Desmilitarização da PM!

Fim do genocidio da juventude!

Mais verbas para a educação!

Mais verbas para Assistência Estudantil!

Entre os dias 25 de março a 1 de abril acontecerão os atos e mobilizações da Jornada de lutas da UNE e da UBES que esse ano será ampliada com a organização e participação de outras entidades e organizações como a CUT, ANPG, JPT, UJS, a própria JR, etc.

A hora é de mobilizar para a jornada, com passagens em salas, colagem de cartazes, debates e reuniões preparatórias, que os núcleos da Juventude revolução preparam, levantando principalmente a bandeira de punição aos crimes da Ditadura! Essa foi uma das bandeiras adotadas pela plenária das juventudes, no dia 23 de fevereiro em SP, que deifiniu a pauta da jornada.

No periodo em que se completarão 49 anos do golpe militar (31 de março), A Juventude Revolução estará engajada na batalha pela punição aos crimes da ditadura.

Enquanto em países vizinhos como a Argentina e o Chile, ditadores, torturadores e agentes dos regimes militares já foram parar no banco dos réus, e continuam sendo julgados por crimes em aberto desse período, no Brasil, no ano em que o regime completa 49 anos, os crimes continuam impunes enquanto as investigações da Comissão da Verdade, sem poder de punição, revelam dia a dia, mais documentos que comprovam a barbaridade do regime que torturava até crianças e deixou mais de 400 mortos e desaparecidos.

É preciso punir os criminosos e abrir caminho para acabar com as instituições herdadas do regime, como a PM, militarizada pela ditadura através de decreto.

Ajudar a organizar a  Jornada nos estados!

A pauta da jornada definida na plenária das juventudes decidiu levantar diversas bandeiras como o fim do genocídio à juventude negra, a desmilitarização da PM, mais verbas para a educação, valorização da assistência estudantil, contra a criminalização dos movimentos sociais e em defesa dos direitos democráticos entre outras.

A pauta aprovada inclui questões que em nossa opinião, merecem debate, como a defesa do Estatuto da Juventude, que se aprovado, tal como está, coloca em risco o direito à meia entrada estudantil. Mas o conjunto de reivindicações adotadas, permitem a construção de um ato amplo, que toca em muitas questões essenciais para a juventude como as principais bandeiras que listamos acima.

Por isso, os núcleos da JR, além de se engajarem na preparação da jornada nas salas de aulas, em escolas e universidades, devem também buscar informações sobre a preparação dos atos nas suas cidades, se integrando à preparação.

Luã Cupolillo, Secretário Nacional da JR

Vamos à jornada de lutas da juventude exigir punição aos crimes da Ditadura!