Na tarde de quinta-feira (14) Pedro Henrique Gonzaga de 19 anos foi assassinado pelas mãos de um segurança do supermercado EXTRA na Zona Oeste do Rio com um “mata-leão”. Segundo a empresa, inicialmente foi constatado que o jovem teria tentado furtar a arma de um dos seguranças.

Davi Ricardo Moreira, o segurança que matou sufocado Pedro, vai responder por homicídio culposo. O delegado responsável pelo caso disse que o segurança se excedeu em legítima defesa. Chamou o vigilante de imprudente e disse que há poucos elementos que classifiquem a ação como sendo com intenção de matar.

A mãe de Pedro que estava no momento que tudo aconteceu está muito abalada. O padrasto do jovem prestou depoimento e disse que ele sofria com problemas mentais. Pessoas que também estavam no local gravaram a ação e mesmo pedindo para que o segurança soltasse o garoto que se encontrava desmaiado e com sinais de sufocamento, não foram atendidas.

Pedro é mais uma vítima da violência que a juventude negra é exposta. A cada 23 minutos um jovem negro é morto no Brasil. Nos atacam em todos os espaços, utilizando de toda e qualquer justificativa. A morte de Pedro e o fato do segurança responder por homicídio culposo demonstra que a pena de morte já é legalizada. De nada vale a vida negra diante do capital racista e genocida.

Punição para os envolvidos e que a empresa também responda pelo ocorrido.

A JUVENTUDE NEGRA QUER VIVER. VIDAS NEGRAS IMPORTAM!

PAREM DE MATAR JOVENS NEGROS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *