Nos dia 21 e 22 de setembro, Reunimos a Plenária Nacional da Juventude Revolução, organização politica que luta pelos direitos da juventude, com 43 delegados e observadores vindos de 11 estados do país. Num encontro auto-financiado, porque acreditamos que independência financeira é condição para independência politica, discutimos  livremente  a situação politica no país aberta pelas manifestações de junho e decidimos nos dirigir a toda à juventude, para abrir uma discussão urgente!

Nós somos parte, junto com outros milhares dessa geração de jovens que protagonizou as manifestações que arrancaram a redução das tarifas de transporte e sacudiram o país. A juventude mostrou que quem luta conquista, e que é preciso mais educação, saúde e serviços públicos.

Mostramos que queremos um futuro digno, que esse sistema capitalista de guerras e exploração nos nega.

Por isso, quando ouvimos a presidente Dilma, no discurso de 7 de setembro, dizer que para modernizar o país é preciso privatizar portos, rodovias e aeroportos e que vai leiloar o Pré-sal, entregando na mão de empresas estrangeiras um patrimônio do povo brasileiro, nós dizemos: não!

A solução não é a privatização do Campo de Libra, a maior reserva de petróleo do país, que pode gerar trilhões que poderiam ser revertidos justamente em saúde, educação, transporte, mas que agora estão ameaçados de serem entregues de “mãos beijadas”.

A espionagem do governo Obama contra a presidente e a Petrobras demonstra: o imperialismo está de olho no petróleo, patrimônio do povo brasileiro!

Por isso nos dirigimos à Dilma para dizer: cancele o leilão! Não se subordine ao imperialismo! Você assumiu o compromisso em 2010 de não privatizar o pré sal!

O leilão está marcado para o dia 21 de outubro. A hora é agora! Chamamos todos os jovens, organizações de juventude, entidades estudantis a se unir na luta para barrar o Leilão do Petróleo!

Organize-se para derrotar os inimigos da Juventude e dos trabalhadores!

A revelação da espionagem do governo dos EUA mostra que o inimigo que temos que enfrentar, o imperialismo, é poderoso. Agora mesmo, Obama busca levar a guerra imperialista para a Síria, para aprofundar a guerra e a exploração.
Nas manifestações de junho e julho vimos a grande mídia, alinhada com o imperialismo, tentar manipular a pauta e separar os jovens da classe trabalhadora.

Mas nós sabemos que para enfrentar esse inimigo, precisamos nos organizar

Apenas com nossa ação coletiva em unidade com os trabalhadores (e não a ação de pequenos grupos para a simples quebra de “símbolos do capitalismo” como lojas ou bancos, que se renovam sem afetar em nada o sistema) é que podemos ajudar a botar abaixo esse sistema de guerras e exploração!

Apenas com a defesa das entidades e organizações como instrumentos de unidade e luta é que nós vamos poder organizar a luta por nossas reivindicações. Entidades com mandato definido e prestação de contas à base, e não sua substituição por coletivos e grupos ditos “horizontais” nos quais, na teoria, todos decidem, mas na prática apenas um pequeno grupo toma conta.

O que nós precisamos é de nossas entidades históricas como a UNE e  a UBES, combatendo para organizar os estudantes nas faculdades e escolas para lutar, ao invés de defender cegamente as medidas do governo e se enfiar em conselhos e conferências que nada resolvem.

O que nós precisamos é de organização e luta!

Organização e luta para exigir por exemplo que o governo aprofunde as medidas positivas anunciadas entre os “5 pactos” de Dilma, como os “Mais médicos”: queremos também a revogação das Organizações Sociais, hospitais públicos e leitos estatizados.
Para exigir que toda a verba  do petróleo para educação seja destinada exclusivamente a educação pública, sem nenhum centavo a iniciativa privada, aos tubarões de ensino, donos das faculdades e escolas privadas. Queremos  vagas para todos nas universidades públicas
Para exigir que Dilma rompa com o 1° pacto, da dita responsabilidade fiscal, e pare de fazer o Superávit primário, dinheiro destinado ao pagamento de juros da dívida pública, que desvia recursos das áreas sociais.
Para dizermos Dilma: com esse congresso não dá! Constituinte exclusiva e soberana do sistema político brasileiro!

Organização e luta para exigir que a verba para o transporte, seja destinada a estatização das empresas de transporte e a implementação do direito ao passe Livre estudantil para garantir nosso acesso a educação!

Organização e luta para exigir a punição aos crimes da ditadura; a desmilitarização da PM que mata a juventude nas periferias; e que o governo respeite a soberania dos povos e retire as tropas brasileiras do Haiti que já ocupam o país há 9 anos!

E precisamos junto com os trabalhadores, a CUT e demais centrais, a Federação Única dos Petroleiros, o MST e outras forças barrar o anunciado leilão de Libra do Pré Sal, que ameaça entregar nas mãos de multinacionais o petróleo que é  do  povo brasileiro!

O petróleo é nosso! Lute conosco!

Plenária Nacional da Juventude Revolução, Brasília- DF, 22 de setembro de 2013

Manifesto da JR: Vamos à Luta para barrar o leilão do Pré Sal!