Cerca de 70 estudantes atenderam ao chamado do grêmio estudantil do Centro Educacional Edgard Santos, em Salvador, que convocou na última quarta feira (23.09), uma paralisação dos estudantes. Com palavras de ordem e cartazes, os estudantes fizeram pressão na direção que foi obrigada a dar uma resposta às suas demandas.

A principal reivindicação era o retorno da merenda na escola. No mesmo dia, de manhã cedo, a vice-diretora ligou para o presidente do grêmio para informar que a merenda havia chegado. A intenção era que não tivesse nenhum movimento. Mas falta tudo na escola: merenda, ventiladores nas salas, os laboratórios nunca saem do papel, cobertura na quadra e reforma na estrutura da escola!

Todas essas reivindicações foram entregues através de uma carta do grêmio à direção em abril deste ano. No entanto, até agora não havia resposta! Como consequência da paralisação, a vice-diretora pediu uma semana para resolver a estrutura da sala de vídeo, por exemplo. Se só precisava de uma semana, por que não resolveu antes?

Além disso, em tempo recorde – menos de 30 minutos – a Secretaria de Educação chegou à unidade escolar com 6 representantes para ouvir o grêmio. Acuados com a mobilização, a Secretaria implorou para que os estudantes não continuem o movimento. Mas, sem dúvida, a luta apenas deu mais um passo!

Na próxima quarta-feira, a Secretaria retorna ao colégio para uma reunião com o grêmio. Vamos mobilizar a escola a participar da reunião e pressionar a secretaria para que atendam as nossas reivindicações.

A situação precária da nossa escola se aprofunda, pois o ajuste fiscal do Plano Levy impõe corte de gastos nos serviços públicos. Só na educação o ajuste já levou mais de R$11 bilhões para os bolsos dos banqueiros através do superavit para pagamento da dívida pública!

O grêmio aprovou a tese da Juventude Revolução para o Conubes e os estudantes já realizaram reunião na sexta, 25.09, pra formar chapa e construir uma grande ida a Brasília para exigir da direção da UBES que lute contra os cortes na educação e pelo fim do ajuste fiscal do Plano Levy!

Gabriel Matheus, militante da Juventude Revolução em Salvador.

Mobilização de estudantes para aulas e arranca conquistas!