Aconteceu no dia 13/11 a Assembleia dos estudantes do Centro de Filosofia e Humanas (UFSC) que decidiria pela implementação ou não das Empresas Junior, o que pôde ser discutido, aprofundado e acompanhado ao decorrer de um calendário de debates a respeito do assunto durante bom período de tempo.

Mesmo com a ausência do movimento pró-EJ na maioria destas atividades, os estudantes tiveram seu espaço de perguntas e criticas. A preparação foi longa, e a JR esteve presente colocando sua posição pela defesa do direito dos estudantes terem acesso a oportunidades de entrar em contato com o mercado de trabalho sem que este dite o rumo e o interesse das pesquisas no interior de uma universidade pública.

Destacamos tambem que, quando a EJ entra em cena, os trabalhadores e trabalhadoras situados já integralmente no mercado, sofrem com a desvalorização da única coisa que lhe sobra sob o regime capitalista: a força de trabalho.

E sobretudo, comemoramos por que a proposta colocada pelos defensores da EJ fere o projeto ao qual a Universidade Federal deve contemplar: autonomia na produção da ciência.

A Assembleia foi histórica, contou com 553 pessoas credenciadas a votar e outras dezenas de estudantes de outros centros. Com mais de 2 horas de debate e relatos dos estudantes do CFH a posição que rejeitava as EJs no CFH venceu com 329 votos a 160.

Leonardo Nürnberg, é estudante da UFSC e militante da JR em Florianopolis-SC

Estudantes da UFSC barram implementação de empresa junior