A Administração da UFMT apresentou no mês de fevereiro a proposta de mudança da política de alimentação do Restaurante Universitário, que até então tem a política de universalidade a R$ 1,00. A mudança prevê o fim do auxílio-alimentação em troca da oferta de regradas bolsas de gratuidade de acesso ao RU para aqueles que comprovarem maior vulnerabilidade socioeconômica e, o “restante” dos estudantes teriam de pagar R$ 5,00. Contudo, a resistência dos estudantes se fez valer e após um grande processo de mobilização a reitoria suspendeu a aplicação da mudança da política de alimentação.

Fato é que o movimento estudantil junto às suas entidades estudantis, ou seja, CAs e DCE, entraram em cena e cumpriram com o papel de representantes legitimamente eleitos, fazendo valer a vontade soberana dos estudantes contra o desmonte da alimentação universitária. Nessa mobilização todos os cursos fizeram suas assembleias, que aprovaram suas greves e até em assembleias de blocos/institutos foram deliberadas respectivas ocupações. Esse processo contribuiu para o sucesso da Assembleia Geral do ultimo dia 08/05, com participação de mais de 2 mil dos estudantes de Cuiabá, aprovou-se de forma unânime a Greve Geral dos Estudantil e ocupação unificada em um bloco da administração da Universidade. Certos estão os estudantes em manter posição e não aceitar negociação de direito!

A Greve estudantil tem como ponto central a defesa do RU R$ 1,00 e universal, contudo o debate político deve avançar para discutir a precarização da universidade pública que vem se intensificando com as medidas do golpe, os efeitos nefastos da EC 95, da lei da terceirização e a consolidação da aplicação da cartilha de privatização da UFMT e tantas outras.

A luta por um RU R$ 1,00 e universal é a luta contra a EC 95, é a luta pela defesa da assistência estudantil e a garantia da permanência do estudante na Universidade. Para nós, da Juventude Revolução, é impossível não ligar essas lutas com a luta pela defesa da liberdade de Lula. A candidatura de Lula representa hoje a saída real para reverter as medidas dos golpistas através de uma Constituinte Exclusiva e Soberana. Para garantir de fato uma política nacional de assistência estudantil.

Leonardo Rondon – Militante da JR-MT

Estudantes da UFMT em greve contra o desmonte da universidade! Contra o aumento do RU!
Classificado como:        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *