A  SEDUC (Secretaria Estadual de Educação) via 2° Coordenadoria Regional da Educação (CRE) situada no município de São Leopoldo iniciou 2020 decretando o fechamento de turnos em diversas escolas estaduais, principalmente na região do Vale dos Sinos. A medida promove o fechamento de turnos diurnos da Educação Infantil, séries iniciais até o Ensino Fundamental e EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Em São Leopoldo, pelo menos 3 escolas já foram advertidas. Em Portão, a realidade não é diferente. Em um cenário de 5 escolas estaduais, 1 já foi advertida sobre o fechamento de turnos. Outros municípios como Novo Hamburgo e Feliz também sofrem, com a ameaça de mais fechamentos de turnos pairando sobre Presidente Lucena e Linha Nova.

O argumento apresentado pela 2° CRE é que haveriam salas o suficiente para o funcionamento das turmas em um turno só, “visando atender melhor as necessidades educacionais dos alunos e aproveitar pedagogicamente os espaços da melhor forma”. Balela! Como seria possível atender as necessidades educacionais dos alunos lhes impondo o fechamento do turno que este estuda?

A medida proposta pela SEDUC desconsidera totalmente as peculiaridades na realidade dos alunos gaúchos, que nem sempre podem escolher o turno no qual estudar. Muitos jovens trabalham em um turno e estudam em outro, ou precisam estar estudando em determinado turno para que a mãe/pai possam cuidar dos irmãos. Para onde irão estes alunos?

A decisão prejudica ainda mais a qualidade da educação ofertada, já sucateada pelos ataques do governador Eduardo Leite (PSDB) e do presidente Jair Bolsonaro. Ao fechar turnos, o governo força a junção de turmas, superlotando-as. O remanejamento de alunos de inclusão de todos os anos também acontece, sem que se tenha o número de profissionais necessários para lhes oferecer o suporte em sala. Para alunos de turno noturno e EJA, quase sempre, o fechamento do turno significa não poder mais frequentar a escola.

A cada dia Eduardo Leite comprova que seu objetivo é o mesmo de Jair Bolsonaro, acabar com a a educação pública, tirando de milhares de jovens gaúchos a oportunidade de estudar e de ter um futuro.
Mas não aceitaremos! Os estudantes gaúchos já provaram ser capazes de muita luta em defesa de sua educação nas mobilizações que seguiram a greve dos professores contra o pacote de Eduardo Leite no último semestre de 2019, e não seguiremos calados diantes das contínuas tentativas destes governos de destruir nossas escolas e universidades. Queremos uma escola pública acessível e de qualidade para todos. Se existem problemas, a saída nunca é fechar escola, e sim melhorá-la para que os estudantes possam nela estudar e de sua qualidade usufruir.

A Juventude Revolução do PT se coloca ao lado dos estudantes e trabalhadores em defesa da educação, e repudia a decisão de fechamento de turnos, exigindo sua revogação.

Juventude Revolução do PT-RS

Nota da JRdoPT sobre o fechamento de turnos nas escolas do Rio Grande do Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *