A convite da Juventude Revolução – Porto Alegre, o presidente do Sindipetro-RS, Fernando Maia, compareceu ao Colégio Santa Teresa de Jesus e ajudou a desenvolver o debate sobre o petróleo brasileiro. Ele abordou os pontos mais importantes sobre o petróleo nacional, explicando o surgimento da Petrobras em 1953, até o início da privatização da empresa sob a forma de ações vendidas na Bolsa de Valores. Ele ainda ressalta que o dinheiro que a Petrobras investirá no leilão de Libra poderia ser utilizado na construção de plataformas petrolíferas para extrair o próprio Campo de Libra, que pode gerar até 1,5 trilhões de reais.

E sobre a questão de a Petrobras não ter capacidade tecnológica para explorar o petróleo, Maia diz que o Brasil produz uma quantia de barris próxima a demanda do consumo energético diário nacional e que a Petrobras pode sim expandir sua capacidade de exploração.

Ao final ele convoca todos ao ato do dia 17 e reafirma a posição do sindicato: “NÃO A PRIVATIZAÇÃO! O PETRÓLEO É NOSSO!”

Ricardo Machado, militante da Juventude Revolução em Porto Alegre – RS.

Aula pública sobre a questão do petróleo em Porto Alegre