Ao ser anunciada pelo TSE, Tribunal Superior Eleitoral, a sentença sobre a cassação do mandato da então senadora e ex-juiza Selma Arruda (eleita como “a senadora de Bolsonaro” e auto-apelidada de “Moro de saias” ), por caixa 2 de campanha e campanha indevida, uma disputa política se estabelece no estado.

Trata-se de uma eleição suplementar ao Senado federal que irá colocar de um lado todos aqueles que aplicam a política do golpe tocadas por Bolsonaro e o governador Mauro Mendes (DEM), que estadual e nacionalmente andam de mãos dadas com as instituições para destruição dos direitos. E, do outro lado um campo político que precisa mais do que nunca assumir o papel de ser uma alternativa ao autoritarismo e obscurantismo.

A base da militância petista mato-grossense e de diversos setores dos movimentos sociais populares propõem uma candidatura do PT para essas eleições, com as condições de reunir todas as forças que dizem construir o campo democrático e popular. Trata-se de uma candidatura que tenha condições de se apresentar ao povo e ser ponto de apoio a resistência pelos direitos. O nome apontado é do deputado estadual Ludio Cabral (PT), que vereador por dois mandatos, foi candidato a prefeitura da capital Cuiabá (2012), chegando ao segundo turno, e candidato a governador do estado (2014) obtendo 37% dos votos, ficando em segundo lugar da disputa contra o candidato do agronegócio, o ex-governador Pedro Taques (PSDB). Além atualmente ter liderado a oposição contra a perversa reforma da previdência estadual na assembleia legislativa, o que mostra que se desponta como uma liderança política em defesa dos direitos.

Como diz o manifesto “LÚDIO SENADOR PRA VENCER”, assinado amplamente pela militância: “Aos que lutam por direitos, que combatem o governo autoritário, tanto Federal quanto Estadual, a oportunidade de uma eleição majoritária ao Senado exige um nome que consiga aglutinar as forças das lutas, das ruas, dos movimentos da classe trabalhadora e, ao mesmo tempo, a força institucional dos partidos e dos agentes políticos dispostos a enfrentar os barões do agronegócio que hoje hegemonizam o poder em todas as esferas. Precisamos de um candidato que, com firmeza, mostre os retrocessos, desde o golpe, e contribua com força e legitimidade popular para o fortalecimento da Democracia e, a sua preservação duramente construída com a luta e o sangue das gerações passadas. É preciso romper com o golpe que mergulhou o Brasil no ódio, na desesperança e estagnação. Precisamos de um candidato que mostre os retrocessos desde o golpe e não hesite quando o assunto for anulação do processo contra Lula.”

a JRdoPT se mobiliza ombro-a-ombro com a base da militância petista entorno da candidatura do deputado estadual Ludio Cabral nessas eleições suplementares ao Senado (votação no dia 26 de abril), sobretudo pela unificação e o fortalecimento do Partido dos Trabalhadores nessa eleição, em que é mais do que necessário, é uma obrigação perante aos trabalhadores e a juventude, uma candidatura própria do partido. Não cabe repetir os erros de alianças com setores da burguesia e do agronegócio que outrora foram aplicadas. As resoluções aprovadas no 7º Congresso do PT, com ajuda da JRdoPT+DAP, sobre eleições em “frentes anti-imperialistas contra Bolsonaro e os golpistas” são o principal ponto de apoio para tanto.

Leonardo Rondon

militante da JRdoPT em Cuiabá-MT.

Acesse o manifesto na íntegra em: https://drive.google.com/file/d/0BzFjYS2mqIc9eU9Da1E2VnpsS3AxMDl1eFNjWXc3VEJkbGxN/view?usp=sharing

MATO GROSSO – ELEIÇÕES SUPLEMENTARES AO SENADO: É VOTO 13 POR DEMOCRACIA E DIREITOS!
Classificado como:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *