A propósito da convocação da Jornada Continental pela Retirada das Tropas convocada pela Coordenação Haitiana pela Retirada das Tropas, a Juventude Revolução, junto com outras organizações de juventude e do movimento negro, atenderam a esse chamado e realizamos, em Salvador, no dia 05.06.14, um ato na Praça da Piedade.

Em diálogo com os trabalhadores e trabalhadoras da cidade que por ali passavam, a Juventude Revolução fez um apanhado histórico do Haiti e escancarou o que realmente acontece no país-irmão com a ocupação das tropas da ONU desde 2004, comandadas pelo exército brasileiro. Já são 10 anos de ocupação! Trazendo a situação de ataque à soberania haitiana para o Brasil, dialogamos que, no mesmo sentido, o imperialismo tenta hoje, por exemplo, atacar a Petrobrás, buscando sua privatização para arrancar as nossas riquezas. São as tropas da ONU no Haiti que garantem a manutenção de um governo fantoche do imperialismo estadunidense e que treinam naquele país para invadir as favelas do Rio de Janeiro! É essa a lógica da criminalização dos movimentos sociais em todo o mundo, afinal, o capitalismo em crise não pode conviver com a conquista de direitos pela classe trabalhadora. Por isso, as tropas da ONU no Haiti são um mecanismo imperialista de repressão às manifestações de massa que ocorrem em defesa da soberania. Da mesma forma, aqui no Brasil, na UNB, estudantes que lutaram por assistência estudantil estão com risco de serem condenados penal, civil e administrativamente pela sua luta!

Como foi destacado pelo companheiro Hamilton Borges, do grupo “Reaja, ou será morto(a)!”, o local de realização do ato é histórico na luta do povo negro de Salvador. Ali foram enforcados os líderes da Revolta do Búzios, movimento emancipacionista influenciado pela luta do povo negro haitiano por sua independência. O companheiro fez um chamado à II Marcha Contra o Genocídio do Povo Negro que ocorrerá em agosto.

O companheiro Gabriel, do Levante Popular da Juventude, presente ao ato, interviu apontando que o povo haitiano amanhecia todos os dias com um fuzil apontado para suas cabeças e isso não era diferente aqui no Brasil com a PM instalada nas favelas.

Enfim, é essa a lógica imposta aos povos e nações pelo imperialismo! É esse o presente que o imperialismo nos impõe! É esse o futuro que ele nos reserva! E foi com esse espírito de luta que a Juventude Revolução distribuiu um panfleto e construiu uma faixa para dialogar com a população soteropolitana no dia 05.06!

Fora as tropas do Haiti!

10 anos de ocupação! Basta!

Em Salvador, Juventude Revolução construiu a Jornada Continental pela Retirada das Tropas do Haiti