17 de Maio- Dia Internacional de Combate à Homofobia

17 de Maio- Dia Internacional de Combate à Homofobia

Hoje, dia 17 de maio de 2018, completa 28 anos que a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da lista de doenças, dessa maneira dando o primeiro passo para o progresso nos direitos da comunidade LGBTI. A data ficou marcada como o Dia Mundial da Luta Contra a Homofobia e foi pontapé inicial para políticas posteriores de legalização da união civil. A comunidade LGBTI é um dos grupos sociais que mais sofrem com a falta de leis específicas para suprir suas necessidades. Os poucos direitos sociais adquiridos vieram devagar e os que ainda precisam ser conseguidos são constantemente barrados pela presença de um congresso retrógrado e pela bancada conservadora que barra os projetos de lei que permitem o avanço nas políticas para mulheres, negros e LGBTI – retrocessos como a PEC 181 e impedindo avanços como a criminalização da homofobia. Recentemente, dia 14, a legalização do casamento civil entre casais homoafetivos fez 5 anos. 5 anos que os casais homossexuais brasileiros podem estabelecer sua união e ser resguardados pelo estado. No primeiro ano de aplicação da norma foram celebrados 3.700 casamentos desses casais. Uma vitória para a comunidade! Apesar dos avanços citados a homofobia ainda é um fator de morte no Brasil. Em 2017, 445 lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, transgêneros e intersexuais (LGBTI) foram mortos em crimes motivados por homofobia, isso significa uma vítima a cada 19 horas, além da situação dos transexuais e travestis que possui características bem únicas que passam por números específicos de assassinato, educação e prostituição. A homofobia é uma realidade concreta e crescente! A criminalização da homofobia é um passo essencial para conseguir justiça para uma comunidade que é silenciada e morre por conta de sua orientação sexual, mas a onda de retrocessos que acompanha o golpe de 2016 já mostrou que veio para tirar o direito dos oprimidos e frear as conquistas sociais. Com esse congresso não será possível avançar na conquista das necessidades da população LGBTI, pois os golpistas não estão aqui para assegurar os direitos do povo e sim para perpetuar a política golpista que é consequência do imperialismo que sobrevive ao retirar direitos e para privilegiar a burguesia do país que mata preto, pobre, índio, gay, lésbica e trans. É necessário novas políticas públicas que sejam construídas e decididas pela comunidade atingida, pelo povo que utiliza tais políticas e para isso é necessário que suas vontades sejam expressadas nos poderes executivo e legislativo. E não é isso que acontece hoje no Brasil do golpista Michel Temer com seus 3% de aprovação e este Congresso nacional que é o mais conservador desde 1964, desde o tempo da ditadura. É necessário varrer as instituições podres e viciadas deste país que garante a não-representação desta comunidade, das mulheres, negros e pobres no Congresso. De forma resumida é necessário modificar estas instituições que garantem a matança da comunidade LGBTI com a convocação de uma Assembleia Constituinte Exclusiva para podermos destravar as estruturas do país e avançar cada vez mais nas necessidades da

Parabéns ao Renova Andes!

Parabéns ao Renova Andes!

Parabenizamos a chapa Renova Andes pelos 45% dos votos obtidos nas eleições do Andes Sindicato Nacional no último dia 10 de maio. ​Vimos durante a campanha que muitos docentes abraçaram as propostas do Renova de lutar contra o golpe, pela democracia com Comitês por Lula Livre e em defesa dos direitos docentes e da universidade pública.​ Para nós que estamos juntos com os estudantes na luta pela recomposição do orçamento e revogação da PEC 95 como ocorre agora na greve na UNB e UFMT é uma imensa alegria comemorar com vocês essa vitória e saber que daqui para frente “nada será como antes”​ no movimento docente​. Contem conosco nesta luta! ​Saudações,   Sarah Lindalva. Secretária Nacional da Juventude Revolução.   Segue no link abaixo o Comunicado da Chapa Renova Andes Comunicado Renova após eleições

Toda solidariedade ao Professor Elisaldo Carlini

Toda solidariedade ao Professor Elisaldo Carlini

No dia 01/03 ocorreu na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) o ato em apoio ao professor emérito Elisaldo Carlini que foi intimado a depor por uma acusação do Tribunal de Justiça de SP de apologia ao crime. O ato também contou com a presença de alunos, ex alunos, entidades e organizações que ressaltaram a defesa do Carlini, da sua história como pesquisador e da importância de combatermos o estado de exceção. Wesley Rage, 3º Vice presidente da UNE, esteve presente no ato e fez uma fala representando a entidade: “Vim aqui para prestar solidariedade ao Professor Carlini, este que é considerado um dos principais especialistas, conhecido nacional e internacionalmente, por suas pesquisas em drogas psicotrópicas e plantas medicinais. Essa intimação é mais um ataque a pesquisa e a ciência em nosso País e mais uma mostra do estado de exceção que estamos vivendo. É somado a outros exemplos como a condução coercitiva de reitores em 2017 e a ação do MEC contra a matéria da UNB sobre o golpe de 2016. Esse agigantamento do judiciário, que condenou o Lula sem provas para tirá-lo das eleições, é preocupante. Nesse sentido a UNE reafirma o apoio ao professor Carlini, em defesa da Pesquisa e da Ciência e também do estado democrático de direito!” Wesley Rage, militante da JR e 3º Vice presidente da UNE

Estado de exceção acelera julgamento de Lula

Estado de exceção acelera julgamento de Lula

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região acelerou o passo e marcou o julgamento que irá decidir sobre o recurso que a defesa de Lula apresentou contra a condenação sem provas do juiz Sérgio Moro. De acordo com a média dos processos julgados no TRF4, todos esperavam que o julgamento de Lula fosse realizado em março. Mas os desembargadores resolveram acelerar o passo, marcando para 24 de janeiro. Como disse o insuspeito e odioso capacho da burguesia, Reinaldo Azevedo, comentarista político da RedeTV: “se isso (usar o julgamento para tirar Lula da eleição) não é verdade, não há razão para antecipar. E se isso é verdade, é absolutamente lamentável, por que estaríamos diante de um julgamento de exceção.”.

Dória corta o leite das crianças em São Paulo

Dória corta o leite das crianças em São Paulo

GESTÃO DÓRIA: COVEIRA DA EDUCAÇÃO Em mais um ataque à educação, a Prefeitura de São Paulo perde a vergonha ao atacar o direito de crianças e adolescentes matriculados no ensino público da cidade. Após ”rever por decisões técnicas” e cortar as TEG’s (Transporte Escolar Gratuito) dos estudantes, João Dória agora quer cortar até o leite das crianças. Desde de janeiro a nova gestão falava em ”cortes profundos” nas áreas sociais, sobretudo na educação, porém foi na semana de volta as aulas que elas se concretizaram. Sob a mesma justificativa de ”rever detalhes técnicos” a Prefeitura corta em 50% o número de beneficiários e orçamento, dizendo ouvir especialistas que ninguém sabe quem são! É um absurdo! Assim, o número de crianças e adolescentes atendidos pelo programa cairá: em 2016 foram 916,2 mil beneficiados, enquanto a previsão para 2017 é de 431,7 mil. A quantidade do leite distribuído também sofrerá redução: 2016 terminou com a entrega de 2 kg do produto para beneficiados, enquanto neste ano a quantidade entregue será de 1 kg para os estudantes. Logo o orçamento que era de 310 milhões, caem para apenas 150 milhões!! ”Para o educador e deputado estadual Carlos Gianazzi, a reformulação do programa retrata essencialmente o enxugamento de recursos. “Não tem questão social nesta decisão. A maioria das crianças e adolescentes matriculados nas escolas municipais são pobres, têm pais desempregados e carências nutricionais. O leite ajuda muito. Qualquer ajuda é bem-vinda. Ele poderia fazer esses cortes, por exemplo, nos benefícios fiscais para as empresas, cobrar a dívida ativa com a Prefeitura de São Paulo, que passa de R$ 50 bilhões, rever o IPTU. Tem de onde tirar o dinheiro, mas no momento da crise, atacam os mais pobres”, disse o parlamentar a reportagem do G1. Do mesmo jeito que seu padrinho Geraldo Alckmin gostar de roubar a merenda das escolas estaduais, João Dória segue seus passos ao cortar o leite de maneira arbitrária. Direito não se corta! Não se negocia! Direito se amplia! Matheus Marin, é militante da JR – SP

Assembleia histórica na UFSC decide mais ocupações e participação no dia 11!

Assembleia histórica na UFSC decide mais ocupações e participação no dia 11!

Em assembleia histórica, convocada por 30 centros acadêmicos através do Conselho de Entidades de Base, cerca de 1300 estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina se reuniram para discutir a situação política do Brasil, as medidas que atacam a Educação e as mobilizações e ocupações que já acontecem em todo o país. Por ampla maioria foram aprovados posicionamentos contrários a PEC 55 e a MP 746, e favorável as ocupações. A estratégia adotada pelo conjunto dos estudantes é fortalecer cada vez mais as ocupações que já tiveram início nos centros de ensino e que continuam numa crescente arrastando até mesmo as direções das entidades que se negaram a mobilizar. Após um intenso período de debates, aulas públicas e assembleias em toda universidade, 25 cursos tomaram a posição de paralisar suas atividades e aderir a greve geral dos trabalhadores contra a retirada de direitos no dia 11 de novembro. A assembleia decidiu ainda pela criação de um Comando das Ocupações para articular as atividades e convocar novas reuniões, além de ter encaminhado diversas ações para fortalecer o dia 11 ao lado das centrais sindicais dos trabalhadores. Os estudantes discutiram ainda não referendar a consulta online feita pelo DCE por entender que não foi acompanhada de debates em torno do tema promovidos pelo diretório, e repudiaram a nota elaborada pela atual gestão do diretório uma vez que deslegitima a Assembleia Geral dos Estudantes e ataca os Centros Acadêmicos responsáveis por sua organização. Lucia Dal Corso, é militante da JR em Floripa e vice presidente da UCE (União Catarinenses de Estudantes)

Estudantes fundam grêmio em escola de Volta Redonda

Estudantes fundam grêmio em escola de Volta Redonda

O Colégio Estadual São Paulo, em Volta Redonda – RJ, agora tem seu próprio grêmio estudantil. Em 50 anos de existência da instituição, essa é a primeira organização que responde pelos alunos. O CESP é uma escola de maioria absoluta vinda da periferia, e com um contingente muito pequeno de alunos, são 180 no total, contando os dois turnos em atividade (matutino e vespertino), por essas questões a escola se encontra esquecida pelo poder público e, passa por várias dificuldades como a falta de merenda e materiais para aula de Educação física. Além de alguns problemas internos que devem ser esclarecidos pela direção, como uma sala de informática que nunca foi usada, segundo os próprios alunos. Com base na orientação da Juventude Revolução, um de nossos militantes conhecido como Zézim, que também é estudante do CESP, iniciou a formação de um grêmio. – A maioria ali, nunca teve um contato com o grêmio. Grande parte, nem mesmo tinha ouvido falar – Então foi necessário fazer um trabalho paciente, de sala em sala, explicando o que era e pra que servia um grêmio. No dia 15 de setembro de 2016, foi convocada uma assembleia geral, com a presença de 36 alunos dos dois turnos, durante essa reunião eles aprovaram o estatuto e elegeram por maioria dos votos o nome Juventude de Luta, além disso foi formada a Comissão eleitoral que viria cuidar da organização das eleições. A partir daí foi dada inicio a formação das chapas, de acordo com as regras previstas no estatuto aprovado. Nosso camarada Zézim formou sua chapa com o nome de Revolução Estudantil, para continuar aplicando a política de um grêmio livre. Na próxima semana sua chapa assumirá a direção do GRES Juventude de Luta.