize na luta! Filie-se ao PT!

NOTA OFICIAL: Contra as agressões sofridas pelos presidentes da UBES e da UNE

NOTA OFICIAL: Contra as agressões sofridas pelos presidentes da UBES e da UNE

A Juventude Revolução do PT repudia as agressões sofridas pelos companheiros da UNE e UBES na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Pedro Gorki (UBES) e Marianna Dias (UNE) foram impedidos de fazerem falas contra os cortes na educação que o governo Bolsonaro aplicou. Essas práticas não nos intimidarão, continuaremos na luta contra os cortes, contra a reforma da previdência e pela liberdade de Lula. Dia 30/05 é dia de tomar as ruas em defesa da educação e da previdência. Rumo à greve geral no dia 14/06! A Juventude Revolução do PT repudia as agressões sofridas pelos companheiros da UNE e UBES na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Pedro Gorki (UBES) e Marianna Dias (UNE) foram impedidos de fazerem falas contra os cortes na educação que o governo Bolsonaro aplicou. Essas práticas não nos intimidarão, continuaremos na luta contra os cortes, contra a reforma da previdência e pela liberdade de Lula.Dia 30/05 é dia de tomar as ruas em defesa da educação e da previdência. Rumo à greve geral! A UNE e a UBES estiveram nesta quarta, 22 de maio, na audiência com o ministro da educação na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Os presidentes das entidades ouviram atentos as falas dos deputados e as respostas do ministro Abraham Weintraub. Após cinco horas de audiência, a presidenta da comissão deu aos representantes estudantis o direito à fala. Contudo deputados da base governistas, empenhados em impedir o pronunciamento dos estudantes, fizeram tumulto com a mesa e, não satisfeitos, partiram, junto a seguranças da Casa, à agressão física. Arrastaram o presidente da UBES, Pedro Gorki, e a presidenta da UNE, Marianna Dias, para fora do plenário. Repudiamos veemente a atitude desproporcional dos deputados e reafirmamos nosso compromisso com a ciência, a pesquisa e a educação pública. Tais atitudes evidenciam o desespero da base do governo pela grande proporção dos atos de rua. Não seremos calados ou coagidos! No 15M demos uma aula nas ruas e no 30M voltaremos às ruas contra os cortes a educação! União Nacional dos Estudantes União Brasileira dos Estudantes Secundaristas Associação Nacional dos Pós-Graduandos

Cortes na educação nos governos do PT X (des)governo Bolsonaro

Cortes na educação nos governos do PT X (des)governo Bolsonaro

A resposta aos cortes do governo Bolsonaro foi dada nas ruas! Milhões de estudantes e trabalhadores saíram às ruas no dia 15/05 – Greve Nacional da educação, mandar o recado em uma só voz: “Não aos cortes!” A situação reacendeu uma discussão levantada pelos abutres que rondam o PT. Esquerdistas e defensores do governo Bolsonaro “Mas o PT também cortou da educação em seus governos”. Uma cortina de fumaça levantada para ofuscar a gigantesca mobilização do dia 15. Será que os cortes de antes são os mesmos de hoje? É verdade que não houve mobilização contra os ajustes fiscais dos governos petistas? O texto abaixo traz uma discussão que abre o caminho na enxurrada de informações que estão sendo lançadas. Confira 👇 1️⃣ Como os movimentos portaram-se em 2015? ↩️ O ajuste fiscal de 2015 foi um erro do governo Dilma – que, diante das pressões golpistas do mercado/mídia/oposição (desde o final de 2014 chantageando-a e ameaçando derruba-la), acabou capitulando. Dilma mesma reconheceu este erro em várias entrevistas pós-golpe. O movimento sindical (boa parte dirigido por petistas e simpatizantes) foi à luta. A CUT liderou, junto com outras centrais, inúmeras manifestações de rua contra o plano Levy e seus contingenciamentos no decorrer de 2015. Nós, na Unifesp – com a participação ativa da Adunifesp e de seus diretores e apoiadores, eu inclusive – participamos de (e impulsionamos) vários atos e mobilizações. É o que se espera de sindicatos, que devem ser independentes em relação a governos, partidos etc. Nas manifestações do final de 2015, o movimento sindical/popular apresentou duas consígnias centrais: “Não ao Ajuste Levy!” e “Não ao Golpe!” (Cunha/mídia/mercados/judiciário já haviam dado os primeiros passos do impeachment, ataque brutal à democracia e, como vimos, aos direitos do povo). Dito isso, pergunto: 2️⃣ São contingenciamentos semelhantes? 🤔 Tecnicamente, em si e descontextualizados, eles podem até ser comparáveis. Mas é muita desonestidade intelectual equiparar a política educacional de Bolsonaro (inclusive mas não só o “contingenciamento”) com a dos governos do PT – e achar que nosso movimento deve reagir às coisas por igual. No Lula-Dilma, a Educação pública teve um dos maiores incrementos orçamentários da história do país. Claro que gostaríamos que fosse bem mais, mas houve sim avanços significativos. Durante o Lula/Dilma: 💰 As verbas orçamentárias à Educação (ao MEC) mais do que triplicaram em termos reais. Lembrando que elas estavam estagnadas durante todos os anos 90, até o fim do governo FHC em 2002/3. 📈 Entre 2003 e 2016, as verbas às Universidades e Institutos Federais saltaram de 23 para mais de 60 bilhões de reais (tudo corrigido pelo IPCA de 2018), como mostra o gráfico abaixo. 🎓 Foi isso que garantiu a expressiva expansão das universidades via Reuni e Pronatec: entre 2004 a 2014, foram 360 novas escolas técnicas, 18 novas universidades federais; 173 novos campi; e o número de estudantes universitários (federais) dobrou, de meio para quase um milhão. Aliás, como reflexão, essa expansão ajuda a explicar a enorme capilaridade das manifestações do dia 15 de maio

Não foi concessão, foi luta!

Não foi concessão, foi luta!

Em 13 de maio de 1888 foi assinada a Lei Áurea. Não foi concessão, foi luta do povo negro! Hoje, a dívida histórica com a população negra reforça que a resistência sempre esteve na ordem do dia. A desigualdade só cresce, principalmente com as medidas do golpe, com a reforma trabalhista, Lei da terceirização irrestrita e EC 95. O ataque a aposentadoria, os cortes na educação afetam toda a juventude, mas especialmente os negros e negras que são maioria da população. Abaixo o genocídio da população negra! Abaixo a Reforma da previdência! Abaixo os Cortes na educação! VIVA A LUTA DO POVO NEGRO! Vem com a gente lutar por um futuro digno ao povo negro! Filie-se no PT!