Os delegados e suplentes eleitos para o 53° CONUNE, comprometidos com a Tese a UNE é Pra Lutar, contribuição da JR aberta a adesões, já começam a se dirigir a Goiânia, local do congresso que acontece nesse fim de semana entre o dias 29 de maio a 2 de junho.

O Conselho Nacional da Juventude Revolução decidiu publicar um manifesto aos estudantes presentes no congresso destacando aquilo que a JR considera que deve estar no centro da luta estudantil no próximo período e fazendo um chamado a reforçar essa luta.

Publicamos abaixo o manifesto, que deve ser reproduzido e distribuído aos estudantes desde os ônibus e caravanas, abrindo a discussão e convidando a se associar ao combate da JR e à construção de nossa plenária nacional que ocorrerá em Brasilia no dia 7 de setembro deste ano. Ao final, disponibilizamos também a tese para download.

Acesse aqui o Manifesto

MANIFESTO

Aos estudantes presentes no 53º Congresso da União Nacional dos Estudantes

Em defesa da meia entrada irrestrita!
• Pela punição aos crimes da Ditadura!
• Por todo o petróleo para a Petrobras 100% estatal!

A Juventude Revolução (JR) é uma organização politica de jovens que luta contra a guerra e a exploração, em defesa dos direitos da juventude e pelo socialismo no Brasil e no mundo. Defendemos o direito da juventude ter acesso a educação pública em todos os níveis, e o acesso à cultura e ao lazer.

Por isso mesmo, Nesse congresso da UNE, dizemos: Tirem as mãos da meia entrada!

O PL 4571/08 do senador Azeredo (PSDB) que propõe restringir este direito a uma cota de 40% dos ingressos em cada cinema, teatro, show etc., o que significa acabar com o direito. Será impossível de fiscalizar. Lamentavelmente, o presidente da UNE tem negociado com empresários a restrição da meia entrada em troca do monopólio da UNE na emissão de carteirinha. Não aceitamos e vamos combater.

Direito não se vende. A UNE precisa estar ao lado dos estudantes e defender uma das poucas medidas de acesso a cultura nesse país!

Nossa entidade deve combater pela ampliação de direitos e de verbas públicas para a educação pública, com ampliação do direito à assistência estudantil ampliando a verba para R$ 2 bilhões e vagas para todos nas universidades públicas. Para isso, é preciso garantir que as riquezas nacionais estejam sobre o controle da nação.

Portanto, é inaceitável que Dilma, eleita pelos trabalhadores e estudantes com o discurso contra a privataria tucana, ceda as pressões do Imperialismo e inicie uma onda de privatizações (portos, aeroportos, volta do 11° leilão do petroleo). A UNE precisa exigir o fim das privatizações e exigir a reestatização de tudo que foi privatizado!

Essa é uma maneira concreta de combater o imperialismo, que para salvar o sistema em crise, rebaixa ainda mais o custo do trabalho e avança na pilhagem das riquezas nacionais de qualquer país, negando o direito à soberania.

Por isso, Obama na Venezuela, não quer reconhecer o resultado das eleições de Maduro. Por isso, no Haiti, a ocupação pela missao da ONU foi determinada pelos EUA.

É inadmissivel, que essa vergonhosa missão seja comandada pelo exército brasileiro há 9 anos! La’, o exército “treina”a repressão para depois aplicá-la nos nossos morros. “É um laboratório”, disse o comandante da ocupação no Haiti. É a mesma lógica de repressão que age a PM nas periferias, militarizada pela ditadura em 1969, e que sobrevive como uma herança do regime militar, assassinando a juventude negra.

A responsabilidade da UNE, cuja história se confunde com a história de luta pela democracia, é a de lutar para acabar com essa herança. Começando por exigir que os criminosos da ditadura sejam punidos, que a Lei que anistia os militares, promulgada por eles mesmos, seja revogada. É a melhor homenagem que esse CONUNE pode prestar a Honestino, presidente da entidade assassinado pelo regime!

Agora mesmo presenciamos a”judicialização” da politica pelo Supremo Tribunal Federal, junto com a “criminalização” dos movimentos sociais.

No julgamento da Acao Penal 470, o chamado “mensalão”, condenaram dois ex-dirigentes da UEE-SP e da UNE, José Dirceu e José Genoino, sem provas. Independente de filiações partidárias, essa condenação sem provas é um ataque à democracia que a UNE não pode aceitar. Ele abre caminho para que se ataquem outras organizações estudantis, sindicais e populares, como a UNE, o MST, a CUT e outras centrais sindicais e partidos políticos. Nenhum cidadão brasileiro está mais garantido, se não se anula o precedente criado pela AP 470!

O problema é bem real. O processo contra os 72 estudantes da USP, por exemplo, acusados de “formação de quadrilha (!) e depredação ao patrimônio público, é um caso. Sem conseguir individualizar a culpa, a promotora inventou a lógica de culpa por “omissão coletiva”, ou seja, culpados sem provas!

Companheiras e companheiros,

Em nossa opinião, neste CONUNE, as questões da defesa do nosso direito à meia entrada, a luta pela punição aos crimes da ditadura, e exigencia ao governo Dilma de parar as privatizações, devem estar no centro das preocupações!

Nós, da Juventude Revolução, vamos fazer essas lutas no congresso da UNE e depois nas entidades e nas ruas. Não temos rabo-preso, nao somos financiados por ninguem, e tambem não pretendemos ser os donos-da-verdade: mas entre nos a discussão é livre!

Convidamos a todos a se associarem conosco. Conheça a JR, compareça às nossas plenárias nesse CONUNE! Participe da constuição da Plenária Nacional da JR em 7 de setembro em Brasília no Distrito Federal!

27 de Maio de 2013

Conselho Nacional da Juventude Revolução

Tese UNE é Pra Lutar

Acesse aqui a tese completa

JR rumo ao 53° CONUNE: Em defesa da meia entrada, punição aos crimes da ditadura e todo petróleo para a nação!