No último sábado (26) aconteceu em São Paulo o ato “Petista de Carteirinha” organizado por militantes da juventude da CNB e da Juventude Revolução A atividade contou com a participação de mais de 150 jovens recém-filiados ao Partido dos Trabalhadores. Esses novos militantes são uma parte dos cerca de 700 jovens que se filiaram ao PT em São Paulo no último ano através do site e que participavam de uma atividade partidária pela primeira vez.

O ato foi realizado no diretório Nacional do PT, onde estiveram presentes militantes históricos do partido como Luiz Eduardo Greenhalg, Misa Boito, Monica Valente, Alexandre Padilha, Paulo Okamoto, dentre outros, que ajudaram a dar as boas-vindas aos novos filiados.

Coordenado pelo companheiro Rage, da JR e pela companheira Ynaê, da JCNB, a discussão demonstrou que se filiar ao PT é um ato de resistência, na luta por nossos direitos. Um ato de resistência contra a destruição das escolas, das universidades, contra desemprego e as privatizações promovidas pelo governo golpista. Um ato de resistência por Lula Livre!

Misa Boito, a primeira oradora, explicou como foi preciso ousadia para fundar o PT em plena ditadura militar e declarou aos jovens filiados: “este agora é o vosso partido. Ousem, como ousaram aqueles jovens metalúrgicos do ABC, os estudantes que fizeram a experiencia e o balanço da luta armada, aqueles que vieram das igrejas, todos aqueles que apesar das diferenças se juntaram para fundar o PT. No momento em que há uma ofensiva contra o PT, é uma ousadia se filiar no PT (…) Estaremos juntos na luta por Lula Livre, Lula presidente”.

Luiz Eduardo Greenhalg contou diversas histórias do partido e resumiu a importância do ato ao declarar “Vocês não imaginam para nós antigos militantes o significado de centenas de jovens se filiarem ao PT. Porque a direita diz que o PT acabou e a gente diz pra direita: o PT não acabou, aliás, o PT ainda nem começou a fazer o que de fato precisa ser feito nesse país!”.

Larissa, militante da JR e do balaio na USP explicou que se filiou ao PT “porque se trata do maior partido de massa da classe trabalhadora no país e mais do que nunca é o momento de lutar pela inocência de Lula e reafirmar que não há plano B. Entrei nessa luta sabendo que ela é gigante, vamos continuar nessa luta!”

Mariane contou que é filha de um operário e uma doméstica, faz doutorado, fez ciências sem fronteiras e destacou que não aceita que falem mal do PT e que apesar da perseguição aos petistas, segue ne luta.
Paulo Okamoto destacou a necessidade de organizar a luta para tirar o Lula da cadeia: “é preciso fazer mobilização, temos que ser desaforados, pra fazer as coisas acontecerem!”

Alexandre Padilha convidou os novos filiados que tiveram a ficha de filiação abonada pelo presidente do PT estadual, Luiz Marinho. O próprio Marinho aproveitou para lançar a candidatura de Lula a presidente, reafirmando que não há plano B.

A atividade demonstrou que há centenas de jovens que enxergam no PT uma trincheira de resistência e que buscam se organizar. A Juventude Revolução, que convocou jovens a se filiar ao PT desde o ano passado e que prepara o seu 15º Encontro Nacional, que acontecerá em agosto em São Paulo, com o lema “Lula Livre, Lula Presidente” quer ajudar a organizar essa juventude que desperta pra luta!

Jovens Petistas de Carteirinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *