Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A situação é extremamente preocupante. Situação das famílias brasileiras só piora. Desemprego, trabalho péssimos, crianças pedindo dinheiro nos faróis (semáforos).

Nas escolas vemos colegas questinando se ficam ou não nos estudos. Se abandonam as aulas e procuram empregos para ajudar em casa.

É a situação da estudante E., 16 anos, estudante de eletrotécnica do Instituto Federal de São Paulo. Segundo ela “é difícil estudar numa escola assim sem ter os recursos necessários em casa, então quem tem um bom computador ou celular tem mais facilidade para estudar. Sou repetente e um dos motivos disso foi justamente a falta de recursos”.

Conversando com ela, relatou que a situação da família pesa muito “a estrutura familiar também é importante”. Quando a família perde o emprego a responsabilidade é coletiva “terei desair da escola para poder trabalhar e ajudar minha mãe, porque só com o dinheiro da bolsa não consigo ajudar com o aluguel”.

Estudante bolsista, sente a pressão dos cortes na educação federal do governo Jair Bolsonaro (PSL)”não sei quanto tempo mais terei a bolsa com todos esses cortes anunciados”. Desde 30 de abril o governo federal anunciou um corte de 30% dos repasses de recursos para as universidades e instituições federais de ensino.

Os Institutos Federais são algo predileto por terem sido uma das principais políticas educacionais dos governos do PT.

É preciso defender o direito de estudar. Nenhum aluno deve ser obrigado a largar os estudos. Exigir a ampliação da assistência estudantil para combater à evasão escolar

Nosso futuro está em perigo com a política de ajustes, cortes e reformas.

Bolsonaro disse que ia “mudar tudo que está ai” na eleição. E está fazendo isso mesmo: mudando tudo o que está ai para pior. É preciso dar um fim ao governo à esse governo exterminador do nosso futuro.

João Gnecco, estudante de eletrotécnica do Instituto Federal de São Paulo

A realidade dos estudantes: abandonar os estudos para ajudar a família

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *