10 anos sem o camarada Anderson!

Há 10 anos, no dia 10 de Abril de 2006, Anderson Luiz Sousa Santos foi assassinado com dois tiros no peito, quando saia de sua casa em São João do Meriti, no RJ e ia ao trabalho.
Anderson tinha 30 anos e era presidente do SINTAFRIOS – RJ (sindicato dos trabalhadores das industrias de frios), era militante da Corrente o Trabalho do PT e na juventude foi dirigente da união de estudantes secundaristas de São João do Meriti, na baixada fluminense, liderou a campanha pelo Passe Livre e participou em 2000 da Conferência mundial de jovens pela revolução, que na ocasião criou a Internacional revolucionária da juventude, da qual fazia parte a Juventude Revolução.

Depois de uma década de enrolações e negligencias propositais, o crime ainda não foi apurado. Até o ponto em que o processo de inquérito chegou, tinha-se bastante informações que poderiam desvendar o crime, mas como quem não quer resolvê-lo, na época, Sergio Cabral não aceitou que a investigação fosse federalizada, como a possibilidade oferecida pelo Ministro da Justiça, mesmo tendo assumido em 2008 o compromisso de que se em 60 dias a investigação não avançasse, ele pediria ajuda da policia federal. Nada feito.

Sabendo que no Rio de Janeiro, como no mundo, a justiça fecha os olhos para negros, pobres e militantes, não poderia ser diferente para Anderson, negro, morador da baixada fluminense do Rio de Janeiro, que desde jovem lutava contra o racismo e contra o capitalismo entendendo que ambos não passam de duas faces da mesma moeda e que na época de sua morte liderava a luta de trabalhadores por seus direitos.

No dia 07/04/16, em razão dos 10 anos da morte de Anderson, foi realizada uma atividade no Rio de Janeiro, onde foi contada a trajetória do militante, relatado em que ponto está  a investigação, além de decidir algumas atividades, como uma Panfletagem na porta da fabrica onde Anderson trabalhava (Nestlê).

Dessa forma, retomaremos o Comitê Anderson pra prosseguir  a batalha pela apuração de seu assassinato, afinal, ele não foi o primeiro e nem será o ultimo, e o assassinato de um militante não é apenas a morte deste militante, mas também a tentativa de destruir uma luta o que não podemos aceitar. Em sua homenagem, prosseguiremos o combate que era seu e de tantos trabalhadores e jovens, pela emancipação da classe trabalhadora!

Camarada Anderson, PRESENTE!

#10AnosSemAnderson

#JustiçaParaAnderson

10 anos sem Anderson Luiz!