Contribuição da Juventude Revolução do PT ao 5º Congresso da JPT

A Juventude do PT convoca seu 5º Congresso encarregada de uma grande tarefa: organizar-se para ajudar os jovens a resistir frente os ataques do governo autoritário de Bolsonaro. Para isso, é necessário construir uma Juventude do PT que seja expressão daquilo que é a juventude brasileira: viva, corajosa e cheia de sonhos! Uma juventude que pense pela sua cabeça e ande pelas suas próprias pernas, que esteja na luta, nas ruas e que aja sem pedir autorização a ninguém! Queremos construir, em unidade, uma juventude autônoma do Partido dos Trabalhadores, do tamanho do combate e dos anseios da juventude brasileira!
Venha conosco!

2020 chegou e a resistência aos ataques do imperialismo colocou a cara nas ruas. No Irã, o povo foi às ruas contra o ataque assassino de Donald Trump. Mais de 70 cidades nos EUA houve mobilizações contra a guerra.

A resistência das massas marcou 2019 com uma onda de explosões sociais na América Latina e no mundo, expressando o descontentamento dos povos com esse sistema falido. Em vários países, as camadas mais exploradas da população se levantaram contra a ofensiva do imperialismo, que para sobreviver, destrói cada vez mais as condições de vida. No Líbano, o aumento de uma tarifa de whatsapp levou o povo a por um governo abaixo! Em Hong-Kong, manifestações tomadas por jovens colocam em questão a burocracia do Partido Comunista Chinês. Na França, o movimento dos coletes amarelos passou por fora das organizações e, recentemente a enorme greve geral contra a reforma da previdência foge ao controle das direções sindicais.

Na Argélia, as manifestações massivas não dão descanso ao governo. Desde fevereiro de 2019, milhões vão às ruas toda sexta-feira, contra o regime militar instalado no país há vinte anos. Centenas de personalidades, partidos e organizações ao redor do mundo, incluindo Lula, o PT e a CUT, exigem a liberdade de Luísa Hanune, presidente do Partido dos Trabalhadores da Argélia, mantida presa pelo regime argelino desde maio do ano passado.

A juventude chilena, mesmo com a violenta repressão do Estado, protagonizou amplas mobilizações pelo direito a educação pública. O povo luta contra Piñera e suas medidas respaldadas pela Constituição de Pinochet, vigente há 30 anos, preservando instituições apodrecidas com a qual conviveu a “Consertación”, aliança entre o Partido Socialista e a Democracia Cristã, acompanhada pelo Partido Comunista. A luta por uma Constituinte Soberana, que coloque abaixo as instituições da ditadura, ganhou as ruas do Chile.

Ao contrário do que dizem algumas direções, não há um avanço do conservadorismo entre os trabalhadores ou um “endireitamento” da massa no mundo, pelo contrário, o levante dos povos e jovens em inúmeros países demonstra a enorme disposição de luta da maioria oprimida contra aqueles que atacam seus direitos. São movimentos de resistência que, muitas vezes, passam por fora das organizações tradicionais da classe, e inclusive, questionam a paralisia e as traições de velhas direções operárias. O povo trabalhador e amplos setores da juventude, diante da ofensiva imperialista e das suas experiências com as tradicionais direções do movimento operário, se dispõem de novas formas em vários países do mundo, buscando uma saída contra esse sistema de opressão e exploração.

A luta contra o governo Bolsonaro!

Mais de 40% dos jovens brasileiros se encontram em condição de subutilizados” (considerados desempregados, que desistiram de procurar trabalho ou que poderiam trabalhar mais horas por semana). Cresce o número de jovens que não trabalham nem estudam. Diante do enorme desemprego, cresce também o número de jovens que trabalham para aplicativos de entrega, como IFood e Uber Eats. São milhares que enfrentam jornadas exaustivas de, em média, 12 horas diárias para ganhar 936 reais por mês. A perseguição à juventude negra é cada vez maior, aumenta o número de casos de violência e morte pelas mãos da polícia militar, como em Paraisópolis, tirando a vida de nove jovens em um baile funk. A “carteira verde e amarela” para os jovens até 29 anos institui empregos sem direitos duramente conquistados pela classe trabalhadora. Como se não bastasse, o ministro Weintraub, que nada entende de educação, quer desmontar a educação básica e as universidades, precarizando o ensino e a pesquisa, bagunçando propositalmente o Enem que só cria dificuldade para juventude ter acesso aos cursos universitários.

Mas a juventude brasileira não assiste a isso tudo calada. Em 2019, os estudantes brasileiros protagonizaram massivas manifestações e greves contra os cortes no orçamento, a ingerência de Bolsonaro sobre as universidades e o projeto Future-se. As grandes mobilizações de estudantes, professores e trabalhadores fez com que a ampla maioria das universidades públicas dissesse um sonoro “não!” ao Future- se, e obrigou o governo, de certa forma, a recompor o orçamento das universidades.

Lula deu o recado no 7º Congresso do PT: “O PT nasceu para polarizar!” O PT precisa retomar suas bases e assumir sua responsabilidade frente a este governo obscurantista que sufoca e persegue a juventude nos bairros, quer impedir o conhecimento científico nas escolas, quer calar a voz e a força de milhares de jovens. É preciso ter como perspectiva a luta pelo fim desse governo autoritário que está levando o país para o buraco da recessão e cada dia mais amplia os tentáculos dos militares na vida social e nos serviços públicos como recentemente fizeram no INSS.

É inaceitável que governadores petistas façam Reformas da Previdência nos estados estendendo as medidas da reforma de Bolsonaro que o PT rechaçou e seus deputados federais votaram contra. É completamente incoerente que a bancada na Câmara tenha votado no pacote anticrime de Sérgio Moro que
estabelece penas maiores, endurece as condições para liberdade condicional e contribui para o aumento do encarceramento da juventude negra e a superlotação dos presídios.

O momento exige do nosso partido que caminhe ao lado da resistência e fortaleça a luta contra esse governo para ajudar abrir uma saída para o país. A via para sair da crise é outro governo que seja democrático e encabeçado pelo PT para restabelecer os programas sociais como minha casa minha vida e outros, revogue as contra reformas de Temer e de Bolsonaro como a da previdência, o teto de gastos e todas as medidas contra o povo e a soberania nacional.

Esse sistema tá podre no Brasil, basta ver esse Congresso, o judiciário corrupto e esse executivo com um governante ligado às milícias. O que o país precisa é de uma reforma radical do Estado para varrer essas instituições antidemocráticas cumplices do golpe. O caminho para isso é um novo governo convocar uma Assembleia Constituinte Soberana capaz de realizar as profundas reformas que o país precisa como a agrária, da mídia, do judiciário, militar, etc.

A juventude quer viver dignamente em cada canto desse país com liberdade para se manifestar culturalmente, ter espaços de esporte e lazer para ocupar seu tempo livre e se divertir. Quer transporte público e de qualidade com passe livre. Ter o pleno direito a estudar em escolas públicas de qualidade, com merendas, livros e não armas e coturnos de escolas militarizadas. Quer o direito a vagas nas universidades públicas com bolsas de iniciação científica, restaurantes universitários decentes, residências e ensino de qualidade. Quer poder andar sem medo de morrer pelas balas da PM, que tem que acabar e ser desmilitarizada – basta de genocídio da juventude negra! Quer emprego com direitos e aposentadoria pública e solidária para garantir seu futuro.

Os jovens brasileiros não precisam de mais políticas punitivistas, nem escolas militarizadas. Os jovens precisam de liberdade de expressão, de organização e de manifestação que esse governo obscurantista tenta acabar. Precisamos de um partido que esteja na luta e de uma juventude do PT autônoma para ajudar a organizar os jovens petistas a enfrentar essa realidade.

Nestas eleições municipais será travada uma luta nacional contra esse governo e suas políticas. É fundamental que o PT se prepare para disputa e reforce seu papel de resistência. O 7º Congresso do PT decidiu que o partido deve lançar candidaturas próprias onde for possível puxando uma frente democrática e anti-imperialista contra Bolsonaro e os golpistas com alianças programáticas com as demandas mais imediatas do povo e com alianças com PCdoB e PSOL e setores populares do PSB e PDT. Na plataforma deve ter as principais reivindicações do povo e da juventude e a exigência de anulação dos processos contra Lula.

Lula Livre: Pela anulação dos processos contra Lula e punição dos responsáveis!

O país está vivendo um estado de exceção depois do golpe do impeachment dado pelo Congresso Nacional, o poder judiciário, militares e apoiados por empresários e pela mídia. Abriram o caminho para eleger Bolsonaro que governa com proteção da justiça e autorização da Constituição. Fizeram de tudo para manter Lula preso por 580 dias em Curitiba, retirando-o da eleição em 2018 que era o favorito, para darem continuidade a um projeto de destruição dos direitos do povo e entrega da nação.

Os vazamentos do site The Intercept deixaram claro o caráter forjado dos processos contra Lula, a manipulação do juiz Sérgio Moro, presenteado como ministro da justiça de Bolsonaro e a farsa jurídica montada pelo Ministério Público, a Polícia Federal e o judiciário brasileiro através de tribunais regionais e do STF para perseguir Lula e o PT. Mas o que eles não contavam era que o PT resistiria. Não imaginavam que seus militantes se engajariam nos quatro cantos do país na luta por Lula livre.

Lula foi libertado da prisão, é verdade, mas ainda não está livre! Está na ordem do dia seguir o combate para que sejam anulados todos os processos forjados contra Lula e que todos os responsáveis por esses desmandos sejam punidos conforme decidiu o 7º Congresso do PT.

A JPT deve se engajar de corpo e alma, com garra e ânimo, nesta luta democrática. É hora de ampliar as banquinhas para coletar adesões ao abaixo assinado nas ruas, bairros, comunidades, escolas, universidades, praças, etc, para dialogar com o povo e a juventude e denunciar essa farsa judicial.

Não vamos descansar até Lula estar plenamente livre!

Por uma Juventude do PT autônoma!

O caráter obscurantista desse governo, a destruição dos direitos e do nosso futuro chama a juventude do PT à sua responsabilidade: ajudar a organizar a juventude brasileira para resistir! Para isso, precisamos construir uma juventude autônoma, que pensa e age sem pedir autorização a ninguém, que faça sua própria experiência, andando com suas próprias pernas, acertando e errando.

Recentemente em Salvador, a juventude petista ocupou o Colégio Odorico Tavares contra o fechamento da escola e exigiu do governador Rui Costa (PT) que retirasse o Projeto de Lei que autorizava a venda do espaço. É inaceitável que um governador do partido aplique uma política contrária as bandeiras históricas do PT. Isso não é coisa do PT!

A JPT precisa ter seus próprios espaços democráticos, realizar debates e atividades públicas e colocar a cara nas ruas. O lugar da juventude petista não é enclausurada nos gabinetes parlamentares ou esperando que seu nome seja colocado para cumprir as cotas. Não queremos ser apenas uma cadeira nos diretórios ou ser lembrados apenas na hora de cumprir cota. A JPT deve ter seus próprios fóruns de decisões e orçamento próprio através de arrecadação planejada e eventuais apoios do orçamento partidário para suas lutas.

Queremos ocupar as ruas, retomar o protagonismo na luta dos bairros, no trabalho na periferia, voltar a disputar o movimento estudantil e suas entidades como a UNE e UBES defendendo anulação dos julgamentos contra Lula, a luta contra o governo Bolsonaro e os direitos estudantis nas públicas e nas privadas. Queremos ajudar a construir pontos de apoio para amplos setores da juventude brasileira que quer resistir a este governo do autoritarismo e do retrocesso.

Nos últimos anos, dezenas de jovens se espelham no PT e muitos deles se filiam. Isso demonstra a vitalidade do partido e que continua sendo a maior referência representativa para amplos segmentos da nossa juventude oprimida. Por isso é preciso uma JPT capaz de organizar todos estes jovens petistas que buscam no partido uma forma de se organizar para lutar. Uma juventude que aprenda com os mais experientes, mas tenha autonomia para trilhar seus passos e organizar suas lutas.

Queremos ajudar a construir uma JPT autônoma que seja a cara da resistência hoje e os pilares do futuro da nossa nação. Foi o que defendemos no 7º Congresso participando da chapa do Diálogo e Ação Petista. É o que queremos convidar você a fazer, ombro a ombro, na preparação do 5º Congresso da JPT.

Queremos construir uma juventude necessária à luta dos jovens, do tamanho do combate e dos sonhos da juventude brasileira!

Vem com a gente, vamos pra rua junto com os trabalhadores e suas organizações no dia 18 de março para defender o serviço público e combater as privatizações!

Junte-se a nós!

5º Congresso da Juventude do PT

Um comentário sobre “5º Congresso da Juventude do PT

  • 08/02/2020 em 09:32
    Permalink

    Muito bom o texto.
    A luta não pode parar.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *