No inicio desse ano os estudantes de escolas publicas em áreas periféricas se depararam com mudanças drásticas no currículo. O Governo empurrou o chamado  Currículo em Movimento do Projeto da Reformulação do Ensino, tratando com desrespeito os estudantes que são maioria na comunidade escolar e que estiveram e estão insatisfeitos  com a proposta de mudança.

Também no inicio deste ano mais de 1.000 estudantes do Gama de diversas escolas se mobilizaram através de abaixo assinados, paralisações, manifestações e assembleias para tentar barrar a implementação da semestralidade, usando de fortes argumentos e questionamentos que na época e ainda hoje não conseguem ser respondidos por muitos diretores e professores.

Após  implementação da proposta na base da imposição,se passando praticamente um ano letivo a Secretaria de Educação convoca uma séries de conferências públicas em todas as Regionais de Ensino do DF para ‘’ampliar’’ o debate sobre os Ciclos e a Semestralidade. Os estudantes do Gama se recusaram a participar desses métodos da governança que buscam domesticar os movimentos sociais e não passam de enrolação. Entendemos que organizados em nossos grêmio,C.As e nucléos conquistamos muito mais.

Por isso na quarta-feira passada enquanto militantes da Juventude Revolução junto aos grêmios estudantis das escolas públicas da regional do Gama CEM 01,CEM 02,CEM 03 E CED 08 fizeram pela manhã uma agitação com os estudantes na hora do intervalo com um panfleto explicando as problemáticas do projeto que levou a indignação dos estudantes e resultou na realização de um ato que invadiu a conferencia e a inviabilizou.

O ato contou com cerca de 300 estudantes, e após as falas de Willian, diretor da UMES-GAMA,Victor presidente do grêmio do CEM 03 e coordenador do núcleo do Novo Gama da JR, e Beatriz coordenadora no núcleo do Gama JR, encerraram falando que não iriam construir nenhuma conferencia do Governo já que os mesmos sabem de nossa posição, e tais medidas não irão resolver em nada os problemas da educação publica, que não são poucos e em forma de repudio e indignação saíram do auditório gritando NÃO A SEMESTRALIDADE e foram acompanhados de 15 professores que se retiraram conosco também. Pela tarde o mesmo processo se repetiu dessa vez com menos estudantes cerca de 100,os estudantes também se retiraram e conseguiram retirar 23 professores da conferencia.

Veja os Vídeo :

Após os dois atos conseguimos nos reunir com cerca de 20 estudantes para fazermos nosso balanço sobre a atividade que foi avaliada como positiva, e conseguimos agregar contatos para os grêmios,UMES-GAMA, JR e até mesmo para o CONUBES.

NÃO ACEITAMOS ANTES E NÃO ACEITAREMOS AGORA ! NÃO A SEMESTRALIDADE.

– Suspensão imediata do Currículo em movimento. Por uma reformulação de verdade, por um ensino de qualidade!
– Abaixo o enxugamento de matérias  e o tecnicismo!
– Não aceitaremos que as escolas de cidades periféricas continuem sendo usadas como cobaias.
– Não a manipulação dos níveis de reprovação.

Beatriz Gomes, é militante da JR no Gama-DF

Estudantes de Brasília lutam contra “semestralidade” e recusam armadilha do governo!