O dia 8 de março registrou a maior manifestação do ano no Chile, onde milhares vão às ruas exigir a saída do atual sistema que destrói os direitos e os serviços públicos a quase cinco meses. Nessa data vivos a exigência do fim dos fundos privados de aposentadoria (no + AFP).


No interior desse movimento é expressiva a participação dos estudantes, que realizaram assembléia nacional no dia 1º de março para retomar o calendário letivo com muita mobilização. Os estudantes lutam contra a privatização e por condições dignas de acesso à educação numa defesa dos serviços públicos que também toca a saúde, o transporte e a previdência. 


A repressão policial ao movimento é forte, com muitos mortos e feridos. A entidade estudantil secundarista do Chila – ACES – fala em 2500 manifestantes presos e coloca sua liberdade imediata como reivindicação do movimento. 


O país vive um descrédito generalizado as instituições do sistema e dos partidos que ao longo dos últimos 30 anos compartilharam o poder retirando direitos e privatizando serviços públicos. A convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte surge como uma exigência para varrer o atual sistema e conquistar a dignidade do povo.


Confere aí o vídeo do dia 08: https://www.facebook.com/watch/?v=215807173138296

Estudantes chilenos “Por la dignidad”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *