O ato realizado no ultimo sábado, dia 10, reuniu mais de 700 pessoas, e mostrou a  força da luta pela Constituinte  em  todo o país. A JR esteve presente com cerca de 50 militantes, e garantiu a agitação do ato, lançando palavras de ordem como “Dilma não hesite, convoque a Constituinte” e “O povo quer falar, constituinte já!”

Havia representantes de 14 estados. Na mesa, além da companheira Carla Emanuele, do Conselho Nacional da Juventude Revolução,  estavam presentes diversos dirigentes sindicais e partidários e parlamentares como Renato Simões (deputado federal, PT-SP), Adriano Diogo (deputado estadual, PT-SP), Eduardo Suplicy (senador, PT-SP), Misa Boito (membro DR PT-SP), Benedito Barbosa, Dito (Central de Movimentos Populares), João Moraes (coordenador da Federação Única dos Petroleiros-CUT), Julio Turra (membro da Executiva Nacional da CUT), Erik Bouzan (secretario da Juventude do PT-SP), João Bravin (membro da Executiva Municipal do PT-SP), Juliana Cardoso (vereadora do PT-SP), , Lincoln Secco (professor, USP), Celina Simões (Escola da Cidadania Santo Dias, Jardim Ângela – SP) e Markus Sokol (Comitê Nacional Diálogo Petista).

Em sua fala Emanuelle destacou: “Nós estamos montando vários comitês para discutir esse tema com a população. Não dá para discutir com esse congresso, que está repleto de latifundiários, banqueiros”. E emendou: “Eu acho que a Dilma tem de deixar os partidos da base aliada chiando e ouvir de fato a voz do povo. Já passou da hora desse Congresso que é um circo!”.

Vários oradores tomaram a palavra reforçando a luta pela constituinte e ao final foi aprovada uma moção que reproduzimos abaixo:

“Reunidos em São Paulo, mais de 700 brasileiros e brasileiras vindos em delegações de 14 Estados do país, nós dizemos:
MOÇÃO
O Brasil precisa de uma reforma política para destravar as aspirações de justiça social e soberania do povo brasileiro. Com esse Congresso não dá!
Tem razão a presidente da República ao dizer que a reforma não se fará sem consulta ao povo.
É preciso dar a palavra ao povo. O meio para isso é a convocação de uma Assembléia Constituinte, unicameral, proporcional, sem financiamento empresarial e com voto em lista. Não tem outro jeito, é o único meio!
Por isso, estamos engajados no Plebiscito Popular pela Constituinte soberana e exclusiva sobre o sistema político de 1 a 7 de setembro. E esperamos o mesmo de todas as forças democráticas, sindicais e populares, bem como o compromisso com seu resultado da presidente Dilma do PT e daqueles candidatos que, nos vários níveis das eleições de outubro, defendam o interesse da nação.

Recomendamos realizar reuniões de esclarecimento nos bairros, escolas, sindicatos e entidades, publicar manifestos, e organizar comitês de base do plebiscito popular.
São Paulo, 10 de maio de 2014
Aprovado por aclamação
“Dilma, não hesite! Convoque a Constituinte!

São Paulo, 10 de maio de 2014″

No evento a Juventude Revolução aproveitou para  montar uma banca com materiais, cartilhas, botons, camisetas e arrecadou cerca de R$530,00 ajudando assim a manter sua independência financeira.

Agora é hora de constituinte comitês do Plebiscito Popular na base, em escolas, universidades e bairros!

Ato pela Constituinte reforça campanha do Plebiscito Popular