“Do chão dos novos quilombos brota a força que nos faz resistir. Mineração aqui não!” Este é o tema do 12º Fórum Pela Promoção da Igualdade Racial – FOPPIR, que desde 2005 é organizado pelo FOMENE (Fórum Mineiro de Entidades Negras) tendo no seu primeiro encontro o tema “racismo: quem se omite, pratica”. 

Este ano o FOPPIR foi realizado dos dias 14 à 17 de novembro em Muriaé e dentre as cantorias, espaços culturais tivemos também muita discussão com inúmeras entidades – como PT, CUT, MST, UNE, JPT, PJR (Pastoral da Juventude Rural), UNEGRO, MNU (Movimento Negro Unificado), MAM (Movimento pela Soberania Popular na Mineração), mandatos parlamentares e etc – onde nós da Juventude Revolução do PT também nos fizemos presente. 

No espaço temático de juventude surgiu o entendimento de que antigos problemas foram agravados no governo Bolsonaro, problemas como racismo no cotidiano, na escola e universidades. Até por isso foi ressaltado a importância da lei nº 10.639/03 – sobre ensino da história e cultura afro-brasileira e africana – e dessa maneira se colocando contrário às escolas militares e a Lei da Mordaça, chamada de  “escola sem partido”, aprovado recentemente em BH, primeira capital a aprovar esse absurdo. O alto indice de suicidio entre negros e o número crescente do genocídio pelas mãos do Estado também foram ressaltados, fato que nós da JRdoPT respondemos com a pauta da desmilitarização da PM, afinal, queremos mudar a lógica da polícia criada durante a ditadura militar, esta mesma polícia que é a que mais mata e mais morre. 

Também houve outros grupos temáticos de discussão como: religiosidade; comunidades quilombolas; saúde e o bem viver dos povos e comunidades tradicionais; pastoral afro; mulher negra; controle social dos municípios; educação; meio ambiente e agroecologia e, por fim, mineração.  

Durante o encontro pudemos ainda apresentar Moção que exige a liberdade de Luísa Hanune e todos presos políticos da Argélia, o que foi aprovada por todo plenário em meio a aplausos.

Veja o relato escrito da discussão de juventude no 12º FOPPIR: 

Em Muriaé, do chão do décimo segundo FOPPIR brota a força que nos faz ter esperança e resistir.

Enquanto juventude queremos nos aquilombar. Um agradecimento aos mais velhos e um aviso, não se preocupem estamos chegando e viemos lutar!.

Nós, jovens de mais de 10 cidades, de diferentes movimentos reunimos e conversamos sobre a atual situação da juventude negra no Brasil. Sofremos diversos problemas causados desde a escravidão e que estão se agravando com esse governo do Bolsonaro.

A juventude negra é um alvo. Estamos entre os que mais morrem tanto pelo homicídio do Estado quanto por suicídio.  Entre jovens negros o risco de suicídio é 45% maior que jovens brancos. A cada 23 minutos um jovem negro é morto no Brasil.

A educação e articulação social para nós é um caminho de mudança. Pela valorização e ensino da história e cultura negra nas escolas e universidades. No combate ao racismo nesses espaços. Que sejam locais de prazer e transformação para nosso povo e diferentes dessa ideia de escola militar ou sem partido. Por uma educação popular e afroreferenciada para nossa juventude.

Do chão do nosso grupo temático brotou interesse e animação em nos organizarmos e nos fortalecermos para além do Fórum. Potencializar as juventudes do Fomene. Queremos agregar mais jovens e que nossa condição juvenil seja eixo central nos próximos Foppir. Vocês, mais velhos e mais novos, nos dão força pra seguir. Sabemos que luta não começou de agora e também não vai acabar por agora. Seguimos!

Veja também as fotos do FOPPIR: 

https://photos.google.com/share/AF1QipOjVU-vrJBNQ0_qpzUP64pNQa_-5iToJYeJJPgiCVdEb4yXfdiEDkQtlpWIsyvn1A?key=amRBWVNrM1FUMUVMX0laNEhGX3ZHZDh5VmJqV21R

Leonardo “Ratão” – militante da JRdoPT de Minas Gerais

JR do PT PRESENTE NO 12º FOPPIR-MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *