Na última quinta-feira, 08/11, mais um ataque foi confirmado contra a educação básica. O Conselho Nacional de Educação – CNE aprovou a implementação do ensino a distância em parte do currículo do Ensino Médio, podendo chegar a 30% em alguns casos e em até 80% na Educação de Jovens e Adultos – EJA.

Essa decisão confirma o que a então MP 746, atual reforma do Ensino Médio coloca, em que se admite a possibilidade de cursar parte do ensino médio a distância.

Para Bolsonaro e seus parceiros golpistas, são dois coelhos acertados em uma machadada só: de um lado, favorece os tubarões do ensino privado, abrindo precedentes para se enriquecer ainda mais à custa da precarização do ensino público e gratuito abrindo o caminho para privatização e, de outro lado favorece a Lei da Mordaça, uma vez que jogando os estudantes para fora da escola se combate o “Assédio Ideológico” dos “discursos marxistas”. É censurando professores e estudantes que os golpistas querem aprofundar ainda mais a destruição da educação pública brasileira. Não podemos aceitar!

Portanto, a luta concreta nesse momento é a defesa do nosso acesso ao conhecimento científico e do pensamento crítico. Mais do que nunca, precisamos organizar a luta para construir a resistência e barrar os retrocessos. Vem com a gente lutar pelo futuro da juventude, com investimentos nas escolas para uma educação inclusiva, gratuita e de qualidade.

Abaixo a Lei da Mordaça! Não a privatização da Educação!

Leonardo Rondon, militante da JRdoPT e membro do Conselho Nacional da Juventude Revolução.

Eles querem acabar com a educação pública impondo o ensino médio a distância!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *