O governo enviou ao Congresso proposta de orçamento deficitário para 2016. Foi esse “rombo” (R$30,5 bi) que levou a agência de avaliação de risco Standard & Poor´s a rebaixar a nota do Brasil, que perdeu o título de “bom pagador” ao mercado. Justificativa: a dificuldade do governo em aplicar o ajuste.

Esse “rombo” no orçamento é o motivo do alarde daqueles que gritam pelo ajuste fiscal! Mas será mesmo que o bolso dos banqueiros tem algum furinho? Ou será que o “rombo” pesa nos ombros da juventude e da classe trabalhadora?

No fundo, a S&P faz uma chantagem que tem por objetivo fazer o governo cortar ainda mais na carne do trabalhador e da juventude, já que parte dessa “dificuldade” em aplicar o ajuste é dada pela resistência da classe trabalhadora. Isso fica expresso na fala do líder do governo Delcídio Amaral (PT-MS) quando afirma que o rebaixamento da nota é uma motivação para o governo ajustar a situação fiscal do país! Ora, mas é exatamente esse “ajuste” do Plano Levy que, só no setor de comércio e serviços, fechará mais de 180 mil postos de trabalho! Quantos jovens conhecemos que trabalham nesses setores? Quantos de nós serão demitidos? Foi o Plano Levy que cortou quase R$11 bilhões no orçamento da educação, entregando as universidades às moscas e diminuindo verba pra estrutura, merenda, livros etc., nas escolas!

Como se não bastasse, Dilma começa a assumir a chamada “Agenda Brasil” de Renan-Levy quando afirma a “necessidade” da reforma da previdência. A “reforma” significa aumento na idade da aposentadoria, o que gera, consequentemente, menos criação de postos de trabalho, justamente quando o ajuste nos trouxe ao pior índice de geração de empregos desde 1999!

Nós não elegemos Dilma para ceder às chantagens das agências imperialistas! Foi esse o recado dado pelos movimentos sociais no lançamento da Frente Brasil Popular. Contra essa política econômica, contra o ajuste!

Por isso, a Juventude Revolução convida toda a juventude a construir conosco as próximas agendas de luta. É hora de reforçar as mobilizações! Chamamos a ampliar a campanha de moções enviadas à direção da UNE pelo anúncio da data da Caravana à Brasilia! É hora de construir o ato da Frente Brasil Popular convocado para o dia 03.10 (aniversário da Petrobras, também com nota rebaixada pela S&P em mais um ataque)! É hora de construir o Congresso da UBES convocado para 05 a 08 de novembro!

Editorial: Construir a luta em defesa de nossos direitos!
Classificado como: