A juventude precsia de educação, emprego, diversão e arte! Vamos lutar por nossos direitos!

Está chegando o 12° Encontro Nacional da Juventude Revolução, que ocorre nos dias 28 de abril a 01° de maio, no Gama (DF). O Encontro será um espaço para jovens de todo o Brasil pautarem as reivindicações da juventude e como podemos lutar para conquistá-las.

Afinal, é urgente avançar na organização da juventude brasileira, que vê cada vez mais o sistema capitalista em crise lhe negar um futuro digno, à medida que nega o acesso à educação pública de qualidade, empurra milhões em todo o mundo para o desemprego ou empregos precários, e ao mesmo tempo empurra mais e mais jovens para a destruição e alienação das drogas.

Os ataques aos nossos direitos, à nossa condição de vida, são fortes e são os mesmos que a juventude sofre em todo o mundo. Mas, ao contrário do que os nossos inimigos querem fazer crer, os jovens têm força para combater, para resistir, e não têm medo de ir à luta em defesa dos nosso futuro! É o que mostra as intensas manifestações que sacodem o mundo, como na Espanha e Grécia. Ou na Tunísia onde, ao lado dos trabalhadores, os jovens constroem uma revolução.

Também em nosso país, a juventude quer lutar! E é para ajudar a organizar este combate que a JR prepara seu encontro. Por isso, nesta duas semanas que antecedem o 12° ENJR, os núcleos da JR intesificam as contruções das delegações, concetrando seus esforços na arrecadação financeira independente e na discussão política. É o exemplo das 4 plenárias da JR que aconteceram nos dias 13 e 14 de abril.

No Distrito Federal na tarde do sábado, 30 jovens de várias cidades do Distrito Federal, representados pelos 3 núcleos, se reuniram no Gama para discutir “Um breve histórico do Movimento Estudantil”. Após a JR ter participado em um ato, na quinta-feira dia 12, em frente ao Supremo Tribunal Federal para exigir o fim da anistia para os torturadores e assassinos da ditadura militar, a discussão na plenária se concentrou em uma recuperação histórica do que foi e o que significou para os jovens e o povo brasileiro a ditadura de 64. Além disso, a plenária decidiu por engajar a JR num combate pela construção de mais dois núcleos no Distrito Federal.

Em Juiz de Fora – na sexta dia 13, a plenária contou com 8 jovens. O núcleo fez uma boa discussão sobre o contexto político em que acontece o ENJR, e da necessidade de, nesta situação de crise do capitalismo, os jovens garatirem a sua organização independente. Está empenhado em contruir um amplo comitê para organizar a Jornada Continental pela Retirada das Tropas do Haiti, além de ter objetivado iniciativas para cobrar a punição dos crimes da ditadura. Além disso, debateu a necessidade de discutir com as entidades estudantis e com o conjunto dos estudantes as propostas de alteração no Regimento Acadêmico da Universidade Federal, que tem o sentido de criar uma série de punições aos estudantes. Como resultado da discussão do esforço de arrecadação, planeja enviar 6 ou 7 delegados.

Em Salvador – 12 militantes participaram da plenária, que aconteceu no sabado 14. A plenária pautou vários objetivos políticos: contrução das campanhas pela Retirada das Tropas do Haiti, e pela punição dos crimes da ditadura, intervenções nos Centros Acadêmicos da UFBA e contruções de grêmios em escolas. Além disso, os jovens fizeram um planejameto de arrecadação: o objetivo é enviar 5 delegados ao ENJR.

Em São Paulo – 12 jovens discutiram iniciativas políticas, como construir um ato no curso de História da USP pela abertura dos arquivos da ditadura militar e punição de seus crimes. Na USP Leste, está programada uma atividade de formação e discussão sobre o que representa a desregulamentação das profissões. Além disso, os jovens estão empenhados numa batalha pela construção de núcleos em diferentes lugares da cidade.

Priscilla Chandretti, pelo Conselho Nacional da JR

Plenárias nos estados preparam o ENJR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *