No dia 12 de outubro, a Juventude Revolução esteve presente na reunião que discutiu o apoio à candidatura de Haddad e Manuela na sede das entidades estudantis, em São Paulo. As entidades de representação máxima dos estudantes universitários, secundaristas e de pós-graduação – UNE, UBES e ANPG – entregaram uma carta à
Manuela D’Ávila, candidata à vice-presidência de Fernando Haddad, que convoca o movimento estudantil brasileiro a se engajar na campanha Haddad, único caminho para derrotar o retrocesso representado pela candidatura de Jair Bolsonaro. Na carta as entidades afirmam que “Só o voto 13 pode derrotar as forças conservadoras, antipopulares e reacionárias e defender e garantir uma nação soberana com acesso à uma educação e ciência pública, gratuita e de qualidade”.

Bolsonaro representa um profundo ataque aos direitos e à educação pública. O candidato, como deputado, ajudou Michel Temer a aprovar todas as medidas que atacam a juventude e o povo trabalhador como a PEC 55, reforma trabalhista, reforma do ensino médio e a entrega do pré-sal às multinacionais. Agora quer acabar com o 13º e criar o
ensino fundamental à distância.

Fernando Haddad, responsável por projetos que significaram enormes conquistas para os estudantes brasileiros  como o PROUNI, ENEM e SISU, vai revogar a reforma do ensino médio, vai revogar a EC 95 pra voltar a investir no ensino público, vai nacionalizar o passe livre estudantil e renegociar a dívida dos devedores do FIES.

A tarefa do dia para o movimento estudantil é “a convocação de assembleias para debater a posição dos estudantes nesse segundo turno e a criação de comitês de campanha pró-Haddad/pela democracia em cada escola, universidade, comunidades e bairros por esse país para organizar essa parcela significativa de estudantes que querem se engajar nesse momento de defesa dos direitos, da democracia e do Brasil.”

Estamos na reta final, e é possível virar esse jogo. Sem tempo para distrações como as frentes antifascistas que gritam o insuficiente “ele não”. Reforçamos: a única maneira de derrotar o autoritarismo e a retirada de direitos que representa Bolsonaro é elegendo Haddad como será agitado em todo o Brasil nesse sábado, 20 de outubro. Assim como devem fazer os DCEs e grêmios estudantis no próximo dia 26 de outubro, com apoio da UNE e da UBES.

Kris Mackleiny, diretora da UNE de Políticas Educacionais e militante da Juventude Revolução do PT em SC.

UNE, UBES e ANPG com Haddad Presidente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *